Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

É inevitável. Mais forte que eu!

24.06.21, Peixe Frito

Decididamente, por muito que eu me tente portar bem, com tino, juízo, a espontaneidade passa-me sempre a perna, uma rasteira, dá-me um calduço ou uma belinha na testa, me fazendo instantaneamente exercitar os músculos da cara fazendo uma careta qualquer, "cuspir", debitar, proferir alguma reacção, palavra, frase fresca e fofa que passou pelo detector e controlador de ofensas, ordinarices, pela triagem cerebral de não ser inapropriada ou inadequada. Porém estes sistemas de segurança que tenho implementados nesta maravilhosa marmita, devem muito à existência de manutenção e até à sua eficácia logo desde a sua formatação e codificação aquando a sua aquisição e instalação cranial. Pois, deveria de reclamar com o fornecedor ou com o programador mas então... É daquelas cenas que funcionam bem ao início mas que logo que o último dia do seguro passa, a cenaice azeda. Já não há nada a fazer, somente lidar com ela e aceitar a sua peculiaridade até ao fim dos meus dias.

Tanta palavra, muita conversa para encher choiro e não chego ao ponto da questão. Okay okay todos sabem que eu não aperto o casaco todo, não era preciso um parágrafo com tanta palavra linda e fofa e algumas eloquentes - tive de ir ver ao dicionário do tio google, para não mandar aqui um pontapé na construcção das frases e boa aplicação das palavras que aprendi no dia, já basta causar urticária na malta que escreve depois daquele terrível acordo ortográfico, continuando a escrever português como aprendi na escola aquática.

Eu até sou solidária com as pessoas, a sério que sim. Ouço, sou compreensível e amável, mas o diabrete que habita em mim é terrível e com um sentido de oportunidade, imaginação e humor, que Deus nos acuda.

- Peixa, sabias que o Zé foi parar ao hospital porque teve um acidente a fazer uma manobra de skate?

- Eita... Não me digas que o skate lhe foi ao rabo!!! - pronto... ora aqui está. Saiu o comentário e pelos vistos, alguém sofreu de uma inserção involuntária.

- Sim! O skate fez "cartão de crédito" e ele teve de ser cozido até no rego!

- Possa, isso é que foi violência! Até lhe rebentou o rabo todo, quase até às costas!!

Poderia ser uma conversa normal... sim, poderia. Mas este meteu-se a jeito. E literalmente! Tsc tsc diabrete da Peixa... andas a precisar de rédia curta.

Skates malandros... já não podem ver um bafunfo jeitoso, é tudo o que tenho a declarar, justificando assim, a minha inocência.