Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

É por coisas destas que o lugar no Inferno é cativo e na zona VIP

17.09.21, Peixe Frito
Não sei se existe algum código das gajas, tal como existe o código dos gajos, cujas condutas são analisadas e seguidas por coisas que supostamente toda a gente deve saber e seguir, sem alguma vez alguém falar disso a ninguém. Talvez seja o dito manual que todos nós procuramos para lidarmos uns com os outros e, afinal, o animal já vêm criptografado nas entranhas do pessoal. Ora, há aquele dito de "gajos antes de qualquer gaja" ou "gajo não pega ex namorada de gajo amigo", coisas (...)

Mistérios da vida. Nem o Fox Mulder e a Scully desvendam isto.

16.09.21, Peixe Frito
Como é possível se ter um torcicolo, sem se fazer nada? Nem foi ginásio, nem sofá, nem cama, nem pesos, nem compras, nem acartar miúdos ao colo, nem limpar, nem esfregar o chão, nem ir à pesca, nem lançamento do disco, nem trepar árvores, nem plantar batatas, nem a entrar em um carro, nem a tentar ligar a torre do pc, nem a abrir uma embalagem de batatas fritas, nem na luta com o frasco de cornichons (embora ele ganhe claramente aos pontos), nem a bater um tapete, nem a roer uma (...)

Desafio Arte e Inspiração | 1.a Semana | Análise a "A Grande Onda de Kanagawa" de Katsushika Hokusai

15.09.21, Peixe Frito
"A Grande Onda de Kanagawa" de Katsushika Hokusai Ora sejam bem vindos à mais recente rubrica aqui da fritadeira, com a vossa host Peixá Marie del Frite, onde iremos observar belas obras de arte e tirar conclusões nada precipitadas, mega accurate e sempre supé au point, estão a ver? As pintalgadas escolhidas para esta semana são as de um senhor chamado Katsushika Hokusai que, após ler este post, vai-lhe dar assim umas ganas lá das miudezas profundas e vai querer re-pintalgar o (...)

Logo de manhã, já com a pilha toda.

15.09.21, Peixe Frito
- Zé! Ó Zééééééééééé!!!! O Zé olha em volta e vê dentro de um carro, o filho do vizinho no banco de trás, a acenar-lhe efusivamente. - Olha!! Vou para a escola!!! - Boa! - responde o Zé a sorrir para o pequeno e a acenar de volta. - Vou-me divertir!! - completa o pequeno.   Não digo que a escola não seja divertida, nada disso, mas quero ver se o entusiasmo se mantém, quando começar a trazer trabalhos de casa e ter de estudar para os testes! Cheira-me que alguém (...)

E depois admiram-se quando a cabra do monte sai para dar o ar da sua graça.

09.09.21, Peixe Frito
Decididamente, eu e lavar carros é para esquecer. É pá desculpem lá, mas isto assim não pode ser e é insustentável! Ora, para não variar, naquele dia tomei três banhos: um de manhã - o banho mensal - outro a lavar o carro e depois tive de tomar outro banho, pois isto de levar com shampô automóvel, não favorece a minha peruca, apesar de levar com o acabamento e brilho nas fuças. É que é sempre o mesmo ballet: lavar o peixemóbil quando está um tempo ameno, chegar às (...)

É aquele doce condão que só a ingenuidade confere.

06.09.21, Peixe Frito
Na família, não temos propriamente problema em nos vestirmos e despirmos ao pé uns dos outros e então, como tal, o criancedo está habituado a isso e não há pudores. Dito isto, a rifa de momentos embaraçosos, tinha de me calhar a mim mais uma vez: Estava eu a vestir-me para ir treinar, na companhia da Rabinho Pequeno. Ela esparramada na cama a observar-me. - Ó tia Peixa, quando eu crescer vou ter maminhas grandes? - Er... Grandes grandes não sei, mas vais ter as maminhas (...)

Aqui fica a minha revolta referentemente a este desafio.

01.07.21, Peixe Frito
Fico-me a perguntar como raio um canídeo redigiria um texto, sem poder utilizar o seu meio de se exprimir, ladrar, barafustar, presentear os ouvidos dos vizinhos com uma sinfonia nada digna de Beethoven, aquando lhe dá na mona ladrar para o ar…? O gato ainda se safa, um belo de um “miau”, isento do ditongo proibido e censurado, ainda faz é com que o dito gato faça escárnio do cachorro, miando pelos cotovelos. Mas agora, e os perros? “Béu-béu”, soa de uma maneira estranha. (...)

Até a comida não é bem aquilo que parece, hoje em dia.

30.06.21, Peixe Frito
- Eu não tenho assim hábito de beber álcool, só de vez em quando! Socialmente falando e às vezes ao fim-de-semana, quando a comida é assim mais incorporada, gosto de beber um vinhinho. Só sei que se me calhasse a mim comida incorporada, certamente que iria mas era chamar um exorcista para fazer um exorcismo - qual beber um vinhinho! - não fosse a mesma estar possuída por um demónio maluco qualquer, que me iria fazer azia e cuspir labaredas pelo rabo. Nem a comida é de (...)

Tão linduuuuu ❤

27.06.21, Peixe Frito
Assim é que é. Vir cuscar a fritadeira a ver do óleo e dar de caras com um destaque! Como sempre, agradeço à equipa do sapo pelo destaque, sois criaturas mui corajosas por se atreverem a destacar posts aqui da fritadeira!! 😁 Aos meus leitores, que é para vocês que escrevo naturalmente, o meu obrigada também. Embora muitos devam ler os posts em modo anónimo, com medo que alguém vos apanhe a ler o blog, e assim não deixam vestígios pela net... mas vos amo na mesma. E, por (...)

Ninguém merece.

25.06.21, Peixe Frito
Há alturas na vida, em que se dorme mal durante muito tempo. Seja porque a cabeça está a quinhentos mil à hora, porque faz frio, faz calor, é do rabo, é das calças. E, por mais que tentemos, não nos é possível deitar nas mantas, a uma hora que julgamos ser a adequada para uma boa noite de sono. Afazeres da vida e cenaices que necessitam de ficar em dia, antes de irmos namorar a almofada. Eis que, há aquele dia em que as estrelas se alinham, a noite está amena, ouvem-se os (...)

É inevitável. Mais forte que eu!

24.06.21, Peixe Frito
Decididamente, por muito que eu me tente portar bem, com tino, juízo, a espontaneidade passa-me sempre a perna, uma rasteira, dá-me um calduço ou uma belinha na testa, me fazendo instantaneamente exercitar os músculos da cara fazendo uma careta qualquer, "cuspir", debitar, proferir alguma reacção, palavra, frase fresca e fofa que passou pelo detector e controlador de ofensas, ordinarices, pela triagem cerebral de não ser inapropriada ou inadequada. Porém estes sistemas de (...)

O meu ode aos coninhas.

23.06.21, Peixe Frito
Pois é. Eu lá estava longe de alguma vez voltar a meditar acerca deste assunto, dado que os coninhas aqui pela blogosfera pareciam estar em vias de extinção ou estavam a sofrer de amnésia não se lembrando deste blog, artroses nos dedos que não possibilitavam escreverem o endereço ou algum problema vocal, que não os deixava dizer à Siri qual a página web que queriam visitar. Atendam, que não andam por aqui haters - tinham bom remédio, na verdade - mas a questão é quando (...)

Desafio Caixa dos Lápis de Cor | #10 Verde Claro

25.03.21, Peixe Frito
Há uma coisa que nós dizemos muito na família, em tom de sarcasmo e brincadeira, aquando determinadas situações se dão, que é "Tinha os zólhinhos tão lindus, que máis parexiam duas poxinhas de áuga". Não me perguntem o porquê, mas associo sempre ao lado menos belo da situação: invés de uns olhos lindos e maravilhosos, brilhantes e vivos, imagino uma poça de água lamacenta, turva, daquelas que até podem ter girinos ou umas coisas manhosas por lá a nadar de costas. É (...)

É daquelas cenas, que se põem a jeito.

19.03.21, Peixe Frito
A mente criativa da criatura, não se foca apenas na escrita, no desenho, na parvoeira mas também estende os seus tentáculos maléficos, para a cozinha. Com isto, tenho fama de conhecer coisas invulgares e de, naturalmente, os meus cozinhados terem sempre algo que uma pessoa dita normal, não têm na dispensa - orelhas de peixe, bigodes de aranha, patas de lesma, essas coisas exóticas. Hoje diz um colega: - Peixa! Eh pá ontem vi uma cena, que pensei logo que tu devias saber o que era!! (...)

O meu pai.

19.03.21, Peixe Frito
Como não posso ver nada, hoje na blogosfera anda tudo a falar dos pais ah e tal e coisa blá blá blá, armada em invejosa, escrevi um pouco sobre o meu. Eu adorava escrever aqui coisas coerentes, lindas e maravilhosas, em como o meu pai contribuiu (e contribui) para a formação do carácter e personalidade aqui da criatura, dando exemplos mágicos e ternurentos, que me ensinou a andar de bicicleta - #sóquenão - a nadar - #sóquenãoeither - me incentivou a ler, pintar, escrever - (...)

Desafio Caixa dos Lápis de Cor | #9 Amarelo

17.03.21, Peixe Frito
  Sobre o amarelo eu queria escrever, algo genial da marmita espremer, mas em nada queria transparecer, o meu desamor, desalento por esta cor, que me veio aborrecer. Ah e tal toda a cor é bela, sim, cada uma com seu encanto, mas qual o meu tormento que para esta nobre criatura, o amarelo não tinha esse espanto, nem sequer essa doçura. Amarelo do limão, do azeite, do prado, tal o meu fado pronunciado, que fico com o cérebro todo mofado, a querer fugir por todo o lado. A escrita lá corre, sem ponta que se lhe pegue,

Desafio Caixa dos Lápis de Cor | #8 Cor-de-rosa

11.03.21, Peixe Frito
Awww a Peixa vai escrever alguma coisa fofinha, desta vez  Pois, #sóquenão. Espero que tenham estômago de ferro, que ninguém esteja igualmente de dieta, que isto promete!! Cor-de-rosa... - Sim, ainda sou daquelas que escreve assim! - A cor das flores, do romance, das gomas, dos leitõeszinhos, do pudim boca doce, do meu bronze quando eu começo a ir à praia e apanho um escaldão... Só associações boas que enriquecem o meu coração! Ora, eu tenho algumas questões relacionadas (...)

Cheira-me que o universo está a fazer panelinha com a balança ou com as lojas de roupa.

03.03.21, Peixe Frito
Decidi este fim-de-semana, recomeçar a cuidar da minha alimentação. E isto engloba voltar a comer mais dieta base vegetariana e cortar em processados. "Começo amanhã, segunda-feira" - é sempre amanhã, é o que vale - O problema, foi que me esqueci de umas variantes... A mãe Peixa fez anos. Ao sabor da pandemia, apenas fui eu lá cravar o jantarito, pois para mim o dia de aniversário é o dia mestre do ano e não pode passar sem eu ir fazer chichi a marcar território. O resto... meh (...)

Desafio Caixa dos Lápis de Cor | #7 Azul Claro

03.03.21, Peixe Frito
"O fim do mundo em cuecas". Foi uma expressão que eu sempre ouvi dizer e, com a viragem do século e segundo alguns profetas, isso poderia ter acontecido. Completamente alheia ao factor de que muita gente poderia estar efectivamente de cuecas na passagem de ano, andava tudo a panicar com a entrada nos anos 2000. Até os computadores estavam a roer as teclas do teclado, dado que ficarem a "00" era novidade para todos - embora os meninos funcionem com "0" e "1", mas vá-se lá entender. (...)