Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Cabecinha pensadoooooora!

16.07.19, Peixe Frito

Ora, eu adoro beber água. Passo a vida a beber golinhos de água e a minha verdadeira desgraça, é ter uma garrafa de água ao pé de mim durante o dia, pois é certinho como o sol que quase de uma virada - a Peixa é amiga cá da maltaaaa e vai beber este copo até ao fim (até ao fim!) - derreto com o raio da água toda em três tempos, pelo que, já que enfardo água como se não a visse a vida inteira e fosse novidade exótica para mim, meto lá dentro especiarias ou frutos, de modo a usufruir das suas propriedades ou para aromatizar a água. Porém, não meto dentro de filtros, por isso imaginem aquilo ali tudo na pura da loucura dentro da garrafa - sejam cascas de limão, laranja, sejam pedaços de ananás, de gengibre, folhas de hortelã, pedaços de pepino, cardamomo, é o que for e me der na telha de por lá dentro e vai de embutes.

Quando vou beber, torna-se complicado. Sou eu a tentar beber sem engolir um pedaço do que for - como a fruta da sangria, basicamente - Mas eu gosto de um bom desafio! Como não filtro a água e aproveito o que lá está dentro para aromatizar mais águas quando faço o refill durante o dia - sei que o sabor à terceira já não é igual, mas aromatiza na mesma alguma coisita - tive de arranjar um esquema de não petiscar uma casca de limão ou pedaço de gengibre: uso os dentes como sistema de filtragem! Ah pois é! Quando estou a beber e reparo que algo vêm a tentar, sorrateiramente, dar de fuga de dentro da garrafa, posiciono a minha maravilhosa dentição, de modo a beber água na mesma - embora o fluxo reduza um pouco - sem correr o risco de ir alguma coisa pela goela abaixo, indesejada. Sei que faço um bocado figuras, mas é tranquilo.

Sorte que não tenho hábito de beber água gelada, tempero sempre - com um pouco de sal e tal. Estou a brincar! - com gelada e natural, de modo a não congelar o cérebro e ter um congelamento dentário, capaz de me encolher toda que nem uma uva passa.

Sempre a engedrar esquemas. Mas é assim! Adaptar para sobreviver! Afinal de contas, é a isto que se chama evoluir, correcto? 

E há alguém por aí que tenha arranjado um esquema para estas situações ou sou só eu que faço isto de mandar tudo para dentro da garrafa e é um Deus nos acuda?

 

Obs.: Eu sei que existem garrafas com "cestinhos" onde podemos colocar as cenices e impedir que elas nos venham tentar estrangular por dentro, porém, eu utilizo garrafas que já tiveram outras funções e cujo destino seria irem parar ao lixo.