Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Eles andem aí!!

29.11.18, Peixe Frito

funny-pictures-ufo-caught-on-tape.jpg

Pensavam que podiam andar por aí a cirandar sem serem apanhados, era? Pois desenganem-se! Agora temos provas mais que evidentes!!

E ainda reclamam do meu, se for preciso.

28.11.18, Peixe Frito

Sinto-me em plena selva, quando o telemóvel de um conhecido toca. É com cada cagaço, que uma pessoa até desnorteia. Mas porque raio, alguém põe como toque de telemóvel, um pavão a cantar?

Shoot me, please.

E ainda pior, é alguém atazanar o pavão, só para o ouvir, Há malucos para tudo, indeed.

Podcast | E depois não como couves-de-bruxelas, armada em esquisita.

27.11.18, Peixe Frito

Tenho o hábito, de ter um copo com água, na cabeceira da cama, desde sempre. Bem, começou pela preguiça de me levantar a meio da noite para ir beber água - sou daquelas que acorda de repente com uma sede tremenda, capaz de secar todos os lagos, lagoas e poças do mundo, tragando tudo o que é água até cair para o lado - de modo que acordar de manhã com a boca a parecer uma lixa seca, língua encarquilhada e sininho enroladinho, não dá lá muita jeiteira. É assim, convenhamos... então está uma pessoa no aconchego das mantas, têm vontade de beber água, levanta-se, vai à cozinha ou à casa-de-banho, volta para as mantas já meio desperto. E adormecer? Ah pois é... Depois custa. E no inverno, com o friozinho que se sente fora do conforto do belo do edredon, a malta têm de pensar em soluções. A minha foi um copo de água na mesa de cabeceira. Demorei anos a aperfeiçoar a técnica. Cheguei a dormir com um garrafão de 2,5 lts de água, para fazer o refill ao copo, tal era a esganadeira da mulher - sereias... precisam de água, não é verdade?  - a ter também garrafas de água médias e pequenas, até escolher o copo perfeito. É que além da preguiça de me levantar da cama, a mesma adaptou-se e passou a ser preguiça de me levantar dos lençóis, o que era mau, pois copos altos, molhava-me... copos baixos, pouca água... canecas, a pega dá jeito mas não me ajeitei com aquilo e garrafas de água então... nem me falem delas. Cheguei então até ao copo perfeito.

Ultrapassada a situação da sede, do caqueiro perfeito e do apanhar frio ou custar a adormecer, após todos estes anos de estudo, naturalmente deu-se outra evolução: já nem acendo a luz. É só esticar a barbatana, agarrar o copo e vai de embutes. Ahhh água fresquinha, sabe bem sim, a meio da noite. Agora, há um senão de beber água às escuras: e os bichos pá? Pois é! As mosquitas que gostam de nadar de costas, as aranhas que de vez em quando lá se lembram de ir tomar banho... bem dentro do abençoado copo de água nocturno!

Sabem, é como os carneiros dos figos, às vezes é preferível nem saber nem ver, porque se assim for, ninguém come figos. É como aquela estatística que diz que durante a noite, o ser humano ingere não sei quantas aranhas, moscas, mosquitos, durante um ano. Pois olhem, comigo a beber água sem acender a luz, devo de andar a papar animais que pertencem às estatísticas de outras pessoas. 

Bem que eu de manhã, muitas vezes acordo com a sensação de estar aconchegadinha e outras com uma fome dos diabos... Devem ser os dias em que não apanho um snack na água, depois de manhã, quero comer este mundo e o outro. 

Lado positivo: ao menos não engordam. Digo eu... Se calhar aquelas pessoas que dizem que até engordam com o ar, andam a dar nos snacks nocturnos sem dó nem piedade e nem dão conta. É só abrir a boca e aspirar. Sem espinhas!

E eu? Eu vou continuar a beber água, à noite, às escuras. Que se danem os bichos. Se não querem ser papados, não vão tomar banhos ou fazer piscinas nos copos alheios. É para o lado que durmo melhor.

Há "malucos" para tudo, ora bem!

26.11.18, Peixe Frito

Conhecer uma personagem, que ouve Ennio Morricone no seu carro.

Nada contra, a sério... Apenas o imagino a conduzir - invés de cavalgar - ao som de "The Ecstasy of Gold", rumo ao por-do-sol.

Eu uma vez vi foi uma gaivota no topo de um candeeiro, de penas ao vento. O mais incrível foi eu estar a ouvir "The Ecstasy of Gold" mas versão dos Metallica, e quando olho para a gaivota lá no topo da sua altivez, muito direitinha e estática, de penas ao vento a olhar para o infinito, embrenhada nos seus pensamentos, com aquela música a tocar de fundo, como banda sonora do momento... Impagável.

Podcast | Black Friday, yeah!!

23.11.18, Peixe Frito

É Black Friday! Wooo-hooo, é a pura da loucura!! Eh pá, já ouvi falar de descabelanços e provavelmente já deve ter resultado em alguma punhada, o começo desta Black Friday. Por falar em punhada, na história houve mais quem tivesse uma Black Friday à sua medida, cuja "promoção" eram armas de fogo apontadas a eles e as correrias não eram para chegarem às estantes para apanhar aquele artigo-sensacional-que-provavelmente-não-terá-mais-uso-do-que-aquele-que-lhe-derem-enquanto-for-novidade, mas sim era correria para fugirem das ditas balas. Outros que também foram abençoados pela Black Friday, foram os Templários. Foram todos dizimados a uma sexta-feira - coitados... Nem tiveram direito a gozar o fim-de-semana. É como o outro, que foi preso a um Domingo. Esta gente não têm mesmo nível nem consideração pelos outros - As promos que os Templários apanharam foram aprender truques de magia, o que é sempre útil para festinhas de criancinhas - como separar a cabeça do corpo - tiveram direito a uns bónus de fogueiras a aquecerem os pés - e o resto agregado - que naquela altura do ano e da história até deve ter dado jeito, devia ser uma friasca nos colchões só de usar umas ceroulas e aquelas armaduras ou vestes por cima, e ainda, ficaram mais leves nos seus cofres, ajudando assim às situações propensas de reumático e problemas de hérnia discal, por causa de acartarem baús atestados de riquezas, serem evitadas. Foram só experiências recompensadoras.

Fico feliz por este dia finalmente ter chegado, somente pelo facto de que vão acabar as sms extra e e-mails extra extra a moerem-me o juízo, pois já não basta estarmos perto do natal para me assediarem a carteira, ainda mais estas merdices modernices de Black Friday a ajudarem à festa.

Sexta-feira negra... Eu é que me vou ver negra para ir onde for, deve estar um excesso populacional que parecem formigas ou abelhas numa colmeia, em todo o lado e para onde quer que me vire.

Mas então, se a dita Black Friday é a que oficializa - dizem eles.. Mas eles quem? Sei lá pá, eles - o início da época natalícia, como se chama o primeiro dia dos saldos, depois do Natal? Devias-de-ter-esperado-pelos-saldos-antes-de-teres-largado-umas-massas-valentes-no-natal wednesday? Já sei! Clean wednesday... Porque é a altura em que todos os stocks - até de outras colecções - saem à rua para largarem pó, a ver se alguém lhes pega, fazendo assim uma limpeza nos armazéns das marcas, que é uma beleza.

Deus nos ajude mais a estas estratégias de marketing, que só nos enfaralha ainda mais e dá vontade de fugir para o campo, ter uma palhota e viver no meio das ovelhas e das cabras, que ao menos tinha sossego e estava quentinha, não havia cá destas modas de black fridays e mái não-sei-quê.

Modo zombie.

22.11.18, Peixe Frito

Percebemos o quanto ainda estamos a dormir em pé, a sonhar com sol nas praias paradisíacas e saudades latentes do quentinho das mantas e do aconchego da almofada, quando vamos automaticamente para um sítio onde raramente estacionamos o automóvel e, depois de lá chegarmos, realizamos que o deixámos no sítio do costume.

Vai de dar uma voltinha aos calcanhares e andar precisamente no sentido oposto ao que estávamos.

Com o frio da matina, ainda diria que servia para acordar, mas não... Ainda apetece encolher mais dentro das roupas.

Ai vida vida... Há dias que custa MESMO levantar da cama. Nem com guindaste.

Depois de ouvir, se pudesse, casava-me comigo mesma.

21.11.18, Peixe Frito

Esta voz sexy até a mim me faz arrepios... não de vergonha alheia!  É o tester do podcast aqui, na fritadeira.

Boa sorte, não tenham o som muito alto, para não passarem vergonhas, é que vindo destes lados, nunca se sabe.

P.S.: Áudio com legendas é que era, nera? Keep dreaming eheh

Ah pois é, bebé!

21.11.18, Peixe Frito

Webp.net-resizeimage-1-700x394.jpg

Preparem-se... as turbinas estão ligadas e os motores a aquecer. Muito em breve dará o ar da sua graça, o podcast tester aqui da fritadeira.

Ponham-se a pau, construam trincheiras e bunker's, que a coisa está iminente.

Para descontrair...!

20.11.18, Peixe Frito

Este vêm com brinde!

cat-stuck-in-water-bottle-box-funny-cat-pics-amazi

Com tanto sítio para se esconderem, o raio dos gatos adoram mesmo é desafiar as leis da matéria e enfiam-se em tudo o que é sítio.

ninja-cat-hiding-funny-17__605.jpg

ninja-cat-hiding-funny-fi.jpg

the-world_s-top-10-best-images-of-cats-you-should-

transferir.jpg

Naturalmente depois há outro tipo de artistas, mestres do disfarce...

stealth-cat.jpg

161be4b2491d08713813d5082b43280d.jpg

Funny_Pictures_6369.jpg

I-am-hiding---cat-meme.jpg

Este é especialmente eficaz:

transferir.png

Não sou uma cat person, mas se há coisa que me faz rir a bandeiras despregadas, não há dúvida que é a cromice felina.

Quem me dera a mim ser assim tão fotogénica.

20.11.18, Peixe Frito

mom-says-i-m-special-meme.jpg

A minha mãe também me diz que sou especial... Mas eu não tenho nem metade do estilo desse lama. Só a curvatura daqueles abanicos, rebenta logo com tudo e faz uma inveja daqui até à lua.

É assim... Não é para quem quer, é para quem pode.

Sem dúvida, sou vítima de bullying...

20.11.18, Peixe Frito

...e por parte de uma criança de três anos.

- Tia Peixa, cortaste o cabelo? Ah ah - ri-se o fedelho desmesuradamente, a apontar-me o pequeno dedinho, tal e qual o Nelson dos Simpsons.

c48ed4ee395660c859c9ef6e461609974e72a7668b6b282f31

Das duas três, ou se esqueceu que ela cortou o cabelo comigo precisamente no mesmo dia ou de facto, naquele dia eu estava mesmo com ar de ovelha tresloucada, com a lã ao vento, graciosamente toda eriçada.

No que pensei, ao ver aquela pirralha a apontar-me o dedo e a rir assim? «Não tens mesmo nada a quem sair, rabinho pequeno».

Vai-se logo o relax todo (post nojento, só para avisar. Aconselho uso de máscara)

19.11.18, Peixe Frito

Isto faz-me lembrar um vídeo que vi há uns largos anos, onde a situação chegou a vias de facto mas, neste caso que relato, não.

Quem nunca chegou a casa a apetecer um banho de imersão - coisa de gaja eu sei e nada amigo do ambiente, mas adiante - porque teve um dia stressante, era o chefe, era o trânsito, eram os collants, era o cú, eram as calças e uma pessoa só quer estar sossegada e precisa mesmo de um momento de paz e sossego. Nada melhor, que chegar a casa, por a água quente a correr, por sais de banho ou não, gel de duche, óleos essenciais, whatever, o que importa é mesmo clima de descomprimir.

Banheirita cheia, despir os trapos e vai de se enfiar na água. Ahhhhh que bom. Temperatura ideal, música de fundo, aroma dos sais de banho ou o que for e... de repente... uppsss dor-de-barriga! Ah que não pode ser! Mas não podia ter sido ANTES de entrar na banheira?? Logo agora que já está ensopada quase até aos ossos e vai ter de sair! Ginástica para sair da banheira sem se escaqueirar no chão, enrolar na toalha e limpar e pronto... já se sabe qual o itinerário.

Resumindo: quer uma gaja descomprimir do descabelar do dia e ainda sofre de dor-de-barriga mesmo no pior momento, molha tudo por onde passa e, não tendo outra casa-de-banho, vai ter de ser mesmo ali... onde a água repousa quentinha e convidativa, cheirosa e agradável, à sua espera. Já estão a ver o clima que se vai gerar, não é? E ainda bem que estava sozinha, olha se fosse com uma cara metade, em situação de romance, só com uma casa-de-banho em casa? "Querida, deixa lá, fiquei sem vontade de tomar banho de imersão" ou então tinham de usar máscara anti gás.

Não morre do mal da barriga, morre da cura das velas a disfarçarem outras coisas.

Obs.: A situação abaixo foi muito má, mas muito má MESMO! Não concordam? Eu nem sei que faria...  Emigrava, talvez.

Este post relembra-me também, um amigo que eu tive, há muitos anos:

- Peixa, tu és uma mulher bonita e gira, atraente, inteligente e bem humorada, mas às vezes quando abres a boca, fazes os homens todos fugirem a sete pés e mandarem-se pelo precipício abaixo.

Mas há que ter vergonha de contar certas coisas, porque são temas de casa-de-banho? Ahhh até parece que o resto do mundo não vai à casa-de-banho, que lata. Olha eu, que não perco uma para me rir das figuras, sejam minhas, sejam de quem for 

Se calhar um centro de acolhimento ainda era a melhor opção.

17.11.18, Peixe Frito

E quando uma criança está a limpar o salão, ou em bom tuga, tirar macaquinhos-do-nariz e, bem educada que é invés de os ensinar a voar, nos estende o dedo com o macaco lá enrolado e fica à espera que nós o agarremos e mandemos fora?

Com a quantidade dos que alberguei hoje, dada a fuga que se deu desenfreada dos macaquinhos do nariz da rabinho pequeno, das duas uma ou abro um centro solidário de macacos abandonados ou então vou abrir uma empresa de cola orgânica, dado que circos já não permitem que animais façam números de entretenimento e um zoo somente com uma espécie, se calhar torna-se meio secante.

Ao que uma pessoa chega. Incrível que se alguém tinha nojeiras do que fosse antes de ter uma criança na vida, depois de haver alguma bem próxima de si, não têm outro remédio senão que lhe passem as nojeiras.

Armado em púdico... Até parece que já não lhe deve ter passado pior pelas barbas! (com bolinha)

16.11.18, Peixe Frito

autocorrect-has-not-yet-figured-out-how-often-i-sw

Que mania que o corrector automático dos telemóveis, têm de se meter nas conversas das pessoas! A embirração de hoje, é que só corrigia uma palavra para "colchões". A moça bem digitava a palavra e ele "colchões". "Colchões", "colchões". Das duas, três: ou anda armado em puritano ou anda com algumas falhas de informação no que toca ao corpo humano masculino ou está a armar-se em Paula Bobone dos correctores ortográficos - olhem lá o nível, purezas. Ao menos, que se é para meter a sua colherada, que fosse para contribuir, não para se armar em freira. Têm algum jeito uma pessoa dizer a outra:

- Já estou para te mandar um áudio à colchões.

ou

- Está um frio dos colchões.

Já não se pode escrever uma sms à vontade! Onde está a liberdade de expressão? Abaixo o maior causador de cabelos brancos, roer de unhas, mal entendidos e fazer as pessoas passarem por maluquinhos com palavras non sense pelo meio das conversas! Que se chegue à frente, a alminha que se lembrou de inventar essa porcaria.

44442055_1937034806383641_7849097496960112944_n.jp

E se uma pessoa quiser mandar uma sms sexy à sua cara metade? Estou para ver o corrector automático:

- Meu querido, logo espero-te em casa, com collants até ao pescoço, camisola de manga comprida, cachecol, gorro, luvas, casaco comprido e botas até ao joelho, de modo a que possamos ter um serão de amor tórrido, a ler a Bíblia ou a ver programas de história com o Dr. Hermano Saraiva. O sangue até te vai ferver nas veias, quando vires o serão que preparei, vais ficar insano de tanta doideira e maluquice desvairada.

Foi um curto momento de glória.

16.11.18, Peixe Frito

Estar fechada no gabinete e ver uma varejeirazorra a passear nas imediações. Olhei para ela, fitámo-nos olhos nos milhares de olhos e ri, maléficamente:

- Querias entrar, mas a porta está fechada, não é? É assim a vida, vai cirandar para outros lados, vá vá.

E ela lá continuava a rondar, feita orcas assassinas em volta de uma foca.

Como life is a bitch quando lhe apetece, alguém abre a porta.

Que aconteceu? BZZZZZZZZZZZZZZZZZZZZ para dentro do gabinete, com as turbinas a todo o vapor.

Juro que me pareceu ouvir um risinho.

Ao menos, ainda tive um cheirinho de sossego. Curtíssimo, mas tive.

Prevejo um longo dia de tourada, fandango e ballet. É para acabar a semana em alta - literalmente... 

Se calhar estava a ver se o pé do cadáver estava bem escondido.

15.11.18, Peixe Frito

E quando vemos um colega, que é meio... bem... não querendo colocar rótulos, mas que é mesmo lerdinho - ou faz-se - tótó - ou faz-se - queimadinho da cabeça - ou faz-se - ali os parafusos já estão oxidados e calcinados tal é a situação de apertar mal os ditos - sei que é repetitivo, mas ou faz-se - a olhar serenamente, para dentro do contentor do lixo da empresa, uns bons minutos - por momentos, fez-me lembrar o Exterminador Implacável, quando teve uma falha de sistema e faz reboot, ficando a parecer que está a brincar ao macaquinho-do-chinês.

Que fazemos?

Passei à larga, em bicos-dos-pés, não fosse ele estar a tramar alguma, pelo modo que ficou vidrado a olhar para o monte de restos de material, lixos e afins. Uma pessoa sabe lá, que se passa na mente das pessoas. Ainda têm para ali algum génio do mal oculto e anda a planear conquistar o mundo, começando pelo caixote do lixo e indo por aí fora até atingir o seu objectivo supremo - contentores públicos, vidrão e etc, chegando aos camiões do lixo até escalar até ao topo: lixeira a céu aberto. Plano ambicioso, mas basta uma pessoa para fazer a diferença, seja para o bem, seja para o mal.

Só contribui para as neuroses de uma pessoa.

15.11.18, Peixe Frito

Uma pessoa amiga telefona. Não conseguimos atender. Retribuímos chamada quando podemos. Não atende. Ela volta a ligar e nós, mais uma vez, não conseguimos atender, seja porque estamos ocupados ou às vezes pela simples situação de termos o telemóvel no silêncio e nos termos esquecido de activar o som. Ligamos nós... toca e toca. Nada. Não atende. E andamos nisto do toca e foge telefónico, neste verdadeiro ballet, bailado sem par e sem graciosidade nenhuma, em que não conseguimos simplesmente falar com a outra pessoa. E a coisa agrava quando a outra pessoa não é adepta de sms, o que até ajudava pelo menos para perceber que assunto se está a tentar abordar. Nem que seja: Era só para dizer um Alô, alô. 

Uma coisa tão simples como uma chamada e tentar falar com alguém, é que dá uma urticária, fico sempre sem saber se é algo importante ou não, se passa alguma coisa, com este renga renga.

Além do facto que sou sempre acusada de indisponível, de não atender ou de não retribuir a chamada logo no imediato.

Eita pá... Não tenho vida para isto.

Só acontece comigo ou há mais algum peixe no mar que sofre deste mal?

Que Deus me dê paciência e um paninho para a embrulhar.

15.11.18, Peixe Frito

E quando as pessoas mais velhas acham que por nós sermos mais novos, entendemos de tudo o que tenha a ver com tecnologia?

Quando alguma coisa não funciona, seja o telemóvel, seja a impressora, seja o computador, seja o raio que os parta, acham sempre que uma pessoa sabe a resolução do problema, como se nós tivessemos um manual de todos os aparelhos integrado na cabeça.

- Ahhh mas a impressora não imprime! Peixa, há algum problema com a impressora?

- Ela têm papel e tinteiro? Então não sei, pode ser a rede.

- Rede??

Até parece que eu estava a falar chinês.

 

Outra:

- Ahhh Peixa, não consigo enviar sms ou fazer chamadas. Que se passa com o telemóvel?

- Não faço ideia. Experimente reiniciar e ver se têm rede no telemóvel.

Reinicia.

- Continua sem dar!

- Pois... Não faço ideia.

- Mas pode ver que se passa?

- Se não envia sms e não faz chamadas não há nada que eu possa fazer, como pode compreender.

- Ah, pronto.

Amuou.

 

E quando respondemos: "Não sei", ainda fazem um ar aziado como se fosse nossa obrigação saber.

Haja pachorra. Há criaturas que devem pensar que os outros são um balcão de informações ou um atendimento de resolução de problemas.

A cereja no topo do bolo é se queixarem que ninguém os ajuda.

Pág. 1/3