Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Eu a reflectir e não, não é no espelho.

frito e escorrido por Peixe Frito, 12.10.21

c5eabd71-0bee-412b-b269-92138d35622c_90_90.jpg

Por vezes reflito em certas coisas que me dizem, observam ou desabafam das entranhas, que eu - acidentalmente ou não - acabei mesmo por ouvir e reter nos macacos-do-sótão, tal como fita cola em um buraco de tanque de ácido. Sei lá eu se é de propósito, se acham que estou tão distraída atenta, boa ouvinte e sentem que me podem confidenciar que têem um cadáver no jardim a adubar as margaridas ou até como é o seu trânsito intestinal: é incrível como a balança consegue pender tão freneticamente e tão rapidamente de um pólo para o outro. Em um momento estou a ver pinguins e em outro... ursos polares em fato de banho, a bebericarem margaritas em cima de um iceberg. Como sempre, é válido.

Uma das coisas que me intriga nestes desabafos alheios, é a perspectiva que cada um têm de certas coisas. Ora, uma vez uma moça, a meio de uma conversa sobre não sei o quê - denota-se logo aqui que a minha atenção estava totalmente focada na conversa e nada a vaguear, com as orcas a nadarem de mão dada com as focas - que uma das coisas que lhe mete muito nojo - e friso a palavra "nojo" que ela disse aquilo com um tom, que me fez descer de onde quer que estivesse a velejar e de facto, olhar para ela com ouvidos de ouvir - é o cabelo espigado. Sim, cabelo espigado. Okay concordo que cabelo mal tratado até a mim me arrepia as peles, fico a pensar se não sai dali uma barata ou uma criatura morta ou uma mão que me vai agarrar e puxar-me me levando para o infinito e mais além ou uma fatia de queijo para o snack da tarde, mas nojo? Cá está a tal situação, todos tabelamos as experiências pelas suas próprias percepções, mas daí a cabelo espigado lhe dar nojo... E, óbvio, comecei a comparar com aquilo que pode realmente meter nojo: "Será que pontas espigadas é mais nojento do que olhar para alguém e ela ter a vela acesa, a sair do nariz?" "Ver górmito ou ouvir alguém a anunciar das entranhas aquele som grotesco que vai gormitar, é mais angélico, um som vindo do divino?" "Unhas grandes e amarelas, daquelas a cascar a competir com garras de águia e com cascos de vacas, serão bem apreciadas frente a cabelo espigado?" "Restos de pele morta, depois de se fazer a pedicure e ralar os calcanhares, mais parecendo bocados de casca de queijo, é mais aprazível?" "Cheiro a aroma da terra, quando uma casa-de-banho foi bem estrumada?" "Dar um beijo a alguém com mau hálito ou com alguma coisa presa nos dentes?" "Cotão no umbigo?" "Ainda não me ter saído o euromilhões apesar de eu não jogar?" Como podem calcular, a minha lista foi loooooonga. 'Bota longa nisso. E fez-me pensar que até eu às vezes tenho pontas espigadas. Portanto, sou uma nojenta, aos olhos daquela criatura. Não conta para nada o facto de até ser asseadita, tomar banho uma vez por semana e é à gato ou só passar por água, aparar os pêlos do nariz com uma serra eléctrica, cortar o cabelo aí de um par de anos em um par de anos, usar não sei quantos produtos que garantem que o cheiro e aspecto a falta de ser lavado se note, para que os caracolitos andem airosos e com menos ar de ninho de ratos e penteado à llama (sim, escrevi com dois "l" de propósito, para não ficarem a perguntar-se que raio lama têm a ver com penteado. Que amacia a pele, lá isso amacia, agora penteado à lama, se calhar os recos sabem responder a isso. Agora que penso nisso, deve ser bom para cabelos encaracolados, a julgar pelo rabito dos mesmos. Adiante!), tendo atenção inclusive à alimentação, de modo a que o corpo de sereia absorva o que é necessário para continuar a respirar e espalhar o terror por aí, albergando esta persona maravilhástica. Há quem diga que um dos meus males, é mesmo não ter levado umas chibatadas dos meus pais, quando era criança. E que, apesar de adorar animais e comer muito mais regime vegetariano, ainda não consegui dizer totalmente "não" a um coelho ao alhinho, grelhado no carvão, pincelado com azeite e ervas aromáticas. Basicamente, é tudo tabelado pelo mesmo, desde que tenha cabelo espigado. Ora, não me parece minimamente correcto. Unhas extremamente grandes que até fazem cócegas no cérebro quando vão tirar burriés isso sim, dá nojo, pois questiono-me sempre se aquela pessoa consegue limpar o rabo sem o fatiar ou fazer qualquer tipo de higiene ou coisa, sem ficar com carradas de nhanha e porcaria debaixo das mesmas. 

americana-entra-para-o-livro-dos-recordes-por-maio

(imagem palmada da net)

Sim, a imagem até foi simpática. Estas unhas apenas parecem galhos de árvores desgovernados, já vi coisas beeeem piores.

Posto isto, é assim a vida. Cada um nauseia-se ou enoja-se com o que quer, fazendo sentido para o outro ou não. Uma coisa é certa... que há pancadas bem fortes por aí, ó se há. Uma coisa que me iria dar imenso nojo era se fosse passar umas férias nas Maldivas, de papo para o ar. Ó que nojeira desenfreada, quais pontas espigadas qual quê, pontas espigadas é para meninos-de-coro.

largar posta no óleo:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.