Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Adorei ver a cara de "Eita, perdi uma boa oportunidade de ficar calada".

30.01.20, Peixe Frito

Rabinho pequeno, na sua sabedoria que só os seus tenros 5 aninhos o permitem, diz-me:

- Tia Peixa... escreve aí o teu nome, para eu copiar.

- O meu nome? Está bem.

(*escrevo nome*)

Silêncio. Rabinho pequeno a observar atentamente o meu nome.

- Preferes que escreva antes "Peixa" que é mais pequeno?

- Siiiiiiiiiim.

E pronto. É assim que o meu nome aterroriza criancinhas pequenas. Agora imaginem eu, que tive de o aprender a escrever e a pronunciar - não que seja um nome esquisitóide, mas para quem ainda não articula bem as palavras ou domina as letras, pode ser desafiante. Além de que os miúdos nunca o memorizam à primeira. Mas nomes como Songoku, stricónaites, wanna say wanna go, batatas fritas, bolachas, gelado, slime, ranhoca e todos aqueles nomes e palavras que até eu custo a dizer, isso eles sabem. Espertos (*revirar de olhos*).

E eu de facto tinha mesmo "alguém" a observar-me.

29.01.20, Peixe Frito

E de repente fez-se luz, ao ouvir esta música. A banda sonora perfeita para o meu episódio com a tixa voyeur.

R.I.P. my friend... R.I.P.

29.01.20, Peixe Frito

IMG_20200129_113308_196.jpg

E é assim, que me despeço do raio do Olaf! Pois é, é tudo muito lindo mas depois tocam-me estas coisas! E não é aumentar a temperatura do aquecimento para o Olaf descongelar, mas sim ser vítima da falta de apetites aka pancas das crianças da família, que deixaram de beber yogurtes e alguém têm de os beber. Agora imaginem, eu no trabalho: colegas bebem cafés, outros corpos danone e mai não sei quê. Eu saco do belo do yogurte da Frozen, e vai de espremer aquilo.
Bem, o que vale é que é bom... Menos mau.
A melhor situação para mim, no que toca a crianças, é nos darem uma bolacha dentada, babada, meia desfeita, porque já não aguentam comer mais. Sem falar nas que dão coisas não comestíveis... como tirarem burriés do nariz e darem aos pais, porque não têm lenço. E os pais ficam com aquilo na mão, até eles arranjarem lenço.
Também há "vítimas" de crianças por esses lados??

E é nisto que dá, estar em um meio de animais selvagens.

28.01.20, Peixe Frito

Uma pessoa já não pode estar sossegada, nem na ida à casa-de-banho. Ora imaginem que estão aflitos, vão ao belo do chichi e, se alguns forem como eu, em casas-de-banho mistas, je ne pas senté el nalguedo no tampo da sanita, mesmo que o tenha ensopado em desinfectante, logo estou sempre a fazer umas belas de umas figuras. Mas quem se importa com isso? Ninguém. Pois ninguém nos vai ver, certo? Errado. Querias... Estava eu ali a fazer poses de yoga a agarrar nas saias e a treinar as coxas num agachamento, e reparo em uma sombra na parede... O perfeito círculo de onde outrora existira um tubo e agora é somente buraco aberto na parede, no topo da casa-de-banho, que serve para que não nos intoxiquemos uns aos outros com as bombas atómicas e mesmo assim há umas tão potentes que mesmo de porta aberta, quem lá vai depois, têm de praticar apneia, sai de lá enjoado e a desejar pela morte misericordiosa e amaldiçoando o facto de não ter problemas olfactivos a casa-de-banho arejar, tinha um mirone! Sim, um raio de um mirone!! Então não estava lá uma lagartixa a espreitar para dentro da casa-de-banho, a ver o que eu estava a fazer? Arre mais a esta bicheza que não sabe os limites da privacidade!!

Ai a malandra! Mas ca ganda latosa!! Óbvio que se raspou quando eu lhe fiz um olhar 31 e ela sentiu o rabo a arder com as faíscas que lhe mandei, mas ainda assim! Uma pessoa sabe lá... podia estar a filmar e depois ir pôr na net! É que nunca fiando.

Incrível. Nem um chichi.. nem um chichi posso fazer. Só a mim.

Pronto, lá tive que me render às evidências.

28.01.20, Peixe Frito

Continuo a dizer, que não gosto muito de redes sociais, faces, instas e essas cenices. Há uns tempos por aqui pela blogosfera, fui várias vezes aliciada a criar um insta ou perfil do face, aqui para a fritadeira. E eu, nada disso, deixem-se lá de coisas, que isso na m'apetece.

Até hoje.

Hoje, neste dia glorioso sem sol e a ameaçar chuva, pelo menos aqui para as minhas bandas, onde se acorda com nebulina na serra, mar encrespado e geada no chão, que faz com que a malta escorregue e quase se estropie toda, tendo que se agarrar ao muro - também húmido e cheio de caracóis, musgo e cenices - ficando toda desquadrinhada, a Peixa decidiu criar um insta aqui para a fritadeira. E porquê? Pois... porque sim. Já que tenho um insta para a minha parte armada em Maia e Maria Helena, porque não um para uma das minhas múltiplas personalidades aka peixe frito?

Ora aí está, uma boa razão como outra qualquer.

Eu adorava vos seguir a todos - sem cenas de stalker okay - mas é-me difícil achar todos os vossos instas. Tenho um ou outro na minha outra conta, os quais já fiz seguir. Aos restantes que não receberam um seguir da Peixa e queiram, por algum motivo que me é mesmo muito alheio, seguir-me no Insta, basta pesquisar por... (tamboressssss) pxinho_frito. A foto é como o algodão: não engana.

Quem não quiser seguir, está tudo tranquilo. Amigos como sempre.

Sendo assim... vamos lá espalhar o terror de outra maneira, pelas internetsssss (muahahahahahahahahah)

E depois são os outros que são mentes pérfidas. 

27.01.20, Peixe Frito

"- Ai Peixa! O teu espaço/gabinete está tão quentinho! Que bom teres aquecedor.

- É, né? Só quando tenho de ir à casa-de-banho, é que é pior. Porque está lá um geeeeeelo!

(pausa na conversa. outras conversas cruzadas)

- Então, mas fazes assim: pegas nele (com tom de enfaze e a abrir os olhos) e meteszo lá dentro. Esperas que aqueça... e depois vais!

- Whaaaaaat??"

Mas vá aonde mulher?

Então vá. É uma coisa que se diz, querida!

Fez lembrar a super tia, indeed.

Este foi um belo exemplo de quem faz dieta e depois come palavras e que resulta em um "wtf" moment com som de grilos à mistura, porque uma pessoa não está a dar seguimento à sua linha de raciocínio e sem uma palavra a auxiliar, ainda mais ao fim do dia, soa a tudo menos ao que a criatura quer exprimir.

E para aliviar o ar, vos deixo com um episódio da super tia:

Aprendam meus filhos, aprendam...

24.01.20, Peixe Frito

Então e quando se recebe um e-mail de alguém a dizer assim:

- Olha, podes abrir o anexo e verificar se é spam?

Gente porreira. Se for virose, os outros é que ficam com ela.

Quem lembra de Chiclete com Banana? - Se alguém tiver coragem de admitir que lia, naturalmente.

23.01.20, Peixe Frito

É daquelas coisas... poucos admitem que liam, tal como há quem goste de Ena Pá 2000 e têm vergonha de o admitir ao resto do povo. Pois olhem, são uns excelentes músicos, que eu adorooooo - que admiração, Peixa Maria.

Adiante! Esbarrei com isto pelo pequeno mundo da internet, e bateu saudade dos tempos em que a malta lia banda desenhada, como quem come batatas fritas. Havia para todos os gostos, mas umas das mais retorcidas que eu gostava, era sem dúvida de Chiclete com Banana.

bd0003.jpg

Sem dúvida muito pervert e fora da caixa, mas eu adorava ler os quadradinhos!

Hoje vi a tempo... MILAGRE!

23.01.20, Peixe Frito

Pois é... quem está em destaque, quem é? A bela da mousse servida na melhor loiça da casa!

Acreditem ou não, esta aconteceu mesmo ao amigo do amigo... por muito suspeito que possa soar!

Sem-Título-1.jpg

Agradecida à equipe do sapo pelo destaque 

E a todos os amigos e leitores, que é para vocês, que eu escrevo e relato sobre as coisices da minha vida. Porque a vida não são só coisas a morderem-nos o rabo mas sim algo cheio de pequenos momentos de comédia, que por sua vez, nos alegram o dia - ou não. 

Alguém anda revoltado com a vida.

23.01.20, Peixe Frito

Eu tenho dito, ter cabelo comprido, sucks! E sabem porquê? Além de que demoro uma eternidade a secar a piruca no tempo frio - caracóis... nada de pôr o secador a jardar para secar mais rápido, têm de ser na velocidade mais fraca, na santa paz do senhor. Quase parece que estou a secar o cabelo ao sabor de uma leve brisa morna, de verão - demoro uma enternidade a secar a piruca! E é estar ali, pacientemente que nem estar a dar biberon a um borrego, seca de um lado, vira para o outro, por vezes doem os braços e a paciência, meia volta uma cabeçada do secador - sacana... meia volta pimba, pancada seca na cabeça. Artista! Deve ser primo do Zidane - mas outras vezes, ele adora inovar. E cá está, só acontece quando tenho cabeleira de tamanho que quando me deito até me deito sobre ela, me querendo virar e tou de cabelo preso, resultando em palavras fofas a meio da noite - não sou fã de prender o cabelo, ainda mais no tempo frio... é um mal necessário, pois embora tenha de acabar por semi me levantar para puxar o cabelo de debaixo do meu corpo de sereia, sempre ajuda a aquecer o pescoço - porque eu distraio-me com tanta volta do secador pela cabeça, ali a cirandar e cirandar e cirandar que quase parece a dança das cadeiras mas, quando a música pára, o raio do cabelo enrola na ventoínha do secador! É o cheiro a porquinho chamuscado, é o cabelo enriçado e queimado, são os nós, é o secador a dar puxões no cabelo como os gaiatos pequenos ao nosso colo...! Sem dó nem piedade.

Desde quando é considerada segura, a situação de se secar o cabelo? É porque estas situações de violência electrodoméstica não vêm ao de cima! Mas quem se acham os secadores? Mas que é isto de andar a puxar cabelos, hein? As embalagens destes animais selvagens, deviam de ter avisos desta natureza! "Perigo - Animal indomável. Aparentemente dócil mas com tendência a selvajaria. Pode variar entre levar turrinhas do secador a levar puxões, resultando em cabelos enrolados, que só têm solução, cortando da ventoínha".

Eu já disse ao meu... voltas a armar-te em cão com pulgas e eu além de te começar a guardar ao pé da sanita, descarno-te o fio e depois quero ver como é que são as coisas. E se bufas muito, ponho-te a funcionar na velocidade mínima e na temperatura fria, a secar meias. Vê lá se queres.

Vamos ver se ele entendeu a dica. Aguardamos próximos episódios.

Até lá, porra que me mandou um puxão, que fiquei a ver estrelas. Invejoso. Não pode ver uma trunfa tão garbosa como a minha, que é assim.

Esta devia estar de morte, nem era de gritos.

22.01.20, Peixe Frito

Qual a probabilidade de uma simples mousse causar sensação em casa de uma família, sem ser pelas dores de barriga causadas pelos ovos atrasados? Muito pouca, mas ainda assim, há margem. Sabem como é o universo e o seu sentido de humor retorcido, não sabem? Está sempre à espreita para encanar a malta. Pois bem, nem o simples facto de confeccionarem uma sobremesa para a vossa família degustar após a refeição, escapa aos dedos daquele sentido de humor maquiavélico. Basta que façam mousse e que peguem numa simples taça para a virem servir à mesa e, logo por sorte, pegam na taça das flores do cemitério da avó e lá vai mousse toda airosa.

Yep. Leram bem. Taça das flores do cemitério. Sim, aquelas que estão em cima das campas, com flores, para o morto. 

Para os curiosos, a mousse teve o mesmo destino do que aqueles que a taça e suas flores costumam honrar: foi parar ao jardim das tabuletas. Ninguém conseguiu comer daquela mousse, ao saber que era a taça que - coitada nada de mal fez, apenas alberga flores no seu interior, para embelezar a campa do desencarnado - costuma marcar lugar na lápide do cemitério. Tenho pena da taça. Apenas faz o seu papel e ainda assim, é tratada dessa maneira? Gente sem coração. Sem falar da mousse, que foi apanhada no meio da confusão e posta a andar em três tempos, sem ter tido oportunidade de contribuir para a dieta do pessoal. Desperdício.

E vocês... teriam coragem de comer dessa mousse?

Foi um momento mágico, quase me senti no filme da Frozen, versão cuecas.

21.01.20, Peixe Frito

Isto de se fazer a lides da casa, têm muito que se lhe diga. Principalmente, no que toca a lavar a traparia de enfiada. É que é um ver se te avias, até formo montinhos de roupa a fazer fila, tudo esquematizado:

Dia de chuva -> lavar cuecos -> máquina de lavar -> máquina de secar -> encher e programar a máquina de lavar com o temporizador para começar a lavar depois da outra manela secar -> perfeito! e assim on and on. Vou lampeira tirar a roupa da máquina de secar, até então tudo a correr sobre rodas sem momentos de "Sai da frente Guedes" no horizonte, até que... começo a ver pedaços brancos pelo meio da roupa. Ora alguém consegue adivinhar, desvendar o crime?

Tamanha atrocidade dentro da máquina: eram pedaços brancos aos farripos, desmembrados, ainda mais bem rasgados do que quando um gato põe as unhas em um cortinado... um autêntico cenário de terror. Toda a roupa cheia daquilo. Pois é meus amores... aqui a Peixa cometeu uma gafe de principiante. Meteu os casacos a lavar sem verificar os bolsos, e um deles tinha brinde aka lenço de papel. Acho que nem uma trituradora de papel conseguia fazer aquilo e atrevo-me dizer que nem a mãe Peixa com as suas habilidades de desfiar frango e meter na canja, conseguem ser tão magníficas.

Devemos constatar que de facto é aborrecido nos depararmos com este cenário na máquina de secar, pois ninguém gosta de lenços de papel kamikazes, mas ainda há mais! "Mais, Peixa?", Sim... ainda há mais. Mas vocês já lendo aqui a fritadeira há uns posts, ainda não sabem que eu nunca faço nada por menos? tsc tsc Como estava a dizer, de todas as máquinas de roupa em que poderia ter acontecido, foi logo na da roupa escura.

Uma coisa é certa, parecia um céu estrelado dentro da máquina e até que tinha nevado no interior... Mágico. Só que não.

E é assim que uma simples tarefa na vida de uma simples criatura, pode virar um momento de magia, como se ela já não tivesse mais com que se coçar.

Deve ser assim que se inspira para tirar fotos, que a sua musa flui, livre que nem um passarinho peludo fora da jaula.

16.01.20, Peixe Frito

Tenho sempre em atenção se ao tirar fotografias, existem reflexos em vidros e coisas. Não que ande a tirar fotografias em poses menos próprias ou com trajes mais... mais... reveladores e marotos, mas confesso que sim, que tenho sempre em atenção aos reflexos. Não vá eu aparecer desgrunhada, com um bocado de alface em um dente, com ar de mitra ou até com o pijama da Hello Kitty, que secretamente tenho, embora deteste o raio da gata.  É que lembro sempre deste senhor:

tableman.jpg

Eu sei que cada artista têm a sua maneira de se expressar, a sua marca, assinatura! Provavelmente o senhor inspira-se mais de piloca ao ar, apanha melhores ângulos, a criatividade flui de outra maneira... Quem sabe! Por isso olhem... aprendam com esta malta, não facilitem! Podem andar com as miudezas a apanharem ar fresco, agora vejam é se realmente as querem partilhar com o restante povo, desta maneira sorrateira.

Imagino que este anúncio de venda de mobília, tenha tido mais visualizações do que as peças das caldas. Será que conseguiu vender a mobília ou arranjou um emprego em outra área? Fica a questão no ar.

Tuga que é tuga...

08.01.20, Peixe Frito

Esta não esperava eu.

- Rabinho pequeno, queres pizza ou feijoada para comer?

- Feijoada.

Ora... era suposto uma criança preferir pizza, ou não era? Pois, naturalmente seria. Só que não. A criança prefere a bela da feijoada invés da pizza. Quando está no sangue, está no sangue. Nada a fazer. Eu não a condeno... eu sou igual. Não há feijoada igual à da mãe Peixa. Todas as gerações concordam. Venha a pizza que vier!! Pizza é para meninos-de-coro, pá! 

Anda por aqui uma descompensação qualquer ou então é a ressaca do Ano Novo, a bater.

03.01.20, Peixe Frito

Moscas há muitas. Ui se há. Imensas criaturas aladas. Será de esperar que quando esses boings-que-azucrinam-a-malta nascem, já saibam voar. Okay, ali um voar desengonçado ao início, enquanto esticam as asas, ainda não se dão muito a acrobacias, mas que pelo menos saibam levantar vôo e aterrar. Só que não. Hoje estava eu a ser escrutinadamente arreliada por uma mosqueca piquena: voa à frente das minhas lunetas, voa para a direita, para a esquerda, de frente para mim e desvia-se ao último segundo antes do impacto, ora de volta do teclado, ora de volta da chávena do chá... a tipa estava em alta. Parecia um test drive moscal. Toda alegre da vida. Até que decidiu pousar. Ali vai ela, toda lampeira e de peito cheio de me andar a fazer rasas, vai a pousar e não é que... capotou. Um momento a "Sai da frente, Guedes" versão mesa de madeira. Escorregou, meteu mal a pata, sei lá eu. Só sei que estava a olhar para ela e ela vai de ficar de barriga para cima. Patas a dar a dar, freneticamente e lá se vira. Nada aconteceu. É que nem foi com ela. Abanou as asas e vai de dar corda aos sapatos. 

Se me contassem, eu não ia acreditar. Mas alguma vez, mosca que se preze, não sabe aterrar?? Aonde este mundo vai parar... Ou esta têm o chip queimado ou avaria no software e precisa de ir para a garantia, porque de facto, esbardalhar-se daquela maneira... É só dar má fama e mandar a reputação das moscas, para a lama.

Até me deu arrepios-de-vergonha-alheia.