Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Modernices! (outro com bolinha)

20.07.09, Peixe Frito

  Se há tarefa que considero especialmente peculiar durante as compras, é precisamente a escolha do papel-higiénico. E porquê? Porque perco-me na panóplia de qualidades, cores e cheiros. Hoje dei por mim a pensar: para que raio, quer uma pessoa comprar um papel-higiénico com cheiro a rosas?

   Primeiro ponto (e assente!): O rabo não cheira, só fede. Para que vos interessa comprar papel-higiénico (amigos vou passar a escrever p.h. que isto de escrever por extenso papel-higiénico dá muito trabalho) com cheiro, se na realidade o vosso rabo não vai usufruir desse aroma, e está-se nas tintas (para não dizer outra coisa) se o p.h. têm cheiro ou não?

   Segundo ponto: Não se iludam também, que ao comprarem p.h. com cheiro a rosas, que os restantes aromas expelidos na poltrona, são camuflados e deixam de feder tanto. Não me parece.

   Terceiro ponto: Toda a gente sabe para que serve o p.h., onde ele vai andar e onde vai parar. Para quê tanta mariquice? Falo por mim: ando sempre à procura do mais baratinho (mas não daqueles deste tipo) porque não é algo que mereça investimento. Afinal de contas, estamos a falar de papel-higiénico, catano! E não quero saber se o rolo não condiz com a cor dos azuleijos, nem se deita aroma a aloé-vera. Quero é que ele cumpra a sua finalidade.

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Peixe Frito

    21.07.09

    LOL Mais um bocado, e tens de começar a por as listas telefónicas na casa-de-banho eheheheheh Gajos pá! :D
    Beijocas asseadas.
  • largar posta:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.