Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

São mono-funções de certeza!

25.09.09, Peixe Frito

   Hoje de manhã (mais uma vez), fui "vítima" de um comportamento tipicamente de gajo. E sabem qual é? É o de estarem uns três a quatro marmanjos na cavaqueira, logo de manhãzita, após terem bebido o seu café ou xiripiti - nunca se sabe - à porta de um local, e ao passar uma moçoila, onde antes de ouvia uma parnafenália de vozes másculas e fortes a atropelarem-se, começou-se a ouvir... o silêncio. Nada, népias, niente. Se fosse de noite, até me arriscava a dizer que se ouviam os grilos. Depois da moçoila passar, volta a cavaqueira. A moça volta a passar, e um silêncio de cortar à faca volta-se a instalar, e assim consecutivamente.

    Ora meus amigos pá, isso dá uma grande barraca! Além de deixarem a moça numa situação desconfortável - sim que uma chinfrineira de repente virar silêncio absoluto é impossível de passar despercebido - vocês ainda passam mais por depravados.

    Não é uma questão de se passar comigo, falo em relação a todas as gajas a quem vocês fazem isso. "Discreto" é o vosso nome do meio, de certeza.

    Uma coisa é certa. Se eu tivesse de escolher entre os silêncios e os piropos à trolha... Preferia os piropos! - 'tou a gozaaaar!!!!!! ahahahahahahahahahaha

     É tão romântico, tão lindo, ouvir coisas como: "És como um helicóptero: gira e boa" ou "És tão boa mas tão boa que te fazia um vestido de saliva"! ai ai (suspiro) Esta imaginação bate-me aos pontos. Uns verdadeiros Camões das obras!! Que veias poéticas as dos nossos trolhas!!!

largar posta:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.