Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Cada figurinha...!

06.09.19, Peixe Frito

Já mencionei por aqui várias vezes, a situação de uma pessoa acordar de manhã e ter a marca quer dos bordados da fronha na cara, como os vincos dos lençóis por todo o corpo. Ficamos a parecer que temos desenhos abstractos na pele. Os que normalmente mais me aborrecem, são os da cara. E ainda mais, quando estas cenices só se lembram de ficar mais vincadas, profundas e difíceis de disfarçar - mesmo depois de tomar banho, massajar, pôr creme e, em último recurso, até tentar esticar a pele a ver se o vinco esbate - nos dias em que uma pessoa se atrasa!

Pois está claro, foi o que me aconteceu ontem. Parecia eu que estava coberta de tatuagens arborígenes, pela cara e pelos braços todos. Pensei que aquilo ia amenizar nos entretantos de me despachar, mas não me podia estar a iludir mais. Principalmente quando me olhei para o espelho, depois de vestir um vestido cai-cai e aquilo ficava mesmo mas mesmo evidente. Sou honesta. Se fosse directamente do aquário para o trabalho, que se lixasse lá a cena. Queria lá eu saber que os meus colegas vissem em primeira mão as marcas, provas, evidências ali à flor da pele, em como sou vítima de violência electrodoméstica, por parte dos meus lençóis e almofada. Os sacanas devem achar, "ah vais levantar e vais-nos deixar?? Então deixa lá, que te vamos deixar tooooooooda marcada. Vais lamentar teres de ir trabalhar e deixar o conforto da caminha!!". Bandidos. Dá-lhes uma pessoa banho e põe amaciador cheiroso na lavagem, os engoma e arruma e depois são assim. Uns ingratos!

Bem, adiante. Então, soluções Peixa? Dado que tinha de ir abastecer o peixmóbil a um posto de abastecimento bastante movimentado a aquela hora da manhã? Só me restou por os óculos de sol - como os elefantes a descerem a colina para ninguém os reconhecer - e vestir um casaquinho curto, de modo a tapar os braços. E está composta a cena!!

Só é pena que têm estado um calor do caraças - o universo e o seu sentido de humor mais o pandam com os meus lençóis maquiavélicos - até de manhã uma t-shirt de manga curta, aquece. Agora imaginem eu de casaco. Casaco... Casaco!!! Fiquei a pensar que viesse o diabo e escolhesse... ou andava com os rabiscos ao ar ou passava por maluquinha da tola, por andar de casaquinho sem estar frio nenhum e nem soprar um bafinho que fosse de vento.

Mal por mal, estava de óculos escuros por isso... Ninguém me deve ter reconhecido!! 

6 comentários

largar posta na fritura