Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Desafio Arte e Inspiração | 6.ª Semana | Análise a "O Sobreiro" de Rei D. Carlos de Bragança.

20.10.21, Peixe Frito

22174787_TGYhU.jpeg

"O Sobreiro" de Rei D. Carlos de Bragança

Olá olá, coisas lindas e boas, airosas e frescas, pérolas e regalo para os meus olhinhos de boga! Cá estamos nós no sítio do costume, a fazer o costume e... (*momento de pausa a reflectir*) (*...*) (*encolher de ombros*) como costumeiramente a fazer algo digno, que contribui para a sociedade activamente. Hoje sem muitos fu-fus e gaitinhas, vamos lá a "andar andar" a apresentar a pintalguice que lhe calhou o brinde na embalagem das batatas fritas, falo de "O Sobreiro", rabiscado e colorido pelo Rei D. Carlos de Bragança. 

Como hábito, vamos lá a sorver o que a imagem emana (ainda bem que é imagem. A julgar pela localização, devem haver uns mémés por ali a pastar nas redondezas e que deixam um rasto - não de migalhas - de "conguitos" orgânicos e aromatizam o ar com aquele cheiro característico, que não é a flores - só daquelas degradadas e digeridas e expelidas - nem a coisas apetitosas, que aquando o sentimos, nos apetece logo ir banquetearmo-nos efusivamente de um bom prato de peixe frito com arroz de tomate ou saltar pelos campos floridos, a cantar a música do filme "Música no Coração" - #sóquenão). Logo assim de caras, há um sentir de marasmo, fuga, de alguém apanhado de calças na mão. Ora, a sério que com tanta coisa mais rica para pintalgar, o senhor foi logo bater os olhos em um sobreiro? A julgar pelo ar semi desnudo do coitado, cá para mim isto foi mas foi tudo uma analogia a alguma senhora que andava ali pelas redondezas e, para não dar barraca nem bandeira, sua realeza decidiu disfarçar e homenagear a moça de modo indirecto, pintando um sobreiro com ar de quem a roupa encolheu depois de ter sido lavada na máquina e não no programa dos delicados (Obs.: okay, eu adapto: foi esfregada nas pedras do rio invés de no tanque e com muita força, com água muito a escaldar em contraste com a água fria do rio, as vestes até se encolheram todas que nem um dedo queriam pôr dentro da água) ou que gosta de usar as t-shirts que voltaram à moda, de umbigo à mostra para mostrar o piercing (nesta altura ui, devia de ser uma modaça daquelas, umbigo à mostra e piercings! Imagino!! Iam logo secar as peles na fogueira, no meio da praça), ou até eventualmente dado o quente que se faz pelo interior, onde estas espécies são mais características, há ainda a opção de que provavelmente a coitadita da árvore esteve no campo a fazer sombra à mémézada, não usou protector solar e, esquecendo-se de tirar a t-shirt nos primeiros dias de exposição solar, apanhou um escaldão e agora anda com bronze à camionista ou, como costumo dizer, anda sempre com a t-shirt vestida (é preciso amor à camisola. Pronto pronto, já chega eu sei. Mas é mais forte que eu). No fundo e traparias e bronzes aparte, seja porque a árvore talvez remetesse à sensualidade da senhora, por ser curvilínea, robusta, e dada a sua pose muito... como que alongada, torcida de ramo preso nos dentes...! - isto está a ficar muito sexual, só de surra - não posso deixar de observar de que belas dores nas costas, devem advir destas poses sexys e a esbanjarem charme. Até eu comecei a ficar com jipose, só de olhar, quanto mais. E aquele corte de cabelo... Deus nos valha. Espero bem que a senhora não tivesse aquele ninho de ratos como os ramos mal podados e mal amanhados, o sobreiro pintalgado têm. 

E pronto olhem, nada mais tenho assim a acrescentar, acho que aquele é um bom spot para ter uma casinha no monte bem como belo local para piquenicar uma pescadinha de rabo-na-boca frita, debaixo da sombra destas esbeltas árvores. No fundo no fundo, o senhor queria era pintar mas estava com uma lanza tão grande, que se deitou debaixo do sobreiro e ali ficou, a pintar o que havia mais à mão.

Por isso hoje ficamos por aqui, para a semana há mais rubrica para esfrangalhar a pintura de algum magnífico artista. Fiquem em tune e não percam!

Até para a semana!

Peixá Marie del Frite.

 

Ah, e aproveito para dizer que quem escolheu este quadro, fui eu.

 

* * *

Obs.: Sinto que o devo fazer pois amo arte do coração e respeito à brava todos os artistas: este texto é meramente com intuitos humorísticos, embora possa não ser apreciado por todos (é assim... temos pena). A arte é mesmo algo lindo e maravilhoso, que nos enriquece a alma nas suas variadas maneiras. O meu verdadeiro apreço aos artistas, qual seja o seu tipo de arte. Eu, incluída.

* * *

No desafio Arte e Inspiração, participam Ana D.Ana de DeusAna Mestrebii yue, Bruno EverdosaCélia, Charneca Em FlorCristina AveiroFátima BentoImsilvaJoão-Afonso MachadoJosé da XãLuísa De SousaMariaMaria AraújoMiaOlgaPeixe FritoSam ao LuarSetePartidas

26 comentários

largar posta na fritura

Pág. 1/2