Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Deve ser a pura da loucura.

14.11.18, Peixe Frito

Expliquem-me, qual a probabilidade de termos uma camisola interior, com borbotos por dentro da mesma e por fora, imaculada? Ainda se o interior fosse de pelinho, forrado a urso ou a carneiro, mas não... é exactamente do mesmo material que por fora, lisinho lisinho.

Fico a pensar, como raio se formam borbotos em camisolinhas de algodão. Só me faz suspeitar, do forró que não se passa por debaixo da minha roupa, entre a camisola e lingerie e outros apetrechos que possuo no corpo de sereia, enquanto estou eu, tranquilamente, a trabalhar ou a fazer outra coisa qualquer, sem dar conta de nada - agora pensando bem, isto de a camisola interior subir e eu ter de a andar a puxar para baixo a ajeitá-la, alças cairem e coisas do género, já começa a fazer sentido - É tanta rambóiada que até faz borboto!

Tenho de colocar uma camera de filmar oculta no decote, a ver se imponho respeito. É que assim não dá. Qual a graça de se vestir uma camisola, com borbotos por dentro? Mas têm alguma jeiteira? Claro que não. Fica a parecer que há milhentas pulguitas a passearem por dentro da roupa e afinal é um borboto, uma pessoa nunca está descansada, é só sentir mexer. Depois é só ver as pessoas a afastarem-se suavemente, a disfarçarem, de nós, dado que meia volta nos andamos a coçar ou a dar puxões na roupa, a fim de aliviar - discretamente, achavamos nós - a impressão.

Borbotos maléficos, pá.

34 comentários

largar posta na fritura