Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Vejam bem a mestria da macaca.

14.10.19, Peixe Frito
Ouvia um zumbido. Uma mosca andava algures no gabinete e eu não percebia onde. Era quase como se a mosca fosse invisível, mas o som, era de megafone. E vai de zumbir, e zumbir e zumbir. Após escrutinar todos (pronto, quase todos) os cms do gabinete, dei com a bicha. E onde estava? Há uma janela no gabinete e apenas abre de um lado (janela de correr) e eis que, observei que existe uma teia de aranha bem na zona de abertura da janela, colocada estrategicamente para não se danificar ao (...)

É como é. Não vou andar a florear a situação.

08.10.19, Peixe Frito
- Ó tia Peixa, a sério!! Mas como é que as aranhas fazem as teias de aranha?? - Olha, eu explico-te mas eu vou estar a falar a sério e não a gozar contigo... Por muito estranho que possa parecer o que te vou dizer. - (silêncio) - O fio sai do cú da aranha. E ela com baba e com as patinhas, vai tecendo a teia. Percebes? -... pelo cú? O fio sai pelo cú?? - Sim, pelo cú. Momentos de silêncio. Observa as teias de aranha no gradeamento das escadas. Até que: - Pelo cú tia Peixa?! E assim se choca uma criança, a ensinarmos como funciona a natureza animal, com a beleza na sua plenitude, de aranhas a tecerem teias, cujos fios, saem pelo cú.

Será que não posso estar um momento sossegada sem nada estranho a acontecer?

24.05.19, Peixe Frito
Estar a falar com uma pessoa e vejo uma coisinha assiiiim piquirritichinha, a descer à frente dos meus olhos e a parar. "Possa, estou a ver mal? Que é isto? Que raio?!". Abano a cabeça e aquilo continua ali, bailando mesmo na minha fuça.  É uma romela? É uma pestana? É um animal de grande porte lá muito longe, tão longe que parece uma fomiga? Muitas questões ressoaram a minha alma, naquelas fracções de segundo. Passo a mão a enxotar o que é que era aquela coisa e lá consigo (...)

Esta ainda não me tinha acontecido.

18.02.19, Peixe Frito
Ouve-se lá nos confins do aquário mor uma conversa entre avô e neta: - Vai pedir à tia Peixa, que ela ajuda-te. Passinhos pequenos e rápidos, em jeito de corridinha e oiço uma vozinha de quem me vêm cravar algo, versão gato-das-botas, mas vocalizado: - Ó tia Peixaaaa... - olho para ela e ela de beiço estendido e olhinhos de Bambi - tiras estas coisas da minha plasticina? A mirar a plasticina, na minha mão, vejo algo que parecem pedacinhos de ramos lá metidos. - A (...)

Cu-cuuuu! Não me consegues encontrar!!

07.01.19, Peixe Frito
Cheira-me que alguém preferiu não lavar os dentes a sequer pensar em por a mão na escova. Certamente, esta escova deve ter ido de encontro com o quentinho da lareira, mesmo depois de uma estadia longa dentro de um alguidar atestado de lixívia, a fim de acabar com quaisquer resquícios que a aranha possa eventualmente ter deixado, ao escovar as costas com as cerdas da escova. Uma coisa é certa! Lá que a bicha fazia a sua higiene, lá isso fazia. Agora no que toca a se esconder... (...)

E depois são as vacas que têm muito "leite"

27.12.18, Peixe Frito
Há criaturas que nem sequer têm a mínima noção da sorte que têm, da "cága", da vaca, da leitosa, da leiteira que por vezes a vida lhes sopra e nem sequer precisam de uma pata de coelho nem de um trevo de quatro folhas. Ora então, passo a relatar a sorte grande à qual assisti hoje. Para não variar, uma varejeirazorra arraçada de bóing, andava a azucrinar-me o juízo. Pimbas, de encontro contra o vidro do gabinete, mas o dom dela de atravessar vidros devia de estar sem pilhas (...)

Só me falta a verruga no nariz.

31.10.18, Peixe Frito
- Ó tia Peixa, o que é isto? - Diz-me a cú rabinho pequeno, sentada ao meu colo, a puxar uma das camadas da minha saia. - Então, isso é a minha saia. O tule da saia. Não vês que têm várias camadinhas? - Sabes eu tenho uma saia igual à tua mas é preta com bolinhas em laranja e eu vou usar para me mascarar de bruxa até tenho um chapéu sabes assim um chapéu preto também que depois uso tudo e levo para a escola uma saia assim igual à tua (sim... tudo num só fôlego, belos (...)

Daqui a nada está tudo a tirar os esqueletos do armário.

21.09.18, Peixe Frito
No meu caso, não preciso de tirar do armário, o meu esqueleto predilecto, está pendurado à entrada de uma divisão do aquário. E nesta altura do ano, em especial destaque, é pendurado à entrada. É digno de se ver, cada vez que eu abro a porta - o esqueleto está pendurado no endireito da porta da rua - e ver a cara da pessoa a olhar fixamente para o esqueleto atrás de mim, com a conversa primeiramente efusiva: oláá tudo bem?? para de repente passar para um: erm.. hum... sim... (...)

Ás tantas viu o pára choques e achou que era bom poiso para uns snacks nocturnos.

01.11.15, Peixe Frito
     Hoje tive direito a decoração de Halloween na minha viatura - não, não me refiro aos bichos mortos ex-alados que não sei como (cofcof) se encontram no pára choques do peixmóbil - ao vivo, a cores e... com muitas patas. Raios partam, não sei que se passa que a minha viatura têm a aptidão de atrair bicheza... mesmo durante a noite. Então não é que me estava a aproximar do peixmóbil e observei algo grande, em cima do vidro da frente. Conforme me ia aproximando, lá (...)

Que anjinho... Só me faltam as asas.

07.09.12, Peixe Frito
   Mas porquê, que cada vez que vejo uma teia de aranha com a dita aranha incluída, tenho sempre que lá ir espetar as escamas ou lá tocar com o que seja, só para ver a aranha a correr desenfreadamente para "caçar" a sua presa?     Há uns tempos, ia mesmo sendo filada por uma aranha... Espetei a minha escama na teia e pimbas, a aranha arranca a rasgar pano cá com uma velocidade, e não me apanhou a escama por instantes - amadora. Isto de eu andar a enfiar escamas nas teias (...)

Estou mesmo queimadinha...

21.03.12, Peixe Frito
   Não há dúvida que eu e os bichos, temos uma relação de proximidade muito grande. Onde quer que eu vá, pimbas, lá está um a empecilhar-me. Desta vez, foi um acaso do destino - ou uma alma com mãos de elefante - que nos colocou, a mim e ao bicho, nas mesmas circunstâncias:    Ora, lá vou eu lampeira para me ir embora de um local, coloco a minha barbatana na maçaneta, rodo, puxo amávelmente e a porta nada... "Oh então catano? Não abres??" Mais uma tentativa, até ia (...)

Oh.. Que penaaaa...!!

16.03.10, Peixe Frito
   Só para vos dizer que tenho estado de luto. Pois é, é verdade. Sabem porquê? Tenho uma triste noticia para vos dar... Olhei pela janela, e que vi eu? Um cadáver! Oh e de quem...? Do meu amigo. Fiquei tãããão triste... Sabem que pensei logo? "Toma que é para não me andares a tentar filar!!!".     Para os interessados, que queiram saber a causa da morte, foi mesmo uma aranha que (...)

Eh catano...!

24.08.09, Peixe Frito
   Há uns tempos atrás, tinha referido aqui na fritadeira, que me ia informar da quantidade de insectos que o ser humano ingere enquanto... dorme. Ah pois é... Leram bem. Enquanto dorme. Pensavam que eram apenas os chineses que comiam insectos, era? Vocês também já devem ter "morfado" uns quantos enquanto dormem! - Eu inclusivé, que não sou filha de nenhum doutor... Isto faz-me lembrar novamente as minhas aventuras com aranhas, mas adiante!!    Andei a pesquisar aqui (...)

"Como vai o tempo aí em cima??"

17.06.09, Peixe Frito
   Sinceramente, eu e as aranhas, as aranhas e eu, não somos assim propriamente amigas. Podia contar aqui mil e quinhentas coisas que já me aconteceram onde a aranha é a personagem secundária (eu sou a primeira, obviamente). Mas, existe uma situação que me acontece com alguma frequência: levar com uma teia na tola. Ah pois é. Eu não sou propriamente uma mulher alta, mas não sou assim também baixa (uau, bela conclusão, mais valia a pena dizer que sou de estatura média e (...)

Se há coisa que gosto de fazer...

17.06.09, Peixe Frito
   ...é apreciar uma teia de aranha. Sim, a sério. Acho mesmo as teias de aranha bonitas. Como um bicho tãão feio, consegue criar algo assim tão belo. Então quanto maiores forem, mais gosto de ver como foram tecidas.    Mas o que realmente gosto de fazer, mais ainda do que ver as teias de aranha, é espetar lá uma palha, ou até mesmo um dedo, e fazer de conta que sou uma mosquita tótó, que ficou presa na teia, só para ver a "jarda" com que a aranha anda, para (...)

Olha para aquilo!

03.06.09, Peixe Frito
   Ainda nem sequer é hora de almoço, e já se está a alambazar!     Está ali um alfinete (um tipo de aranha, com as patas muuuuuito compridas) todo contente a fazer a folha - neste caso é mais casulo - a uma traça que caiu na teia dele. Que selvajenaria! A natureza é mesmo cruel. Bem que lhe podia ter calhado um bife do lombo, mas não! Caiu-lhe ali uma traça gordalhufa, que só sabe é comer pano e roer papel. Deve ser cá um pitéu... um bocado insípido, não?