Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Coisas que detesto...!

  

   Gaja que é gaja, adora a bela da sandalinha fashion no verão, para arejar os presuntos. Seja alta, rasa, de cunha, de salto fino, branca, preta, vermelha, às pintas, às riscas, fluorescentes, rosa choque, com brilhos, com lantejoulas, com flores, aos bonecos, assim-assim, assado, frito, panado, com batatinhas a acompanhar, com menos molho se faz favor, mal passado pode ser...! E convenhamos, sabe tão bem andar de sandalinha. Andar ali com os torresmos a apanharem sol, e a mostrarmos o nosso verniz supé fashion que temos nas unhas dos pés. Desgraçados dos gajos, que têm andar sempre de sapatinho de ir à mata e meeinha, ou de ténis, sem poderem usar chinelito como as gajas - bem, também depende do gajo. Há gajos que não deviam mas usam na mesma... Se bem que, existem aqueles gajos, com gostos meio duvidosos, que usam sandálias com meeinha puxada até ao joelho... -  no caso (não tão raros) de alguns gajos, agradecemos que NÃO USEM sandálias por favor! Além do ambientador natural que emanam dos vossos preciosos pés de príncipe, que nos faz pensar que estamos numa queijaria com o queijo ainda a ser curado, e que por vezes nos fazem momentaneamente perder os sentidos e ficarmos meio atarantadas por segundos, sem saber o que se passou, algumas criaturas nem sequer cortam as unhas... Parece que têm garras invés de unhas, bastante propícias para cortar fiambre e outras peças de carne mais robustas.

   Nada mas nada fashion, sabem o que é? Por meio de pózinhos de perlim-pim-pim, de qualquer coisa que não faço ideia, é detestável transpirar dos pés. Não é propriamente, mais uma vez citado, pelo aroma a queijo-da-serra que poderá, eu repito, poderá emanar dos pézinhos delicados de uma gaja, mas sim porque quando vamos a andar... o pé escorrega e quase nos sai pela frente da xanata. Ora bem, isto não é de todo prático. Uma gaja quer andar mais rápido, e vai a fazer uma figura de gazela desgovernada, porque os pés estão constantemente a escorregar. E o barulhinho que faz? ui que suspeito... Há quem diga que o barulho foi das xanatas, mas cá para mim, é demasiadamente característico para vir da soca... Digo eu, que não sou de intrigas! Detesto igualmente, ir a andar, e as patas chiarem. Eh pá, mas que coisa. Vêm uma pessoa lá do fundo do poço, e já se ouve "nhéck nhéck, nhéck nhéck" "Olha, vêm aí a Peixa...", pensa logo alguém. E quando a alminha é distraída e ainda não percebeu que é ela a geradora do fantabuloso "nhéck nhéck", e pensa que alguém vêm atrás dela? Imagem típica eheh Eu já pensei em por óleo nas minhas e nas de outras pessoas, mas depois pensei: "xanata barulhenta torresmos de gaja óleo calor = porco queimado". Deixei-me logo dessas aventuras. Ainda alguém pensava que estávamos a fazer um churrasco...!

   Também era bonito, encher os pés de pó-de-talco, para que os mesmos não transpirassem tanto e desse modo, evitassem que o gajedo andasse a fazer patinagem artística. Mas, mais uma vez, concluí que não seria lá muito boa ideia: Olhar para os pés de alguém e parecerem os de um morto de tão brancos que estavam... nã... não é uma coisa muito bonita de se ver. Ainda por cima, a probabilidade de deixar rasto seria muito grande.

    Deixa lá o "nhéck nhéck", comprem uns tampões para os ouvidos (e eu para os meus) que é melhor. Gajas, comecem a usar joelheiras, cotoveleiras, protecção de dentes e afins, não vá o diabo tecê-las.

 

   Obs.: Sandálias retiradas da net.

Este é que a leva bem...! (2)

   Eh pá... O urso têm algum problema... É que não se bebe com o "olho", mas sim com a boca!! - foi só a mim que isto soou mal ou quê...?

   Raquel Maria, temos de terminar com o sofrimento do bicho... coitadinho onde já se viu, tanta dislexia e vesguice, tããão acentuadass...!

Como a língua portuguesa é traiçoeira...

   Não é que existe uma actriz chamada "Chichi"...? Fosga-se, que azar. Ainda bem que não mora em Portugal. Ela que não se lembre de vir cá para as nossas bandas, que cada vez que alguém lhe perguntar o nome... ^.^

    Imaginem um moçoilo que se apaixona por ela:

    - Como te chamas?

    - Chamo-me Chichi...

    - Er... Que lindo nome... (silêncio... grilos...) Hein, o quê??? Olha desculpa, mas estão-me ali a chamar...

 

    E eu que pensava que "Carla Alho" era mau...!

É para aprender a não ser cusca...!!

  Continuo a espantar-me com algumas pessoas. A sério, como conseguem fazer determinadas coisas em público, e sempre, mas sempre, com as maiores das descontracções. Lá ia eu toda lampeira e, observo ao longe, uma viatura estacionada no meio de uma "zebra", junto a uma rotunda com várias saídas\entradas, com a porta do pendura aberta. Pensei logo com as minhas escamas, que alguma coisa de errado se tinha passado para a pessoa se ver obrigada a parar a viatura naquele sítio. Quando passei por ela, obviamente que abrandei e mirei a situação com estes olhinhos que a terra há-de comer - ou não... - sempre naquela que ia ver alguém a chamar o "Raúl", mas enganei-me profundamente. Sim... de facto passou-se alguma coisa de errado sim, mas na cabeça daquela alminha:

   Então não é que aquela criatura das profundezas, se lembrou de estacionar o carro num sítio suuuuper discreto - volto a frisar, em cima duma "zebra" e ao pé de uma rotunda supé movimentada - onde nem sequer passa muita gente porque até nem se situa numa saída da autoestrada, e decidiu, bem... regar as "flores" que ali estavam. E o pior disto tudo, é que essa alma - cujo nome do meio é "discreto" - tinha umas árvores ao pé dele, mas não, decidiu arejar a minhoca beeeeeeeeeeem na estrada onde eu ia a passar. Decididamente... que pensou ele? Que ninguém o ia ver? "Eh pá, vou estacionar o carro aqui na zebra, ao pé de uma das rotundas mais movimentadas da zona, com as entradas e saídas da autoestrada, e nem preciso de ir ali para trás da moita, que aqui ninguém me vê. Vou abrir a porta para disfarçar, e porque está um vento terrível que ainda fico com a horta congelada..."...!

   Dispensava plenamente aquele momento, que me deixou um trauma profundo no tico. Nunca mais vi aquela estrada da mesma maneira - sim, que nos dias em que o sol bate de frente, ai caraças...!

Sempre a aprender, porque saber não ocupa lugar!

   Ultimamente, tenho enriquecido o meu conhecimento de pratos gastronómicos. Cada dia que passa, há pelo menos um que eu não conheço. E isto porquê? É tudo graças à cozinha-de-fusão de uma equipe de uma  cozinheira transmontana ou que raio é a senhora e de uma cozinheira angolana, inspirados certamente, em vários pratos da gastronomia portuguesa. Aqui há dias, havia "impadão de carne", "amburga grelhada", "bifi de frango" e até "espetada shikjnfuhufbnhiu" - escusado será dizer, que ninguém percebeu que tipo de espetada era... Ninguém fala aquele dialecto. Exótica era de certeza absoluta. Deve ser para alguém que gosta de desafios.  Uma coisa é certa: suscitam-nos sempre curiosidade, nem que seja pelo facto de nos fazer exercitar o tico & o teco, para descobrirmos o que será aquele prato.

    No meio destes pratos magníficos, esplêndidos, autênticos gourmet, fiquei a saber que tenho um primo novo. No menú estava, para amanhã, "Pespada frito"...!

    Este é que eu não conhecia mesmo... :)

Este é que a leva bem...!

   Este ursinho goma é que leva a vida na maior, ah pois é. Olha eu bem que gostava estar igualmente estarraçada numa esteira, a bebericar um belo de um suminho e a apreciar as vistas, mas não, parece que tão cedo não vou ter essa oportunidade... Sim, S. Pedro é um grande porreiraço e se não manda rajadas de vento à malta, despenteando as gajas formosas que demoram uma eternidade de manhã a pentear-se, manda uma chuvinha molha-tolos, que deixa o cabelo num ninho-de-ratos maior do que o vento. S. Pedro que até têm um cabelo comprido pá, podia ser mais complacente com as gajas e acabar com estas piadolas de tempo no meio do suposto verão, e mandar um belo de um sol para a malta arejar a mioleira e tirar a "ómidade" do sótão, não? É que depois ficamos assim, a ter devaneios com ursinhos goma e com os penteados fashion que resultam das condições climatéricas - Cheira-me que o excesso de gomas que têm sido de há uns tempos para cá, têm contribuído para alguma coisa... Já não devo ter plaquetas, nem glóbulos brancos, nem glóbulos vermelhos, nem nada essas coisas todas. Foram substituidos por gomas de ursinhos, smurfes, caveiras com recheio (divinais), fatias de melancia com amargo, línguas de cola e de morango com amargo... Hum... Adoro gomas amargas... Pois é... :)

Deve ser o único que eu detesto...

 

 

Sou só eu ou o Gummy Bear é extremamente irritante, têm ar de psicopata, parece tudo menos um ursinho goma apetitoso...? Cá para mim - digo eu que não sou de intrigas - ele é mais parecido com o Slimer, dos Ghostbusters, que outra coisa.

   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Das duas uma, ou são familiares, ou o Gummy Bear têm de começar a cortar nos doces, nas gomas, no açúcar, porque pode acabar por ficar como o Slimer daqui a uns tempos... Depois não digam que não sou boa moça, pois sou, ora essa! :) - Mas continuo a achar o Gummy Bear irritante. Acho que anda taco-a-taco com o Humberto Bernardo...

  

Se não se põe a pau...!

   Eu adoro a Hussel. Adoooooooro a Hussel... É uma das lojas que mais gosto, apesar de ser de confeitaria e essas coisas que só fazem bem à balança e às fitas métricas, de tal maneira que a balança têm logo uns quilos a mais e as fitas métricas mais uns centímetros desde o dia anterior. Sinónimo que faz bem, faz crescer :) Pois bem, há uns dias, li que a Hussel apadrinhou a cria mais nova do Zoo - se não é a mais nova, é a irmã do meio; Fazem muito bem ter estas iniciativas, os animais precisam que os apadrinhem.

   Fiquei foi sem saber que animal era. Espero é que não seja um ursinho, porque senão... 

Cá para mim já estiveram foi mais longe de irem passear ao Jardim das Tabuletas...!

  Penso que não seja uma coisa propriamente positiva, irmos à farmácia e o farmacêutico já nos reconhecer... É nestas alturas que uma pessoa se deve sentir meio estranha, que o farmacêutico nos reconhecendo significa muitas visitas à farmácia, e indirectamente, é sinal que a velhice já cá canta ou que já está à porta, e que o raio da PDI já nos anda a moer o juízo! :)

Pág. 1/2

Mais sobre mim

imagem de perfil

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Mensagens

Douradinhos frios

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D