Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Isto sim, me faz temer pela minha integridade física.

16.05.18, Peixe Frito

A mãe Peixa com o mata moscas na mão. Não que ela alguma vez me tenha dado uma verdascada com o mata moscas mas é mesmo o perigo que ela constituí para a sociedade - antes fosse para a das moscas, mas nem por isso - com a sua aselhice. Têm a capacidade de acertar metros ao lado de onde a mosca está pousada. E de todas as vezes ela diz: "Não sei se lhe acerteiii!!" A que eu respodo: "Ela anda a voar mesmo em cima de ti." E é pegar no pacote das pipocas e assistir a aquele filme, da mosca frenética num pousa aqui, pousa ali, voar em círculos a dar um baile tremendo à minha mãe e às suas capacidades de exterminadora de moscas aladas, e a mãe Peixa, já em tentativa desesperada de acertar no animal feroz, começa a abanicar o mata moscas, tal abanico a ver se o lume pega no churrasco.

O mal no meio daquilo tudo, é que uma pessoa têm de estar a pau com aquele estandarte todo, não vá levar com uma arrefinfadela do raio do mata moscas na pinha ou levar com a mosca em si - sim... quando no meio da euforia a mãe Peixa finalmente acerta na mosca, é tipo raquetada: vai a mosca nas horas tipo bola de ténis... e quem leva com ela? Não custa muito a adivinhar.

4 comentários

largar posta na fritura