Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

21.09.18

Daqui a nada está tudo a tirar os esqueletos do armário.

frito e escorrido por Peixe Frito

No meu caso, não preciso de tirar do armário, o meu esqueleto predilecto, está pendurado à entrada de uma divisão do aquário. E nesta altura do ano, em especial destaque, é pendurado à entrada. É digno de se ver, cada vez que eu abro a porta - o esqueleto está pendurado no endireito da porta da rua - e ver a cara da pessoa a olhar fixamente para o esqueleto atrás de mim, com a conversa primeiramente efusiva: oláá tudo bem?? para de repente passar para um: erm.. hum... sim... Peixa está tudo fixe..- Mas entra, entra!! - sim sim... - e demora meia hora a limpar os pés no tapete, i wonder why.

Quem me conhece, sabe que adoro estas coisas. É mais do que livro aberto e porta escancarada o meu amor por caveiras, gritado aos quatro ventos com todo o meu coração.

Por isso, há quem não se admire e ainda se ria, quando começa a ver os meus enfeites de Halloween a aparecerem pelos cantos do aquário - o meu aquário não é redondo, felizmente. Já lá mora uma abóbora, a mais recente da minha colecção que adquiri semana passada, abrindo assim a pré-epoca de abóboras e fantasmas e morcegos espalhados pela casa. Talvez este ano me dê à situação de pôr as teias de aranha nas portas - é fantástico. Iguais às das grutas e cavernas dos filmes do Indiana Jones - e pendurar umas aranhas lá pelo meio. Por falar em aranhas e teias, ainda há dias levei com uma teia de aranha nas fuças, a descer as escadas do aquário mor. Então não é que o raio da Carlota, decidiu andar a apanhar pássaros invés de borboletas e coisas aladas mais pequenas? Só pode, a aquela altura, não vai ser uma mosquita que ali vai passar mas sim um pardaleco. Imaginem... voltei a sentir o meu terror de infância, de espetar a fronha numa mega teia entre árvores com um aranhão descomunal beeeeem no meio: varri a teia de aranha das altitudes, com a cara, como referi acima. Quando pensei: ai caraças, teia desta espessura e resistência... ONDE ESTÁ A ARANHA??! Pois queria confirmar que era uma pequena aranhoca com a mania das grandezas, embora o meu sentido aranha - sou Peixa mas arraçada de Spider Man - me tenha alertado logo que aquilo era digno de bicha do demónio, prima direita afastada de viúva negra e uma aranha com cabedal capaz de aterrorizar os sonhos de qualquer mente saudável. Adivinhem? Pois está claro, era um aranhão daqueles enormes e peludos, que fez aquilo. Mas porquêêê? Porquê eu? Nada explica a sensação de teia atravessada na cara, espessa tipo fio de linha e meio viscosa. Sinal de alarme. A aranha deve ter ficado toda feliz que achava que ia petiscar algo, um snack nocturno e afinal caí-lhe eu na rifa.

Não tenho pavor a aranhas mas ando sempre à cóca se não esbarro com as teias delas - o que acontece quase sempre, à noite - agora como esta, ó senhores, há muito que não era benzida com algo com este arcaboiço e potencial de terror e panicar com tanta classe e velocidade.

Pura mestria, a colocação daquela teia, só para vos dizer. Um autêntico génio do mal.

E com isto tudo, inicialmente o que era para ser um post sobre as decorações de halloween, bem depressa virou a situação para uma história de terror, para se contar frente a uma fogueira ou à lareira.

21.09.18

É que começa já hoje, qual daqui a uns tempos agravar...!

frito e escorrido por Peixe Frito

Já bebi tanto mas tanto mas tanto chá hoje e fui fazer o respectivo expelir de xixi, que não vai ser preciso esperar pelas calotes polares derreterem mais depressa dado o sobreaquecimento global, para se dar um aumento tremendo do nível das águas no mundo, países ficarem submersos - adeus túlipas da Holanda, baixa de Lisboa e ilhas artificiais do Dubai - e mai' não sei quê.

Corram para as montanhas, levem as crianças e as mulheres. Medo, tenham muito medo, que pelo andar da carruagem, eu hoje desfaço-me em líquidos - Dêem graças o chá não ser drenante e diurético, senão era já daqui a cinco minutos que era emitido o alerta vermelho e soariam os alarmes de "perigo eminente", pior do que o do filme "A Guerra dos Mundos".

Preparem a vossa bóia do patinho/flamingo/unicórnio, braçadeiras do Mickey e o vosso barco insuflável. Depois não digam que não avisei.

20.09.18

Não é do cú, é das calças.

frito e escorrido por Peixe Frito

Decididamente, sempre achei que o mal era das malas serem grandes, que uma gaja custava a encontrar as coisas lá dentro. Passei a usar malas pequenas, tão pequenas que desgraço os fechos ao fechá-las, só com os meus items de preferência: carteira, telemóvel, chaves do peixmóbil e um pacote de ranhosos, pois está claro.

Acreditem que nem assim, se ando à procura de alguma coisa na mala ou por poucas coisas que ela efectivamente tenha... eu custo a encontrá-las!

Elas criam buracos cá com uma facilidade... - literalmente. Ás vezes desaparecem coisas e elas vão pelos buraquinhos do forro da mala, tipo passagem secreta e só dou conta delas, quando mexo na mala e sinto altinhos com formas estranhas. Os tampões então, são peritos em encontrar estas passagens secretas... i wonder why.

20.09.18

E eu que nunca pensei ouvir um gajo dizer isto (post com bolinha vermelhaaaaa!!)

frito e escorrido por Peixe Frito

No meio de uma conversa saudosista, dos tempos em que ainda íamos aos clubes de vídeo alugar cassetes, que depressa resvalou para quem ia alugar filmes porno e tinha vergonha então pedia a um amigo com menos vergonha na cara para ir alugar por ele, entrando ali na zona com a cortina supé discreta de berlicoques ou ir lá ao cantinho do videoclube onde estavam esses filmes - e quando alguém lá passava, como me chegou a acontecer, e a pessoa ficava toda embaraçada por estar a escolher um filme porno? Ó gajo pá, faz-te hóme, qual é a cena de estares aí a escolher o filme de entretenimento que mais te aprás, com esses títulos que só dificultam a escolha? Nada que apontar, cada um gosta do que gosta, quero lá eu saber. Também era bonito quando os homens iam de surra para a zona dos porno, assim a ver se ninguém notava, passavam a cortina e ela fazia barulho ou nós dávamos de caras com eles quando eles vinham a subir as escadas, vindos da zona exclusivamente dedicada ao porno, o que não dava barraca nenhuma, acho que ainda era pior para quem queria descrição - começaram a surgir as opiniões acerca dos filmes porno.

- Ah e tal, aquilo não têm argumento nenhum! É o gajo chegar e pimba pimba vai de ferrar na gaja como se não houvesse amanhã e não passa daquilo. A morte é sempre certa!

Ora, não seria de espantar uma mulher tecer este comentário, pois normalmente gostam mais de filmes com enredo e que fazem chorar as pedras da calçada, agora um homem?! Muito admirada fiquei. Ainda gozei com a situação e lhe disse: então não têm enredo e argumento nenhum? Ui se não têm.

Ou é a senhora enfermeira que quer levar pica ou o xô dotor que quer dar uma geral na paciente ou é o gajo das pizzas ou o das telecomunicações que vêm ver o porquê do telefone estar avariado e ainda recebe uma chamada para a Índia - piadinha ordinária do dia.

Pá, verdade seja dita, toda a gente sabe como vai acabar o filme, sempre no malhanço nas senhoras ou nos senhores e que de facto, não deve ser fácil arranjar enredo. Se bem que, a meu ver, quem aluga esses filmes ou têm esses canais pagos - já lá vai o tempo do canal 18 depois das tantas da manhã, com a bela dublagem espanhola e o clássico "Oh sí, cariño" ou a dublagem em brasileiro com a frase característica "lambi minha b*2eta" - não está lá muito interessado no enredo ou nos argumentos - para alguns, já têm isso em casa com o seu parceiro: 

Em plena acção inspirada nas mil e quinhentas sombras de Grey:

- Então querida, como foi hoje o teu dia?

- Ahhhh... olha passou. Com algumas confusões com a minha chefe. E o teu meu querido? Ah sim aí dessa maneira, ai que bom!

É ou não é? Sim, porque filmes porno não só para homens ou mulheres solteiros, muitos casais gostam e nada têm de mal.

A malta na maioria quer é ver logo a acção, sem fufus nem gaitinhas.

Faz-me lembrar uma anedota do carneiro e da ovelha... 

piadas-curtinhas-16-728.jpg

Não há muito motivo para andarem ali a engonhar, se toda a gente sabe bem para o que veio né?

Vá 'bora lá aí despachar da cena, quí eu vô ti usá e porque ainda tenho de ir por a roupa em sabão para estender amanhã de manhã, para aproveitar o sol e tu tens de ir abastecer e lavar o carro, antes que a bomba feche - estou a gozar mas infelizmente quantos não são assim?

19.09.18

Tendência "rena Rudolfo": hit de moda para este Outono-Inverno.

frito e escorrido por Peixe Frito

Ora, cá vamos a mais uma tendência Outono-Inverno para este ano: o nariz vermelho. Não, não têm a ver com nenhuma iniciativa solidária e humanitária de angariar dinheiro para ajudar criancinhas - antes fosse - é mesmo a tendência de quando aderimos ao movimento da moda de espalhar ranhosos pelos bolsos dos casacos, mala de gaja e afins, gastando pacotes de lenços como se não houvesse amanhã, em medidas de desespero até usar lenços de pano, ganhamos um extra que é o nariz vermelho e assado, que nem com base, hallibut, aquela-coisa-que-se-mete-nas-tatuagens-que-eu-agora-não-lembro, uma pessoa se vê livre da "assadice" do "naniz".

Outra tendência associada, da qual eu já estou a desfrutar maravilhada - not - que até me faz lacrimejar dos olhitos tal a emoção, é o pinguinho do nariz na altura menos própria de vir dar o ar da sua graça - é uma pessoa andar por casa e sentir uma cóceguinha a descer interiormente na cana do nariz... antes fossem os macaquinhos numa party mas não, é uma ranhoca desenfreada a descer as montanhas para vir desaguar onde quer que seja: cai sempre mas sempre quando e onde não deve. Devo adverter que ainda não me aconteceu cair no chá nem em nada comestível mas que já me aconteceu estar no trabalho a falar com um colega e ter de por a mão urgentemente à frente, que a ranhocada decidiu vir espreitar à janela a ver quem era a pessoa com quem eu estava a falar, a codrelheira, de modo tão efusivo que até acho que cheguei a ouvir: abram as compooooortaaaaasssss!!! antes de se dar aquela enxurrada - Tendência super fashion e que dá para usar em qualquer altura, lugar, spot, trapinho quer seja vestidinho de gala quer seja com trapinhos de andar por casa ou ir por o lixo à rua. Mais prática e versátil, é impossível. Até no trabalho, se pode aderir a esta tendência.

Um extra fe-no-me-nal, mas que só está disponível para algumas pessoas, é a rouquidão associada ao se tossir ligeiramente dado o entupimento das vias superiores. Ficamos com uma voz sexy. Porém meus chuchus que não são abençoados com essa voz sexy e rouca, nada está fora de jogo para vocês!! Adquirem de certeza a linda, fantástica, maravilhosa e atraente, fala pelo nariz!! - ou melhor, pelo dânissss!! - Digam lá, se não é logo meio caminho andado para pedir alguém em casamento? Ninguém resiste a alguém com olhos a lacrimejar, fungar constantemente, pinguinho atrevido, encontrar um rasto de lenços ranhosos - tipo Hansel & Gretel versão Outono-Inverno - por todo o lado e a fazerem concorrência ao tamanho das pirâmides egípcias, nariz de Rudolfo e voz rouca ou anasalada! - Solteiro(a)s por esse país fora, preparem-se!!!

Esta sem dúvida, é uma das melhores tendências de Outono-Inverno. Só, mas só vantagens.

Ahhhh que saudades eu tinha das crises de alergia... das pilhas de lenços molhados por todo o lado e de ficar sem lenços disponíveis num piscar de olhos. Uma das maravilhas da natureza, sem dúvida.

Desfrutem desta tendência que agora fica em alta durante o Outono, porque depois só têm outro deslumbre na altura da Primavera, com os pólens no ar. É de aproveitar!

Vou ali dar no gengibre, e já aí apareço. Entretanto, deixo abaixo um apetrecho que me parece altamente esplendoroso, como acessório - quase obrigatório - da tendência rena Rudolfo.

nasonex_allergia.jpg

 

NARIZ-ENTUPIDO.jpg

 

18.09.18

Os sons de fundo do consultório são tão inspiradores - tipo musa grega - que até me fazem pensar se a comunicação está a ser bem perceptível para não haver confusões.

frito e escorrido por Peixe Frito

Eu sou apologista, que todos os consultórios dos dentistas tivessem de fornecer ou um bloco de desenho com lápis ou cartões com dizeres pré definidos "SIM" "NÃO" "TALVEZ" "COISO" "DAQUI A NADA SOU EU QUE LHE TRATO DOS DENTES" (quase tipo esquemas de sim e não) e do género. Ora e porquê? Pois então, uma pessoa estar ali esparramada na cadeira do consultório, boca aberta quase a ver-se o estômago e o dentista nos fazer perguntas e uma pessoa não poder responder, se limitar a fazer gestos com as mãos ou a grunhir ou códigos com piscares de olhos, não dá lá muito jeitinho.

- Abre a boca. Eisshhh este dente precisa de ser mexido - saca da broca e põe a funcionar. Começa o dente a ser mexido - está a doer?

E está ali uma pessoa de boca aberta, como vai responder? Nesse caso, as lágrimas por si só são um indicador de possível dor, mas ainda assim, uma pessoa devia de ter os tais cartões ou bloquinho, para escrever ou desenhar, que iria facilitar imenso a comunicação entre paciente-de-boca-escancarada e estomatologista-com-broca-a-funcionar-e-a-fazer-barulho-de-filme-de-terror. Não acham?

É que não vá o médico interpretar mal o sinal e aí é que é a morte do artista.

B_rChpoUIAAsEdw.jpg

17.09.18

É o que digo: Quem sai aos seus não é de Genébra.

frito e escorrido por Peixe Frito

Está uma criatura tenrinha, na rua a observar um saco do lixo colocado no jardim, que as formigas o descobriram em três tempos:

- Ó tia Peixa, já viste o saco do lixo cheio de formigas? Assim muitas, muitas, assim muitas muitas - e estica as duas mãos para cima, de dedos espetados, como quem quer dizer que são mesmo muitas formigas. (Silêncio) - Ó tia Peixa, mas porque é que as formigas estão no saco do lixo??

- Então... elas comem o que está no lixo.

Pausa. Silêncio. Careta feia - Uhhhhh ca nojoooooo, que porcas!!!

Não sei que pensava ela que as formigas comiam... só me restou rir mesmo, frente a aquela ar enojado da rabinho pequeno.

14.09.18

Só me fazem perguntas indiscretas.

frito e escorrido por Peixe Frito

- Já bebia um cházinho mãe.

- Queres chá de quê, filha? De erva ou de saqueta?

Naturalmente que quis de erva, por muito mal interpretada que a conversa pudesse ser.

Não há nada como chá de erva acabadinha de cortar do quintal, vão por mim.

12.09.18

A ver se viro uma blogger famosa.

frito e escorrido por Peixe Frito

Ora, o bicho verde não costuma habitar a minha criatura, mas estou a ver que não vou para nova e gostava de arranjar uma profissão que pudesse fazer com qualquer idade. Depois de anos de pesquisa (5 minutos na verdade, enquanto tomava banho hoje de manhã, fiquei inspirada pelo cheirinho do meu gel de duche) decidi que o que mais encaixa em mim, é ser blogger. Porque sim, pronto. Me apetece. Infelizmente, aqui a fritadeira não têm necessáriamente notícias, fofocas, receitas, relatos de viagens e outras cenas que façam que a malta cá venha religiosamente aos magotes, todos os dias. Decidi mudar o blog. Sim sim, decidi sim senhores, deu a panca na Peixa e é assim. Escusam de me escrever cartas - que não sabem a morada - me mandarem fax - que não tenho - me mandarem e-mail - que não o têm - esperarem à porta de casa - que não sabem onde moro - deixar bilhetinhos no meu peixmóbil - que também não sabem qual é - me mandarem gomas - para isso já forneço a morada, mas sem compromisso - para me fazerem mudar de ideias. Não sou corruptível. Podem ainda tentar sinais de fumo, mas tenham atenção à direcção do vento, pode não estar virado para estas bandas e cuidado para não pegarem fogo à manta nem às matas. Não dava lá muito jeitinho.

Pois vos apresento uma nova faceta da Peixa de hoje em diante (vamos a ver, Peixa como sou daqui a 15 segundos já nem lembro do que aqui escrevi). Hoje, visto que estamos perto do Outono, celebrando a mudança de estação, falarei hoje de tendências para o Outono - Inverno 2018.

Como o tempo têm estado mais bipolar que os ursos polares, cheira-me que a tendência vai ser ora andarmos de casaco de inverno e chuva na tola, como andarmos a despir as camadas de roupa, cheios de calor com o sol e temperatura amena na rua. A minha tendência será mesmo ter vontade de ficar na ronha em casa, nos dias de frio e, usar o item de moda na berra para este ano, modelo vintage de 1960, que é um cobertor com pelinho castanho de um lado e laranja ferrugem do outro, herdado por uma querida tia que eu tinha. Outra tendência que me parece que vai virar moda no meu aquário, será o saco de água quente, nos dias em que tiver as barbatanas frias, e recomendo aos leitores comprarem um para vocês, pois não há nada melhor que um saquinho de água quente - menos quando os tipos sofrem de incontinência, mas adiante - que embora meio à carcaça velha vintage, continua a dar um jeitaço quando o aquecedor não é suficiente.

Outra tendência Outono - Inverno, vai ser eu começar a encher os bolsos dos casacos com ranhosos, por causa das alergias atacarem que nem animais selvagens as criaturas delicadas e cristalinas como eu. Há que mencionar também a tendência da humidade me encaracolar ainda mais o cabelo aka virar ninho de ratos ou de cegonha, por mais que eu o estique, ponha produtos ou até faça o pino. A "ómidade" é tramada, animal sem coração dos penteados das gajas alheias. Mais uma tendência que nunca sai de moda mesmo, é sempre equiparada ao vestidinho preto no armário que dá sempre para todas as ocasiões, é mesmo eu de certeza me ir esquecer do chapéu-de-chuva em casa nos dias em que chove a potes e, quando o tiver no peixmóbil, nuvens no céu? Nem vê-las.

Por fim, porque já não me lembro de mais nenhuma tendência por enquanto, vamos falar da parte de gastronomia. As tendências e inspirações gastronómicas não variam muito das dos outros anos, pois um clássico é sempre um clássico venha quem vier, não há nada como dar continuação à tradição familiar e degustar de uns belos cozidos à portuguesa, sopas de pão e açordas à alentejana e umas sopas de feijão com repolho, entre bacalhaus à gomes de sá e o oficializar da abertura da época do uso do forno para assados e bolinhos caseiros. A barriga adora estas coisas - que o digam a poltrona e a balança - e nada paga o conforto no coração - e colesterol extra - destas comidinhas caseiras.

Aqui ficam algumas tendências para este Outono - Inverno que já está mais próximo do que temos noção - daqui a nada é Natal, como costumo dizer mas sem alegrias, mesmo naquela de frisar um silêncioso "porra que o ano passou a voar!!" - fiquem de pestana posta aqui na fritadeira, pois meia volta, hei-de expelir mais uma tendência nova para partilhar convosco, alegrando a vossa vida e enchendo-a de dicas úteis, para que estejam sempre em cima da situação.

11.09.18

Assim fico com um 6 pack num instante.

frito e escorrido por Peixe Frito

30-day-6-pack-abs-challenge.jpg

 (imagem palmada daqui)

Cada vez que se manda um espirro se faz um abdominal. Okay, cada vez que se espirra... Peixa, não é muito, pensam vocês. Ah pois meus caro(a)s, não podiam estar mais equivocado(a)s! Cada vez que espirro, no mínimo, são três a quatro de jarda. Infelizmente tendo tendência a sofrer de alergias, imaginem quando começo disparada a espirrar. Faço mais abdominais que muita gente no ginásio a fazer aquecimento, de uma virada só. As vantagens são de facto fazer exercício em qualquer lugar, hora, momento, quer queira quer não, com o factor surpresa incluído pois nunca sabemos quando vamos espirrar e começar a fazer abdominais nem a sua quantidade. 

Não há nada como a natureza naturalmente nos meter a fazer exercício físico, não é? -  pior é que às vezes é com cada um, que fico toda moída.

07.09.18

Coisas destas não tinha eu direito.

frito e escorrido por Peixe Frito

Poop-Emoji-Hair.jpg

Se a minha mãe me fizesse penteados destes quando eu era miúda, de certeza que eu ia adorar! Agora nãooo, eram trancinhas aqui, trancinhas acolá, trancinhas à francesa, à indiana, à não-sei-quê, tótós nos dois lados da cabeça, tótó só de um lado da cabeça a arrepanhar-me a pelaria toda e fazendo-me lifting's em tão tenra idade, ganchinhos aos lacinhos e mais o caraças, fitinhas na cabeça tipo Rambo...!

Tristeza. Criança sofre. Já explica a maioria dos meus traumas e o porquê da ovelhinha amarela ter desaparecido.

06.09.18

Eis o porquê do Pai Natal não me contratar para duende.

frito e escorrido por Peixe Frito

O meu relacionamento com fita cola, basicamente, resume-se a esta imagem:

Funny-Jim-Carrey-Wrapped-With-Tape.jpg

Agora, imaginem o festim que não é, quando eu me meto a fazer embrulhos de prendas. Com menos uns pêlos nos braços, dedos mumificados com fita em volta e pedacinhos fatalmente espalhados pela minha roupa...  Lindo, não é? Cortar um pedaço fantástico da fita e quando a estou a posicionar no sítio, ela enrola, encaracola, cola-se aos dedos, fica colada com vincos. Devo agradecer à electricidade estática por ser tão minha amiga. Podia ser uma questão de ser desastrada, mas já me conformei: há coisas no mundo que não são feitas para coabitarem ou colaborarem em conjunto, como é o meu caso e o de rolos de fita cola larga.

05.09.18

Devem achar que têm os olhos rasgados até ao rabo, como diz o outro.

frito e escorrido por Peixe Frito

Há uns distraídos - está certo - outros cromos e outros que esperam que alguém mande imprimir para resolver a questão. Refiro-me à malta que acha que as impressoras têm "depósito" de folhas eterno, citando o Buzz Lightyear "Até ao infinito e mais além", mandando imprimir mais documentos do que os aconselháveis para a saúde. E depois queixam-se de que a impressora deu "erro", o pc emitiu o alerta e não processa a lista de espera dos print's, já mais longa do que as filas da segurança social ou das finanças. Fazem ar de cordeiro manso, que a impressora está a piscar e não compreendem que raio se passa. Às vezes lá enganam um tótó ou outro, que cai na armadilha que nem um patinho, que vai buscar papel e coloca na impressora, carrega no botão et voilá, o animal volta a funcionar. 

Comigo safam-se sempre:

- Está a piscar? Falta papel.

- Ah é?? Ahhhh não tinha reparado, pois é.

E fico ali parada a observar a criatura, enquanto ela, disfarçando o não gostar de ter de se mexer, abre a gaveta da impressora e põe lá o lindo papelito branco, carregando no botão da impressora para ela continuar o seu desempenho. E não é que sobreviveram ao acontecimento? Milagre pá. Presenciei a um milagre!

Piores mesmo, são aqueles que percebem que a impressora não têm papel, mandam imprimir na mesma mas só depois de se certificarem de que alguém mandou imprimir primeiro que eles, porque assim são os outros que põe papel e estes seres cavernosos - que lhes cai a mão, fazem entorse, dão mau jeito às costas ou partem uma unha se abrirem a resma e colocarem folhas na gaveta da impressora -  apenas se dignam a levantar o rabo da cadeira e ir buscar os papéis.

Menção honrosa neste meu testemunho, de que ainda existem ogres piores do que mencionei acima, dos que mandam imprimir quando alguém manda imprimir, só para essa pessoa lhe trazer as cópias - dado que o seu gabinete fica a caminho do gabinete dessa pessoa e a malta é porreira e quando vai buscar as suas cópias trás as dos outros e distribui a quem de direito e vice versa - arranjando assim criados para vossas excelências nem sairem do sítio.

A chica espertice é sempre tão grande, que apenas contam com a deles, até ao dia em que lhes começou a acontecer o mesmo: o pessoal notou e de surra, mandava imprimir ao mesmo tempo do ogre e não ia repor papel, quando ouvia a impressora a mover-se por todos os lados, a choramingar por falta de comidinha. O ogre não teve alternativa senão começar a levantar-se da cadeira e repor papel ou ir buscar os prints, aprendendo que podemos ser de facto inteligentes mas o resto do mundo não é necessáriamente portador de meio cérebro funcional ou cegueta e o ogre não é o suprassumo da batatolina, tendo sido o único a ser bafejado com neurónios funcionais na sua caixa de ar aka cabeça, enquanto o resto do mundo existe apenas para o servir.

Há com cada um, que mais parecem dois, possa.

04.09.18

Sou uma maravilha de ser, quer por fora como por dentro.

frito e escorrido por Peixe Frito

Ah e tal, ter de fazer análises. Enaaa que ânimo ter de acordar antes das galinhas, num dia de férias que nem sequer dá para ir para a praia pois está farrusco, fazer jejum, armar-me em William Tell a fazer pontaria de xixi num tubinho de ensaio e ir tirar sangue - romelas, anacondas a enrolar e chorar de amargura da almofada à parte, nada me facilita a vontade, um mal nunca vêm só efectivamente.

Começo bem, ao entrar no laboratório e dar à analista o tubinho, frisando que é o melhor presente que ela pode receber logo pela manhã. Que inveja, not.

Num verdadeiro e derradeiro teste à minha bravura, a rotineira pergunta de: "qual o braço que prefere?", vontade de responder "Nenhum" confrontando o meu cérebro ainda meio perro com tanta informação matinal, olho para um braço, olho para o outro e lá decido estender um. Têm de ser por isso olha... do mal o menos. Esquerdo.

Procedimentos normais, avisa a moça que vai tirar o sangue, numa de que se eu quiser olhar para o lado. "meh" respondi "É coisa que não me faz a mínima diferença" e lá fiquei a olhar para o tubinho a encher com o líquido cor de rubi - belo toque, hein? Não é vermelho, nem encarnado nem cor-de-burro quando foge, mas rubi. Grande saineto. Adiante:

- Estendi-lhe este braço, mas penso que no outro se devia ver melhor as veias.

- Ah não, está óptimo! Consigo ver bem.

- Sou muito branquinha, não é?

- Não! Você têm óptimas veias, conseguem-se ver muito bem!

Devo ter feito uma cara de qualquer coisa que a moça ri e diz:

- Verdade! Óptimas veias!!

Deve ser o elogio da área. Não é: "ai você manda cá uma pausa com esse vestido!" É mais: "As suas veias são qualquer coisa de espectacular. Azulinhas, azulinhas."

E pronto... Não há nada como ouvir um elogio às nossas veias, para começar bem o dia 

Ou então, é o elogio por simpatia, do género, não há ponta por onde se lhe pegue, vamos elogiar algo exótico como as veias, só para lhe massajar um pouco o ego, coitada.

03.09.18

Mais depressa aparece o Wally ou a Ovelhinha Amarela.

frito e escorrido por Peixe Frito

Gostava eu, de ser benzida, nascida com o rabo virado para a lua ou dona de uma sorte descomunal que até faz inveja aos duendes irlandeses. Mas nãoooo. Não aqui a Peixa garbosa. E porque digo isto? Porque há quem meta as mãos nos bolsos de um casaco que não veste ao tempo ou mexa na mala e encontre umas notinhas de euro para lá a brincar às escondidas, a par que eu, cada vez que ponho as mãos nos bolsos de um casaco, encontro ranhosos aka lenços de papel desflorados e cada vez que vasculho a mala à procura de algo ou mudo de mala, encontro pensos higiénicos e tampões. Num bafejar de sorte, uma moedinha preta de 1 cêntimo ou 2.

Ninguém merece.

25.08.18

Momento culto do dia, quase com direito a bolinha vermelha.

frito e escorrido por Peixe Frito

transferir.jpeg

(espécimes alheios, palmados aí pela internet, os vadios)

 

Hoje, fiquei mais inteligente. E porquê, perguntam vocês.

Então não é que aprendi que existe uma fruta chamada "cocona"? O que ao início parece algo proferido por um gago, é afinal uma fruta exótica utilizada em países como o Brasil, Colômbia e no Perú. Ah pois é! Estamos sempre a aprender. Ainda dizem que já não se aprende nada de jeito na tv.

Pois, no fundo, depois de ter noção da existência da cocona, fiquei a pensar, que não vi esse espécime cá por terras lusas. O que é uma pena... parece ser algo bastante interessante para consumo, com imensas propriedades benéficas para o nosso organismo.

Vamos começar uma plantação de coconas, por estes montes e vales?

Com sorte, pode ser que sejamos co financiados com alguma ajuda por parte do estado.

24.08.18

Pode ser considerado um ar condicionado dos pobres.

frito e escorrido por Peixe Frito

E quando está tanto calor e temos de limpar a casa - que remédio, eu bem bato palmas a ver se ela se auto limpa, mas a tipa nem mexe uma palha - e aspirar nunca foi uma tarefa tão prazeirosa e agradável, pois o ventinho que sai pelo aspirador, sabe que nem ginjas e ajuda-nos a "refrescar" da brasa que se sente no próprio ar?

Nesse dia sim, quase limpava o aquário com a alegria dos sete anões. Quaaaaase.

Quem me mandou a mim mandar de férias os rapazes que me abanam as folhas de palmeira para me refrescarem?

Depois dá nisto. Para se ter uma brisa, é preciso aspirar a casa. Deprê.

21.08.18

Ser herói ou não ser herói, eis a questão.

frito e escorrido por Peixe Frito

Ver um bicho. Grita alguém:

- Ahhh um bichooooo!! - como se fosse algo de três cabeças, onze olhos, trezentas patas, dentes de fora e a babar-se desmesuradamente e fosse a criatura mais mortífera à face da Terra.

- Pá, olha lá, não vais matar o bicho!! - aparece a super Peixa em defesa do animal indefeso.

- erm... Não, não vou matar. Vou ali buscar um guardanapo, apanhá-lo e pôr na rua, para que possa ir embora.

E assim foi. Vai buscar o dito guardanapo e vai de tentar apanhar a criatura das trevas. Andou andou e lá a conseguiu apanhar. Mandou-a pela varanda. Olha para mim orgulhoso de peito cheio que nem um pirúm, o ser, e diz-me: Vês?? Não o matei!!!

Ao que digo eu:

A imitar a cena de salvação do ser. "Voa livre meu amiguinhooooo!! Não te mateiiii!! Tens menos uma asa, três patas e uma antena, mas estás vivo!!".

A pessoa olha para mim, olha para o guardanapo e diz: Bem... Não ficou aqui nenhuma pata desta vez.

Deus tenha misericórdia dos animais salvos por algumas criaturas. A intenção pode ser a melhor, mas dá-me a impressão que mais valia estarem quietos. É como com as borboletas: pegam nelas e metem-nas na rua. E admiram-se que os animais não voem mais da mesma maneira, que comecem a adoptar um vôo picanço, tipo parafuso dentro de água a ir ao fundo, depois de as "libertarem".

Por vezes, mais valia darem o último suspiro à criatura ou estarem sossegados a salvá-la e a mandarem para a natureza toda torcida e com membros a menos. Digo eu.

Depois admiram-se que durante a noite, um bichito ou outro lhes venha morder o rabo. Cá pra mim, que não sou de intrigas, cheira-me a vingança daquele aranhiço, que contratou uma melga para fazer o trabalho sujo, que foi "salva" e ficou com menos umas patitas e as suas teias de aranha começaram a parecer teias psicóticas - sem precisar de estímulos* - invés de harmoniosos traços rectos, cheios de baba.

 

*Por causa das tretas, não estou a conseguir fazer linkagem por isso quem quiser, cusque aqui para verem o artigo das teias de aranha onde as aranhas estão sob o efeito de estímulos:

https://en.m.wikipedia.org/wiki/Effect_of_psychoactive_drugs_on_animals

sobre a Peixe Frito

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

douradinhos frios

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D