Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Gosto de ser bem específica quando descrevo algo. Para não restarem dúvidas nem questões.

11.04.19, Peixe Frito

A partilhar com uma pessoa o quanto outra pessoa cheirava mal:

- Maria, o Zé Aníbal hoje cheirava mesmo mal. Deus me perdoe, mas cheirava mesmo mesmo mal!!

- A sério? Mas mal, quê? Tipo mal, de não tomar banho?

- Não... Mal de quando pões a roupa na cesta da roupa suja junto com as meias a cheirar a chulé e as cuecas a rabo, e depois a vais lá buscar, a cheiras e pensas «afinal passa e ainda dá para vestir mais uma vez» mal.

- Que nojoooooo!!!!

É né... Imaginem eu a agoniar e ter de disfarçar frente à pessoa.

Bolas. Têm chovido tanto e há tantas pocinhas aí pela rua, mas será que a pessoa não podia ter lavado a roupita ou até posto em sabão dentro de uma poça, estendido que a chuva passava por água e com o sol que meia volta se faz sentir, a secava? Ficava enxuta e lavadeca. Escusava de me vir deixar rasto de peúgo azedo, logo pela matina.

Este é o resultado, quando eu tomo o meu banho mensal. Como já não tenho o meu cheiro a camuflar, abafar o de terceiros, fico com olfacto de perdigueiro. Uma carga de trabalhos, é o que é.

6 comentários

largar posta na fritura