Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Eu até ouvi o coração a rachar de desilusão!

31.01.19, Peixe Frito

425202_10200969108581610_329332750_n.jpg

Que blasfémia!!! Cracker's?! Incrível. É incrível. Nem sei mais o que expressar sobre esta situação.

Podemos partilhar a nossa vida inteira com a nossa cara metade, que chegamos sempre à conclusão que afinal, passe o tempo que passar, será que nos conhecemos assim tão bem?

Ai vida... C is for Cookie, not for Cracker's!!

Atrofios que me acontecem naturalmente e não somente quando está de chuva.

30.01.19, Peixe Frito

Eu adoro comentar em blogs, fazer "gosto", largar uma posta de pescada mais séria ou ajabardar em blogs em que me sinto mais à vontade com o blogger. Infelizmente - ou felizmente para alguns bloggers - não comento tanto quanto eu gostava e felizmente - neste caso sim é mesmo felizmente - existem muitos blogs que eu sigo - tipo stalker - e a cada semana, mais surgem. O que gera um universo de blogs, para eu ir cuscar, espiolhar, largar posta de pescada dando o ar da minha graça e dar corda aos sapatos.

Então Peixa? Mas que raio é que te acontece? Acontece meus fofos leitores, que aqui a Peixa comenta até em blogs que aparecem nos posts mais recentes, tipo toca e foge, depois as pessoas respondem ao comentário, eu recebo a notificação por mail e penso: WTF? Que blog é este??

Pois é, pois é. E shame on me, que me acontece também com os blogs de leitores e amigos onde vou ver como param as modas. Porque muitos de vocês, suas criaturas, têm um nome no endereço do blog e outro no cabeçalho e aqui a Peixa, às vezes distrai-se e fica ó despois com os mirónes, os zóios tortos, porque não sabe quem é! O que me vale, é mesmo o nick.

O que, por partilha engraçada, com A Desconhecida, me aconteceu ela comentar na fritadeira e eu achar que era mesmo um desconhecido que comentou... tipo anónimo - é o que dá, eu formatar o blog todo com terminologias à minha moda, depois admiro-me.

Sabem o que é que me vale? Tudo isto me dá vontade de rir.

By the way, mais um facto curioso acerca de mim: Raro é o que me escapa mas tento sempre, sempre responder a todos os comentários que são feitos aqui na fritadeira, nem que seja apenas a mandar uma beijoca a quem comentou.

Cada maluco com a sua pancada, não é verdade? Sempre ouvi dizer.

Isto já explica muita coisa.

30.01.19, Peixe Frito

1tde6i.jpg

O problema é que o meu espírito animal devia de ser canibal, pois está constantemente a guiar-me para a secção das gomas nos hipermercados ou funciona como imãn, quando passo pela Hussel que, by the way, my favorite store.

Uma coisa é certa, que o animal têm bom gosto, lá isso têm. Aquelas caveiras recheadas com morango, as línguas ácidas, os dedos e tijolos brancos e vermelhos, os smurfs, os ursinhos goma clássicos, venha o diabo e escolha, qual deles apoquenta mais o meu ser, me atormentando para os comer.

Até já gomas caseiras ele me guiou e inspirou a fazer! Ahhh adoro gomasssss 

Ninguém têm aí uma que dispense? Não? (*grilos*)

...e é assim que me põe a faíscar dos "zólhos" e a semi espumar pela boca.

29.01.19, Peixe Frito

5045c34164119.jpg

Diz o espécime intermédio do cardume - irmão da rabinho pequeno, menciono isto só para verem como é genético - para mim e para o senhor seu pai:

- Ó pai e tia Peixa, quando vocês eram pequenos, já existiam televisões a cores?

- Wtf? Olha lá pá, deves estar a gozar comigo, não? - respondo-lhe eu, com os olhos bem apertos e olhar de Peixa exterminadora de tudo o que respira.

- Ah, erm... não tia Peixa não era bem isso que eu queria dizer...

- Então era o quê? 

- Erm... era... hum...

Pois é, pois é. Bem que eu ali pude ficar á espera do argumento, que só enrolava. E tanto esperei que aí sim, ganhei raízes, os carros já voam lá fora, há muita gente que já não têm vergonha de estacionar a nave à porta de casa - aqueles espécimes que nós nos perguntamos de que planeta aquilo vêm, de tão exótico, sui generis e característico que é - já não existem telemóveis pois falamos telepaticamente e, finalmente, deixaram de existir aviões pois é mais eco utilizar portais interdimensionais e wormholes.

Olha agora, hein? Bela maneira de me chamar carcaça, assim de surra. Já não há respeito.

Eu sei que é feio ter inveja mas... Quero.

29.01.19, Peixe Frito

1948132_10203252119615459_5518339287903772588_n.jp

Nem me importava que fosse numa selva tropical, de temperatura amena, com sons de animais exóticos de fundo. Desde que desse para ferver batatas, cozer arroz, ferrar o galho, bater uma sorna na santa paz do Senhor, queria eu lá saber.

E a julgar pelo ar do leopardo, aquele ramo deve ser mega confortável. Meio ortopau, mas confy.

Ahhh... Ia saber a ginjas.

Lá diz o outro, que a língua tuga têm muito que se lhe diga! Haja mentes poluídas.

28.01.19, Peixe Frito

Determinada criatura dizer que acordou de madrugada, com uma coisa na boca - o que também é bonito de se dizer assim, a uma pessoa incauta.

Quem ouvir isto, pode levar logo para a maldade, ainda por cima com a situação de ter ficado com um buraco num dente da frente.

Simplesmente caiu a massa do dente. Mas convenhamos, a nossa língua pode facilmente resvalar para a ordinarice, não é?

Mentes do demónio, poluídas, é o que é!! Sim, porque eu pensei logo que era a massa do dente - cof cof - ora agora outras coisas... Uma aranha, por exemplo!

Estamos sempre a aprender aka momento de cultura geral

28.01.19, Peixe Frito

images.jpg

Certa criatura teve uma crise iluminada no seu tico e, comenta com restantes almas de que o dar à luz de uma tartaruga, deve ser horrores. Horrível, que dores deve ter a tartaruga. (*silêncio geral*) Continuando à carga com o seu pensamento brilhante, refere que deve ser difícil dar à luz um animal com uma casca daquelas... se alguém já imaginou.

Pois olhem... Não faço ideia de onde a personagem possa ter ido buscar tal raciocínio, em que as tartarugas são "paridas" e já com a casca rígida e tal e coisa. 

Ainda houve quem comentasse, que isso são as normais, olhem então no caso das tartarugas ninja, que vêm com aquelas armas todas e tudo.

Deus nos ajude, mais a estas conclusões maravilhosas e falta de ver documentários sobre a vida animal que, nestes casos, até dava algum jeitinho para as pessoas não fazerem figurinhas desnecessárias e dar fanicos a terceiros, de tanto rirem.

Encontrei uma nova unidade para o sistema métrico ou terminologia mais explícita ao especificar distâncias - Post com palavras felpudas!!

24.01.19, Peixe Frito

Eita, só o título deste post, demonstra que hoje 'tou a mandar dicionário ou então que aprendi aquelas palavras há uns tempos e ainda não tinha tido oportunidade de as incluir numa conversa, para fazer brilharete. Na verdade, tive ontem a fazer sopas de letras e não foi canja.

FB_IMG_15048183662682593.jpg

E depois desta imagem, borrei a pintura toda.

Isso que a imagem diz acima, é do tempo da outra senhora! Para mim, já existe upgrade à situação. Ora vamos lá actualizar-nos:

Alguém me dizer que foi a um sítio ainda mais longe de onde Judas perdeu as botas. Que achava que a partir do desterro onde se encontra, já não havia mais mundo, mas que afinal, ainda há depois daqueles montes e vales, serras e mais serras, curvas e contra curvas, subidas e descidas, estrada batida e caminhos de cabras, onde provavelmente habita o Yeti e onde a Nessie do Loch Ness, vêm passar as férias da Páscoa... existem aquelas aldeolas.

Deu-me uma nova dimensão de "Onde Judas perdeu as Botas" e "No cú de Judas". Como de facto é possível ainda existir alguma coisa lá nos confins do universo, tão ermo que até devem é existir espécies não descobertas pelo Homem. Penso que aquela terreola deveria ser apelidada em termos de distância, "Para lá detrás do sol posto, de onde Judas tinha o rabo e onde perdeu as botas e Jesus as sandálias, mais longínquo que a casa da peça das caldas e que a coisa da tia, onde o mar deixa de fluir, o horizonte é um cenário em papel com uma impressão de umas nuvens e tal e coisa para ficar fofinho, e conseguimos confirmar e constatar que o Mundo acaba num precipício e a Terra afinal sempre é Plana e não redonda".

Um pouco extenso efectivamente, tenho de arranjar uma sigla, pois é mais fashion.

Sugestões?

Isto tudo para dizer, que aquilo nem deve constar no mapa e que uma pessoa até lá chegar, o caminho é longo mas longo mas longo mas loooooooooongo e começamos a temer pela nossa segurança, pois se nos acontecer alguma coisa, nem daqui a trinta encarnações - no mínimo - alguém nos descobre.

Eu até sugeria deixar um rasto de migalhas ou levar um fio atado no pára-choques do carro, a fim de marcar o caminho mas nem deve haver pão para migalhas ou bobines de tamanho suficiente, para aceitarem essa responsabilidade com orgulho, dado que com toda a certeza que iria faltar uns metritos até ao destino.

Assim se vê que a friasca é sentida de modo geral.

23.01.19, Peixe Frito

Descascar uma laranja e constatar que a espessura da casca era de 1 cm - medido e confirmado.

Possa, que esta estava bem protegida do frio, estava!!

Mas não se safou na mesma... por isso bem que podia ter poupado na casca que a mim poupava-me trabalho de espetar de unhas, cortes com o x-acto para a abrir e em última instância, uma dentada na casca, resultando naquele amargor maravilhoso dos óleos no paladar.

Mas então... é só dar trabalho aos outros. Só pensam neles.

Anda tudo apanhado.

23.01.19, Peixe Frito

Escrever "torcicolo" e o corrector dar erro. Okay, então vamos lá ver onde está mal escrivinhado.

Opções:

- torci colo

- torci-colo

- tricolor

- torácico

- ciclomotor

Isto quase que parece uma charada, para tentarmos adivinhar o que é que a descrição está a definir:

Um torax a motor? Não. Um colo torcido arraçado de torax? Não. Um torax dos anos 60, cheio de cores? Nop. Um ciclomotor em forma de colo - eita que esta dá para tantos devaneios... é melhor ficar por aqui.

Bem... Alguma vez alguém teve um torci colo? Até agora eu ainda não torci o colo. Deve ser horrível. Tricolor? Pode ser... se o torci colo for tão feio e forte, que temos de levar medicação da pesada... Aí a vida ganha novas cores e com certeza com um espectro cromático bem maior que apenas tricolor. Torácico? Sim, uma pessoa até lhe pode faltar o ar com as dores do movimento, quando se atreve a tentar alguma acrobacia marada e doida - levantar o braço, por exemplo - fora do âmbito requerido nos torcicolos, alínea b, artigo 124523556815, em que consta que, passo a citar "(...) torcicolo deve respeitar as normas da torcicolozice, com a postura pré-definida desde os tempos imemoriais, que consiste em se mover como o robocop" - tempos imemoriais e robocop, sim sim... antes sequer dos filmes terem estreado, já existia a tendência robocop para os torcicolos. Aliás, deve ter sido a inspiração principal para os filmes... o torcicolo.

Ciclomotor? Deve ser o robocop a andar de lambreta, é a única coisa que me vêm à mente.

Não há dúvida, que quando até os correctores de gramática têm destas dúvidas existênciais, eu fico apreensiva em relação às correcções por eles propostas. Se corrigir tudo conforme propõe, ainda fica pior que os colchões ou a promo...! Resultaria num discurso ou texto mega eloquente e digno de ser ouvido num auditório no Júlio de Matos.

Quem me dera a mim, que o torcicolo existisse tanto na minha vida, como existe para os correctores automáticos: zero. Mas pelos vistos, a realidade de um pode não coincidir com a realidade de outro e uns são filhos da senhora e outros enteados.

Quer-se dizer, né? Bem, haja alegria!

23.01.19, Peixe Frito

Uma pessoa a ter de estar fechada em frente ao computador, por instantes olha pela janela, para descomprimir as pestanas e observa um pássaro num ramo, todo contente, aos saltinhos, a fazer efeito mola no ramo fino. Haja felicidade, efectivamente. Pena tenho eu de não ser eu aos saltinhos no ramo. E estava a ver era que o passarito, com a bela da brincadeira, ainda levava era uma verdascada do ramo naquelas fuças, que até ia nas horas do caraças mais velho. E depois olha amigo... pões-te a jeito, não andasse aos pulinhos em ramos alheios. Querias milagres?

Uma curtinha por dia, nem sabes o bem que te fazia (2)

22.01.19, Peixe Frito

Não sei como não me ocorreu alguma vez, me esconder num sítio destes. Uma coisa é certa, parece ser confortável, aconchegadinho e, no inverno, até deve ser quentinho. E, convenhamos, com o friozinho que se têm passado, até nem é mal pensado.

263386_10200950987328590_338350018_n.jpg

Cheira-me que alguém vai ficar de castigo na rua... assim só de surra.

Olha a cavilha fresquinhaaaaa

22.01.19, Peixe Frito

Mãe Peixa a ver o backstage de uma filmagem e diz:

- Olha! A rapariga estava a ler o ecoponto*, não era?

*Era suposto ter dito teleponto... 

 

Não se esqueçam! De separarem o lixo e colocarem no teleponto correspondente! 

Para o que eu haveria de estar guardada.

21.01.19, Peixe Frito

- Tira isso da boca, rabinho pequeno!

Muito disfarçadamente, lá tira o brinquedo da boca, sempre sem olhar para mim. Meio amuda, diz-me:

- Sabes tia Peixa, quando tu não estás a ver, eu meto o brinquedo na boca.

Quando são tortinhos, são mesmo tortinhos. Que mal fiz eu a Deus, hein?

Até parece uma anedota. O novo cúmulo da paciência.

18.01.19, Peixe Frito

Se achavam que era meter um cugalhão numa gaiola e esperar que ele cante, estão bem enganados!

O meu novo cúmulo da paciência, é mesmo estar a comer guisado e estar a separar as batatas dos pedaços de nabo cozido. Estão a ver a paciência, não é? Além de que a cor entre ambos é similar depois de cozida, a textura também. Só se diferencia por o nabo ser ligeiramente mais branco que a batata e porque se notam as "fibras" ou "veios" nos pedaços de nabo.

Haja pachorra. Uma gaja cheia de larica e estar a brincar às escondidas com pedacinhos de nabo, não há quem aguente.

Voluntários? Não...?

18.01.19, Peixe Frito

Tenho uma ligeira impressão de que, se eu por azar me "baldasse" graciosamente para o meio destas criaturas fofas e ternurentas, o meu estilo de calças rasgadas se prolongaria para toda a restante indumentária, inclusivamente teria "inventado" um novo género de escarificação corporal, estilo arranhado e a faltarem pedaços - talvez lançasse a moda com ar de zombie.
Dá mesmo vontade de mandar um xanato a ver o que aconteceria...
Alguém se voluntaria?

417941_10200908374183288_985895527_n.jpg

Uma curtinha por dia, nem sabes o bem que te fazia.

18.01.19, Peixe Frito

Eu também costumo sofrer de vertigens... de manhã. Há dias que a altura da cama para o chão é horrendamente grande.

1013927_10201088141117349_1106045940_n.jpg

Alguém está com ar de quem foi apanhado...

17.01.19, Peixe Frito

1001749_10201152521526819_2122655759_n.jpg

- Mas que estás tu a fazer, passarito? Hum...?
- errmm... Eu?? Nada, nada... Apenas estava aqui a... (cof cof) apanhar sol e... coçar-me e (ermm...) a ver os pássaros a voar... não? Eh pá, estão a chamar-me ali, espera aí que já aí venho.
Mais uma vez, já vi muita coisa, agora pássaros a montarem armadilhas é que nunca pensei ver com estes olhos que a terra há-de comer (ou não, quiçá). Que estaria ele a pensar apanhar por aquelas bandas?...
Gambuzinos, certamente.
A vida é assim: há que nos adaptarmos às necessidades e desafios quotidianos.

Nem sei que título dar a isto. Mas que é hipnótico, é.

17.01.19, Peixe Frito

Ninguém merece ser tão desajeitado e com ar de quem têm imensas lágrimas para deitar fora mas que ateima que há-de ser forte e não há-de ficar com os olhos inchados de chorar, tipo um chicharro - vontade de espetar uma agulhinha fininha... Será que vertia ou ainda enchia mais com a água do aquário? Fica a questão.

Se isto acontecesse ao ser humano, não havia cremes para o contorno dos olhos nem plásticas que valessem à malta.

Na verdade, nem vos vou dizer o que é que me parecem aquelas bolsas vou deixar isso à vossa consideração, pensamento e reflexão. E com esta frase e pensamento ilustrativo incutido nas vossas mentes, me vou.

Bem hajam e boa sorte para o limparem da vossa mente.

Pág. 1/3