Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Desafio Arte e Inspiração | 5.a Semana | Análise a "El Sueño" de Frida Kahlo

13.10.21, Peixe Frito

22170976_Ak6mO.png

"El Sueño" de Frida Kahlo

Bem vindos meus queridos, riquezas, pãezinhos com chouriço assados em forno a lenha, à edição desta semana da rubrica "Arte e Inspiração" a qual já vos é como pão para a boca, daquelas coisas que ao início se estranha e depois se entranha e, quando dão por vocês, aguardam impacientemente pelas 4.as feiras da vossa vida, para se virem deleitar com as ideias, pensamentos, cenaices, que por aqui se debitam, ao analisar uma pintalgada famosa, a fim de todos entendermos melhor o que vai por detrás dos bastidores de cada inspiração que deu origem a qualquer coisa, pronto, como sabemos. Musas... É mesmo o que se lhes dá na telha! Ora, os rabiscos desta semana - cuja selecção é sempre justa e correcta, se recorrendo a randomizer's, para que ninguém se ache mais ou menos do que os outros - pertencem à senhora que deveria de ir muitas vezes à pedicure, falo de Frida Kahlo, mais a sua pintalguice "El Sueño". Vamos lá a isto então, que tenho afazeres na agenda a gritarem por mim e eu a fazer que não os ouço.

Começo já por observar uma coisa: assim é difícil fazer análise a uma pintalgada quando a mesma apresenta uma cama e uma pessoa está aqui quase com palitos nos olhos, a ver se os mantém abertos e não cai para o lado a roncar que nem uma porca em um batatal! Tenho de ter uma conversa de pé-de-orelha mais o raio do randomizer, que anda a randomizar as coisas assim muito à sua vontade. Não pode ser! Ora...!!

Já depois de ter molhado a cara à gato a ver se abro a pestana, constato que a artista deveria ser fã da Guerra das Estrelas: aquelas nubes de fundo são imensamente sugestivas, principalmente uma que remete a um Storm Trooper. Ou quem sabe, tinha algum fetiche ou era apaixonada por fardas, sonhando assim profundamente com o seu crush. Em uma vertente muito menos agradável, a sensação que me dá é que uma pessoa nem pode estar a dormir descansada sem que não haja ali algo a observar-nos - creepy, né? bastante.

Na onda do soninho e das noites mal dormidas, é latente que a artista queria mesmo era dormir. Dormir tanto e ficar ali a fazer companhia aos lençóis e a confidenciar com a almofadas de tal maneira, que até criava raízes. Eh pá, se calhar andava com algumas insónias, quiçá a pensar no Storm Trooper, ou andava com o sono atrasado precisando de uma cura de sono ao estilo urso a hibernar, porém, sou apologista de que algo muito estranho se passa naquele quarto. Não consigo deixar de ficar a franzir o sobrolho à adaptação de sobrevivência e à evolução dos tempos, que os monstros conseguem ter na nossa vida, para nos continuarem a morder os calcanhares enquanto dormimos o sono reparador de beleza ou estamos a tirar uma sestinha leve... ou neste caso específico, não os calcanhares mas os calos. Sim, porque é de conhecimento geral, que os monstros se encontram debaixo da cama e não em cima. Nota para mim: Não comprar um caramanchão. Além do pó, os monstros acham que têem uma cama de rede e invés de se manterem debaixo da cama como requisitos no protocolo, põe-se a inventar, e sobem para cima da mesma. Olha que aquele tecido rompe e o monstro andar bem nutrido? Uma pessoa acorda ali esmagada, com os olhos de fora, com o balofo do bicho em cima de nós! Mas isto lá é coisa que se aceite? Óbvio que não!! Se bem que no caso da cama desta senhora, é tudo em madeira: esperto, o bicho. É que assim lá em cima da madeirinha, nem a moça o vê e aquilo até é mais estável e ele pode recarregar as suas pilhas à vontade e até continuar com o seu hobbie favorito, que é fazer arranjos florais. Com tanto tempo livre, me parece bem que ele ambicione ser algo mais do que um monstro que assusta as pessoas nos seus sonhos, enquanto elas dormem. Notavelmente um monstro ambicioso e que quer subir na vida - e subiu. Para cima da cama (*som de tambor*) eishhh que esta foi muito fácil, nóssa senhora - Denote-se ali a inteligência da senhora que, para se proteger mais das visitas dos monstros nocturnos, fez para ali uma espécie de casulo a protegê-la, fazendo com que os bichos ou ficassem emaranhados ou se picassem nas plantas. Se fosse eu, enrolava-me em plástico bolha e depois em hera venenosa. Eles iam ver como é que elas mordiam e com quantos paus se faz uma canoa! Devem-se achar, os malandros!!

Não posso deixar passar, o quanto emana aqui uma situação que é retratada e ignorada: os sentimentos. Sim, apesar de estar a violar as condições dos contractos dos monstros estando em cima da cama e de ter como hobbie fazer ramos de flores, eu tenho de o dizer... o monstro está apaixonado pela moça. Ah está sim senhor! Olhem bem para ele: com um raminho ao peito para dar à sua amada, sossegadinho a aguardar o momento certo para lhe dizer o que lhe vai na bateria - ou pilha... que aquilo confunde-me um bocado. Um monstro a pilhas? Isso não é nada eco friendly além de que se uma pilha rebenta e começa a largar ácido, corroendo tudo ali por onde passar, dá uma bodeguice danada, é bichos da madeira desalojados, é a moça com os pés de fora e a enregelar, enfim, uma trabalheira.

Resumindo e no geral total da situação e mix de informação - que totalmente suporta a minha teoria que a moça só ficava a ganhar se tirasse uma sestinha - é uma pintalgada que nos faz sentir muito coiso, com referências bastante a qualquer coisa, bem como ali se nota a reflexão de não-sei-quê, no momento em que efectivamente e deliberadamente, coiso. E eu acho que concordam plenamente comigo, não é verdade? Pois é.

Eu bem que molhei a cara com as pontas dos dedos para não fazer rugas na minha maravilhosa pele, mas o raio do João Pestana não me larga a labita. Por isso hoje ficamos por aqui, para a semana há mais rubrica para esfrangalhar a pintura de algum magnífico artista. Fiquem em tune e não percam!

Até para a semana!

Peixá Marie del Frite.

 

Ah, e aproveito para dizer que quem escolheu este quadro, fui eu.

 

* * *

Obs.: Sinto que o devo fazer pois amo arte do coração e respeito à brava todos os artistas: este texto é meramente com intuitos humorísticos, embora possa não ser apreciado por todos (é assim... temos pena). A arte é mesmo algo lindo e maravilhoso, que nos enriquece a alma nas suas variadas maneiras. O meu verdadeiro apreço aos artistas, qual seja o seu tipo de arte. Eu, incluída.

* * *

No desafio Arte e Inspiração, participam Ana D.Ana de DeusAna Mestrebii yue, Bruno EverdosaCélia, Charneca Em FlorCristina AveiroFátima BentoImsilvaJoão-Afonso MachadoJosé da XãLuísa De SousaMariaMaria AraújoMiaOlgaPeixe FritoSam ao LuarSetePartidas

18 comentários

largar posta na fritura