Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

O síndrome da bigodaça.

frito e escorrido por Peixe Frito, 12.06.12

 

 

  Após uma desgastante e persuasiva pesquisa de mercado, onde algumas pessoas tiveram de fugir como se não houvesse amanhã e outras viram que não tinham outro remédio senão contribuir, na vã esperança que eu desaparecesse, cheguei à conclusão do impacto que uma bigodaça, farfalhuda a parecer um piaçaba ou enroladinho que nem um caracol de pastelaria, pode ter numa pessoa, ou nas pessoas que co-habitam com essa dita pessoa bigodal.

  Não me refiro ao dito bigode e aos inúmeros devaneios que o mesmo possa causar:

  - Jaquim, é preciso tirar aquela teia de aranha ali do canto, será que podes tratar disso? É que não chego lá...

  - Ó Maria, é já a seguir!

 

  Ou noutros casos:

  - Ó Manel, corta-me lá esse bigode, que mais parece que ficaste com o espanador colado à cara!

 

  Ou ainda:

  - Olha olha... Que se passa na tua cara pá?

  - Como assim??

  - Tens aí um bicho morto!!

 

  Ou até mesmo:

  - Que rico almocinho hoje, hein?

  - Então... como sabes tu que almocei eu hoje?

  - Oh... Óbvio! Tens um pedaço de costeleta de vitela armazenada no bigode. E foi com batatinhas a acompanhar, sim senhor, muito bem!

 

   Refiro-me especificamente à ausência do mesmo. O quê?? Dizem vocês. Pois bem, meus caros. Pior do que um bigode capaz de fazer de lianas para o Tarzan ou de chicote para o Indiana Jones, é mesmo estarmos habituados a ver uma pessoa de bigode, durante tempos e tempos, e depois dar-mos de caras com a mesma pessoa, mas sem bigode, e termos uma reacção estranha. Nem é o não reconhecermos a pessoa. O mal é quando nos dá um ataque de riso parvo.... Como é o meu caso. 

    O pai Adamastor usou bigodaça durante muitos anos. Aliás, era eu uma tenra alevim e o pai Adamastor usava a sua bigodaça preta com orgulho (hoje em dia, se a deixasse crescer, era mais a arraçar o zebra, preta com riscas brancas) até ao dia em que se lembrou de mudar de visual. Ainda hoje me lembro do que senti quando o vi, o espanto porque sempre o tinha conhecido de bigode, e a crise de riso que se sucedeu após o dito, que perdurou uns tempos. Para terem noção, ainda hoje esse momento é recordado, com umas risotas a acompanhar, tal foi o impacto que essa mudança teve no aquário.

    Tão mau quanto a risota trocista, é o facto de não conseguirmos despegar os olhos da pessoa e pensar: «Possas, afinal aquela pessoa sempre tinha lábios e boca, não era só queixo.» Sim, em muitos casos, parece mesmo que o bigode têm vida própria e fala e tudo.

     E há outros, que metem verdadeiramente medo. Parece que nos vão agarrar, parecem bracinhos a esticarem-se quando passamos e que vão enrolar-nos nele que nem uma aranha faz com a teia. Imagino a quantidade de laca que alguns senhores gastam, quantos arames e quiçá que outras estruturas de fixação existem por debaixo do que aparentemente é um simples bigode. Nunca se sabe.

     Medo. Tenham muito medo.

Será que é só a mim...?

frito e escorrido por Peixe Frito, 09.05.12
   Eh pá... Porque será que me deu uma vontade de comer gelado perna-de-pau, quando vi este equipamento? 
   Se os calçanitos fossem castanhos então...!
   Até se lê a legenda: "Iééé nós adoramos pernas-de-pauuuuu"!! 
   Sim, que o factor de estarem a segurar na taça nada têm a ver com estarem a festejar uma vitória, mas sim, porque têm a taça cheia de pernas-de-pau.

Coitadinhas das traças...

frito e escorrido por Peixe Frito, 08.05.12

   Ouvi dizer que "a cor comeu o cortinado".

   É a crise. Até a cor já anda em total desespero e a fincar o dente aos cortinados. Deve ser um bocadinho indigesto... Mesmo assim, que danada. Então anda-me a comer o cortinado? Não podia comer outra coisa qualquer? Sei lá... algo útil, como uma camisa hawaiana, um fato de treino de cores fluorescentes ou uma fotografia do Humberto Bernardo.

   Sol, vê lá se apareces para comeres a cor, porque senão, pelo andar da carruagem, ainda fico sem cortinados no aquário, e isso é que não pode ser.

Nota-se perfeitamente o bom resultado que estão a ter.

frito e escorrido por Peixe Frito, 30.04.12

  Ando a tomar uns comprimidios naturais. Nada de anormal, somente a quantidade de água que já é bem menor que a habitual, mas é assim, há que poupar, não posso andar sempre a beber cinco litros de água por um comprimidio de 5 mm de diâmetro com a crise que aí anda. Estes comprimidios são mesmo bons, fazem com que não me babe tanto, com que não tire macaquinhos-do-sótão durante o tempo que estou parada no trânsito, nem sequer que tenha crises de parvalheira aguda. Mas nem tudo são rosas...! Sim... que uma pessoa toma aquilo na esperança daquilo ser tão bom quanto os produtos feitos à base de baba de caracol, e fica com um hálito péssimo a peixe. Parece que andei a beijar um linguado!

  Raios partam. Se não é do mal, é da cura!

Apanhados com as "calças na mão"!

frito e escorrido por Peixe Frito, 17.04.12

   Efectivamente, qualquer sítio serve para um devaneio. Costuma dizer-se que "olha, foi à casa-de-banho e veio de lá com uma ideia nova", e eu não podia estar mais de acordo. Não propriamente porque vou para a poltrona tentar inspirar-me em caso de bloqueio - mental meus caros, mental, sim que a musa às vezes decide ir para a copofonia invés de um simples café e nunca mais aparece - mas porque com alguma frequência, mais do que a desejada, dou por mim a ter devaneios.

   Estou eu num momento zen... e oiço um avião a passar. Bem... que barulhão. Sacana deve de estar a sobrevoar a área bem baixo. Raios o partam. (pausa) Pronto. Momento já a começar a roçar o tornar-se de parvalheira. E... já está.

    Alguma vez alguém pensou, em rebentar uma guerra e vocês estarem nesse preciso instante, na casa-de-banho? Ou um avião entrar pela vossa casa a dentro e pronto... vocês na poltrona?

    - Eh pá, tréguas pá, tréguas...

    - Que se passa? Não podemos invadir o país??

    - Espera lá só um bocado, que a criatura está na casa-de-banho pá..

    - Oh... E demora muito?

    - Ui... Olha que pelo andar da carruagem...

    - Posso ir fumar um cigarrinho?

    - Sim, e até bebe um cafézinho, se te apetecer. 

   De modos que é isto. Já sabem, aqueles que gostam de fazer serão a ler a revista Maria, qualquer dia não se admirem, que é dia santo.

 

   Ui... Sabem qual é a banda sonora perfeita?

   "Anda comigo ver os aviões", se bem que o ambiente e a paisagem não é a mais romântica, mas o que conta é a intenção.

Wild thing... (raaaaaaaaawwwww...!!!)

frito e escorrido por Peixe Frito, 13.04.12

  Há mulheres que são muito cuidadosas com a sua imagem e, naturalmente, outras nem por isso. É como tudo. Por exemplo, há mulheres que todo o santo dia se têm de encher de base e quilos de maquilhagem, que não saem de casa sem ser de sapatos de salto alto, com o seu cabelo ultra penteadinho, e eu há muitos dias que nem sequer me maquilho, não gosto de usar base pois fico a parecer a bela adormecida, o meu cabelo olhem deixem lá que é encaracolado, sempre fico com um ar wild ou não e nos dias de vento até dá jeito ser assim, adoro andar se bem que no fim-de-semana com as minhas sabrinas às caveiras - não sou desleixada, por vezes bastante descontraída. 

  Isto tudo para dizer o quê? Porque há mulheres que, apesar de não serem "pindéricas" no que toca à sua imagem exterior, primam muito pela beleza, qualidade e condições da sua lingerie. Ahhh lingerie... Uma gaja perde-se nas lojas de lingerie, é um facto. Os gajos então é que ADORAM lojas de lingerie. Nota-se logo pelo "povo" em frente às ditas lojas, mesmo descomprometidos, alguns velhadas e muitos sem gajedo agregado. Sim, que nessas lojas os "apêndices" não querem ficar à espera da sua gaja à porta da loja, entram também. Porque será?? I wonder... Bem, adiante. Há mulheres que não têm um cuecal mais velho, gasto, a desfiar-se, debotado, na sua gaveta - da cómoda ok?? - Ao contrário do que possam pensar, não é propriamente porque têm vergonha de abrir a gaveta em frente ao namorado ou ao affair e que eles acabem por pensar «wtf?! Aquilo têm pior aspecto que a porra!! Parece os desperdícios para limpar as jantes do carro» e levarem com um olhar de «shame on you, missy!», mas sim porque não querem ser apanhadas com cuecal "podre" em situações de emergência. E não, não me estou a referir a uma situação romântica fora dos planos, se bem que não era bonito, nem sexy nem atraente estar a usar um cuecal velhadas e a pedir reforma numa situação on fire - se bem queeeee até uma vez por outra poderia dar jeito, não é de apreciar lingerie a ser danificada pela ansia do momento. A lingerie está cara, meus meninos!

  Já me confessaram que o dito bom aspecto da lingerie é ultra fulcral. Imaginem: Por algum azar, vão parar ao hospital. Maior azar ainda, terem de vos rasgar, cortar a roupa porque estão meeeeesmo mal. Olhem a vergonhaça, de terem as meias com batatas, as cuecas a desfiarem-se e o soutien todo empenado. Ah pois é...

   Mas tão importante quanto o bom primor da lingerie, é também não se excederem nem nos padrões, nem nas rendas, e nem noutras coisas ultra pindéricas - convenhamos há lingerie que eu nem sei como alguém veste aquilo. E olhem que não sou de preconceitos.

   Imaginem a mesma situação acima descrita: Vão parar ao hospital. Ou nem é preciso ser no hospital, basta serem socorridas pelo INEM e estarem a ser assistidas na ambulância. Confusão total, vocês estão quase a ir dar um passeio ao jardim das tabuletas. É necessário e imperativo que vos cortem a roupa... "OMG!!" Exclama um dos paramédicos. "Que se passa?? Algum ferimento onde dá para ver uma vértebra??" exclama outro paramédico, que entretanto tinha desviado o olhar a preparar as ferramentas necessárias para vos socorrerem. "Nãoooo... Olha só!!" O outro paramédico vira-se e exclama: "wooooow...!! Eh leoooooaaaaaaaaa!! (raaaaaawwwww)" "Já viste, já viste? Uiiii que maluca... deves ser fresca deves!!" "Bem... era a loucura!!".

   Nunca fiando.

   É como pensarem que têm de ter sempre, sempre e sempre a depilação feita, também pela mesma razão.

  Quanto a mim, isso não me aquece nem me arrefece - não fico com insónias porque não sei o que acontecerá amanhã ou durante a noite, só porque tenho de ir fazer a depilação que já está na altura. Não estou propriamente a queimar neurónios a pensar que os paramédicos ou médicos ou bombeiros ou o que seja, se vá preocupar em ver a lingerie tigresa da gaja, as rendinhas e transparências, que vá andar a contar as batatas dos dedos dos pés, ou recusar-se a assistir alguém porque mais parece o Chewbacca em zonas corporais específicas e delimitadas.

   Obviamente, cada um sabe de si... Cuida-se e trata-se como quer. Se bem que algumas deviam de ser proibidas sequer de ir à praia, que metem medo. Até os peixes assustam e afugentam as alforrecas e os tubarões - é a única coisa de positivo. Até os nadadores salvadores se recusam em ir salvar essas pessoas em caso de "afogamento", não vão eles ficarem também presos nas "algas". E depois quem é que socorre o nadador salvador ou como diz a mãe Peixa, o banheiro?? Há que ter noção das consequências dos nossos actos!

Estou em devaneio total

frito e escorrido por Peixe Frito, 09.04.12

  Este fim-de-semana observei atentamente as pessoas que me rodeavam. Encontrei criaturas do mais incrível que existe - que pensava que apenas existiam no meu imaginário, em filmes como o "Never Ending Story" ou em programas como "A casa dos Segredos", mas afinal não. Desde me ter equivocado e ter pensado que estava a ver algum membro dos LMFAO tal era a vestimenta - contive-me a tempo porque ia pedindo um autógrafo - a ver personagens que tinham um decote maior que o caraças, másculos muuuuito másculos mas sem pêlos no peito, imaculado com um crucifixo ao peito, mas que depois nas costas esqueceu-se que tinha lá um "tapete" de pêlo comprido... parecia que tinha lianas e olhem que dava para fazer umas tranças quase tão grandes como as da Rapunzel- «é nas costas, ninguém vê» - M-E-D-O. Emocionante, como podem calcular.

 Também assisti a uma cena de violência doméstica: um pato e uma pata zangadíssimos um com o outro, levantaram vôo da água, molharam o pessoal que ali estava (eu incluída, quero pensar que era somente água e não água com aditivos). Começaram a voar de um modo gracioso, a fazerem razias às árvores e a grasnarem ferozmente... Romântico. Muito romântico. Ela devia de estar com dores de cabeça, pelo que me apercebi, e ele queria que ela lavasse a loiça. Como ela não estava a ceder à vontade dele, pimbas, vai de lhe arrefinfar. Por falar em patos... Vocês sabem o que acontece quando um elefante se apoia numa pata? Não?... O pato fica viúvo.

  Também fiquei a saber que quem usa caveiras é muito wild. Seja nos desenhos animados em que os rufias usam todos caveiras nas tishértes, ou até os xunings que têm caveiras em chamas na traseira dos seus nada pirosos supé veículos. Resumindo: I'm a wild thing, ah pois é :)

   E a Páscoa? Ui a Páscoa... Sou eu a única a achar estranha uma época em que um coelho põe ovos, invés das galinhas? - Se forem ovos kinder a conversa é outra.

   E é assim... Pronto, era só para partilhar. Bem hajam.

   

Que coisa pá!

frito e escorrido por Peixe Frito, 27.03.12

  Há pessoas com o péssimo hábito de aplicarem a palavra "borda" ou "bordas" a tudo. É a borda do tabuleiro, a borda da mesa, a borda da televisão, a borda do material, as bordas da imagem, a borda da janela, a borda disto, a borda daquilo...

   Sabem que mais? Olhem borda da borda pá.

Que Deus me salve a alma, que o corpo já foi!

frito e escorrido por Peixe Frito, 19.10.11

   Que raio de mania que tenho, de que cada vez que encontro um cabelo na roupa (meu convém frisar), o pego pela pontinha, e vai de o balançar, assim tipo mola?

    Há quem tenha fetiches com cabelos, é certo, mas não, não é o meu caso. Puro e simplesmente, a humidade outonal que já se faz sentir no ar (e nos ninhos-de-ratos), começa a mostrar sinais do ar da sua graça nos efeitos colaterais que se evidenciam nesta cabecinha, nomeadamente, fazer da própria juba que deu em debandada, uma mola orgânica.

Confesso-me...!

frito e escorrido por Peixe Frito, 06.09.11

  Se há coisa que eu tento não fazer é... Abrir um figo antes de o comer. Garanto-vos que na maioria das vezes em que o faço, a probabilidade de o comer reduz drásticamente. E "porquê", perguntam vocês? É que se quiserem comer carneiros, nada melhor do que um figo, que são uma mina deles. Eu não desgosto de carneiros... Mas assado no forno com batatinhas a acompanhar, não daquelas criaturas "pseudo-aladas"!

   Acho que ando com um trauma com carneiros da fruta... cheira-me!