Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

19.10.18

Ando armada em gaja sensível, olha agora.

frito e escorrido por Peixe Frito

Então não é que a ver o filme de animação dos Trolls, me emocionei quando o Branch canta para a Poppy?

 Okay okay, não vou dizer que não me emociono com filmes mas com animações não costuma ser hábito, houve um que realmente me fez chorar - coitadinha da criança - data no ano de não sei quanto troca o passo, foi o "Em busca do vale encantado" e depois o "Fievel, um conto americano", nunca pensei que depois de adulta, ainda me emocionasse a ver filmes de animação.

Não há dúvida que ter crianças na nossa vida - nossas ou não - nos muda. Vou deixar de alinhar em se verem filmes de animação!! Olha agora, uma gaja madura a borrar o rímel, por causa de bonecos... têm alguma jeiteira. Faz-te gente, pá! 

27.09.18

É que é fatal como o destino.

frito e escorrido por Peixe Frito

Uma gaja andar a limpar e arrumar. Ufa! Tudo nos trinques e a brilhar. Vê-se um saquito pendurado, lá esquecido, com coisas dentro que podem ser arrumadas. Tira-se um saquinho e, tal como logo a primeira bola a sair do saco e à estreia, o escafandro do saco está roto e deixa cair pelo chão imaculado, bolachas e as respectivas migalhas, fazendo um autêntico campo de guerra e batalha campal.

Ora porra...! Não podia ter sido logo no início quando ainda estavam as coisas por limpar? É que o raio das bolachas até nem davam para aproveitar, moles e rafeirosas até mais não. Não felizes por já terem passado os seus dias de glória, ainda tiveram de me infernizar e fazer varrer o chão novamente, a apanhar os bocados das suas carcaças desmembradas. Como um mal nunca vêm só, está uma criatura a ferver a mandar os restos mortais das bolachas para o caixote do lixo, verificando que o seu chão está novamente todo airoso e alguns farelos das bolachas caem para fora do caixote. Que fazer? Voltar a varrer. Raios partam mais as bolachas e quem as fez. Resistentes, as meninas, hein? Duras de roer. Vão fora mas não sem resistência.

É isto e uma pessoa acabar de lavar a loiça, estar a secar o lava-loiças, torcer o paninho amarelito, a fazer o gesto de o ir pendurar na bela da torneira (*imaginem a cena em camera lenta e com a música de Vangelis a tocar de fundo*) e ou aparece uma alminha com caqueiros sujos para lavar (que miraculosamente aparecem, pois não existiam antes quando perguntamos se há alguma coisa para lavar) ou olhamos para o lado e vemos que faltava aquela canecazita, que ficou ali o tempo todo a admirar-nos a lavar a loiça e nem teve a hombridade de mandar um guinchinho, só para avisar que também ela precisava que lhe esfregassem o rabo.

Vontade? Olha amiga caneca, ali está  detergente e ali a esponjinha que não te risca. Podes esfregar-te à vontade, usa água quentinha, fica de molho, o que te apetecer. Eu é que não te vou esfregar o rabo nem as costas.

Isto era o que eu gostava de ter coragem de fazer, porém, azeda, volto a abrir a torneira na água quente, por detergente na esponjinha e esfrego o raio da caneca com o mesmo fervor que a Gata Borralheira esfregava o chão de madeira.

Never ending story, o trabalho de fada-do-lar em casa. Parece que as coisas brotam do chão. Mas quando finalmente terminamos, a precisarmos nós de um duche e de uma merecida massagem aos pés, é um verdadeiro momento "Vangelis - Chariots of Fire"!

 

20.09.18

Não é do cú, é das calças.

frito e escorrido por Peixe Frito

Decididamente, sempre achei que o mal era das malas serem grandes, que uma gaja custava a encontrar as coisas lá dentro. Passei a usar malas pequenas, tão pequenas que desgraço os fechos ao fechá-las, só com os meus items de preferência: carteira, telemóvel, chaves do peixmóbil e um pacote de ranhosos, pois está claro.

Acreditem que nem assim, se ando à procura de alguma coisa na mala ou por poucas coisas que ela efectivamente tenha... eu custo a encontrá-las!

Elas criam buracos cá com uma facilidade... - literalmente. Ás vezes desaparecem coisas e elas vão pelos buraquinhos do forro da mala, tipo passagem secreta e só dou conta delas, quando mexo na mala e sinto altinhos com formas estranhas. Os tampões então, são peritos em encontrar estas passagens secretas... i wonder why.

23.03.18

É assim... volta a chuva e pimbas!

frito e escorrido por Peixe Frito

Conan1.jpg

 

Por muito que eu tente, não há nada a fazer. Além do típico ninho-de-ratos, hoje a franja está em alta. Tal e qual o Conan O'Brien.

E hoje não há ganchinho que me safe. Vai ter de ser ao clip.

24.05.12

O meu primeiro pensamento matinal...

frito e escorrido por Peixe Frito

  ... quando me vi hoje ao espelho, depois de me arranjar para ir trabalhar:

  - OMG... (e começo a ouvir de fundo a música da Família Adams).

 

  Estou um género de Morticia Adams, mas versão cabelo loiro encaracolado e olhos verdes - e sem batom de cores berrantes.

23.05.12

É tão bom começar assim o dia... <3

frito e escorrido por Peixe Frito

   A espirrar desenfreadamente, quando estou a aplicar o rímel.

   Fiquei linda como o sol visto de frente. Artístico, indeed.

22.05.12

Piolho eléctrico.

frito e escorrido por Peixe Frito

   Além dos saltos de hoje estarem a ajudar na minha delicada postura e charme a andar, isto de beber café não dá com nada. Além de curvas, agora também se sentem pequenos sismos. E um género de "descargas" eléctricas.

    Um bom dia, sim senhora. Animado, pelo menos!

22.05.12

Tão graciosa e esbelta como só uma gazela de patins sabe ser.

frito e escorrido por Peixe Frito

  Ou um hipópotamo de saltos altos!

 É assim que me sinto, com o raio dos sapatos que decidi calçar hoje. E nem sequer é preciso caminhar em calçada portuguesa, num simples piso plano e bem lisinho, soa-me que o chão me foge das barbatanas e que caminho desgovernadamente em curvas tão insinuosas como as do Pisão.

  Tenho de ir alinhar os saltos.

20.04.12

Coisas de gaja...!

frito e escorrido por Peixe Frito

   Andar desalmadamenta à procura de uma peça de roupa - porque como gaja que sou, decidi que é aquilo que quero vestir e mais nada mas mais nada me assenta bem - revirar tudo do avesso, desarrumar gavetas, armários, ver debaixo da cama - não tenho bem o hábito de colocar coisas debaixo da cama mas nunca se sabe - ver aqui, ali, acolá, ali além, nos aquários dos pxinhos, debaixo da pedra da Pistáchio... e nada! Raios partam... Onde raio anda a camisa? Round two: volta a virar e revirar tudo do avesso, a chamar nomes fofinhos, meiguinhos, pomposos ao raio da camisa que anda a brincar às escondidas comigo até que... fez-se luz. «ui... estará na cesta da roupa??» Lá fui e... lá estava ela.

   Pois é bébé. Nem imaginam a nuvem negra que se gerou em cima da minha cabeça nem a neura - mais ainda - com que fiquei. 

   Resumindo, um belo dia!

13.02.12

Esta foi mesmo à "gaja"

frito e escorrido por Peixe Frito

  Parti uma unha. Só eu sei o quanto isso me irritou e olhem que não sou de "frescuras".

  A sensação de andar a "arrepelar" a unha na roupa, logo pela manhã, é tão agradável quanto o barulho da esferovite a partir e as unhas a roçarem num quadro de lousa.

13.01.12

É sexy, sim senhora!

frito e escorrido por Peixe Frito

   Uma gaja têm a mania de andar a comer coisas que fazem bem à saúde. Ora são os produtos derivados de aloé vera (não sei se se pode incluir os papéis-higiénicos húmidos com loção de aloé vera, que embora não sejam comestíveis entram na secção de que fazem bem à saúde - que deixam a pele hidratada, suave, mesmo a daqueles sítios mais refundidos... :D - e na secção do "estar na moda usar") os sumos de não-sei-quê que depuram o organismo que devem ser bebidos em jejum religiosamente, ou são aqueles legumes ou frutos que fazem também não-sei-o-quê, ou as plantas que tem de ser colhidas nas primeiras horas do dia ou perdem as suas propriedades benéficas ou... as magníficas sementes. 

   Agora aqui um à parte, já repararam que, tirando o aloé vera, esses legumes, frutos, plantas e sementes têm sempre uns nomes esquisitóides e quase sempre têm uma origem num sítio que nem aparece no google maps...? Pois é... Fiquem a pensar nisto. 

   Bem, voltando... um produto onde estas "manias" começaram a aparecer, foi precisamente no pão. Tudo bem, o pão é feito com cereais, sementes e tal e coiso - que novidade - vá não me apedrejem (ai pááá que me iam cegando!) maaaaaaaaas estou-me a referir às camadas industriais de sementes que alguns tipos de pão têm na cobertura. Bah, cobertura não, no topo, porque cobertura no meu dicionário, inevitavelmente espicaça a minha gulodice, imaginando logo assim camadas de confetis de chocolate sobre um molho de (por exemplo) brigadeiro em cima de um fantástico bolinho naaaaada calórico, como podem deduzir. Humm... ("Terra chama Peixa... Terra chama Peixa... Hello, Peixa, estás por aqui??") Voltei. Então, como estava a dizer, o pão é um dos responsáveis por essa propagação incontrolável "sementarista" na nossa alimentação. Mas sabem, não há bela sem senão. Ah pois é... É que uma gaja come o dito pão de cereais, naquela de não ficar gorda que nem uma porca e de ajudar o organismo a funcionar na sua plenitude, e muitas vezes acaba por fazer figuras triste! Sim sim, figuras tristes! E porquê? Se por azar, uma gaja está distraída depois de comer o fantástico pãozinho de sementes jksndfsgbfidfuj e não vai à casa-de-banho escovar a placa, habilita-se a mandar um grande pepsodent a alguém, e invés de receber um sorriso de volta daqueles de "ui pá, estás mesmo gira hoje", têm de volta um ar de "WTF?!" seguido de um "Tens alguma coisa nos dentes!"... É aí que vemos a vida a passar à frente dos nossos olhos... precisamente o momento de "Fosga-se... estive a comer pãozinho de sementes... e NÃO FUI À CASA-DE-BANHO VERIFICAR SE TINHA ALGUMA PRESA NOS DENTES!" (Desculpem o caps, mas é o momento de pânico) Começam logo a pensar por quantas pessoas passaram e para as quais sorriram, e em que ninguém referiu nada... Bonito, não é? Eu sei. Resumindo, sim porque eu não sou dada a desenvolver muito as coisas (cof cof), tenham cuidado com os pãezinhos de sementes, gajedo! Por mim falo, que de vez em quando ando com uma micro-ico-ico-ico semente num dente, mas que parece uma semente de melancia tal é o destaque na cremalheira.

    Vão por mim... Imaginem que comem um pãozinho de sementes antes de uma sessão romântica... Vestem a vossa melhor indumentária, grande cenário, som envolvente, aromas inebriantes... velinhas acesas, ambiente íntimo... e eis que... "Amor!!! Tens uma coisa no dente!!" Pronto, lá se vai o romantismo todo por causa de uma sementezinha no dente e que, em casos extremos, pode ser a responsável por um divórcio. Sabe-se lá, nunca fiando! :)

      Ainda há outra coisa... Andar a comer pãezinhos com sementes de papoila. Devo racionar a ingestão dos mesmos, senão ainda fico com uma overdose... ;D

04.07.11

Coisas de Gaja (35)

frito e escorrido por Peixe Frito

   Como é do conhecimento geral, as gajas usam umas malas do tamanho do mundo (normalmente). Têm tudo e mais alguma coisa lá dentro. Muitas delas são equiparadas à mala do Sport Billy, inclusivé. Pois bem, embora as malas das gajas estejam divididas por secções, como a bolsinha do telemóvel, a bolsa para a carteira, a bolsa para o espelho, a argola para as chaves, a bolsa para o verniz, a bolsa para a lima, etc, é sempre difícil colocar lá a mão, e achar tudo à primeira. Demora-se sempre uma eternidade e três quintos a achar alguma coisa, o que em alguns casos é um perfeito desespero. Tira-se tudo, menos o que se quer. Eu nem uso dessas super-mega-hiper malas, e nem eu estou safa destas coisas: Aqui há uns tempos, andava com um pouco de cieiro, e gaja apetrechada como sou, iniciei de imediato a minha demanda em busca do batom do cieiro (não, não é daqueles que cheiram a morango, nem a uva, nem a ananás, nem a pastilha, nem a raios que os partam, apenas batom do cieiro normal e neutro). Vai de meter a barbatana na malita, e mexe, remexe, - mexe, remexe, se encosta se enrosca, se abre se mostra para mim...! - E batom do cieiro nada. Vai de espreitadela, de voltar a mexer e remexer, em total acto de desespero, comecei a retirar algumas coisas da mala até que, ah-ha!! Lá estava ele... pequeno, cilindrico, o meu fantástico batom do cieiro. Quando o tirei da mala, já a preparar-me para o passar nos meus belos lábios de sereia e não é que... PÁRA TUDO! Oh pá... ainda bem que parei a tempo, só para vos dizer... Então não é que tinha sacado de um tampão, invés do batom?!

03.08.10

Isto é que é ficar ultra bem passado...!

frito e escorrido por Peixe Frito

 

    Imaginem vossas excelências, que vão ao hipermercado comprar um bronzeador para a praia. Pesquisam marcas, comparam preços, vêm se uma embalagem é mais bonita que a outra, se a cor da mesma combina com o saco da praia e com as xanatas, snifam a ver se cheira a cenoura, se é de côcô, uva, se é de qualquer coisa que não dá para identificar mas que cheira bem, essas coisas básicas, até que voilá! Após uma eternidade e três quintos, lá encontram aquele que vos pisca o olho e vos estende a mão (quem vos manda andar a snifar produtos que cheiram bem mas que não sabem ao que é? É nisto que dá... Cá para mim, têm cogumelos alucinogénicos na composição. Digo eu, assim, a medo). Pimbas, pegam na embalagem, e seguem a vossa vida. Na próxima ida à praia, decidem experimentar o novo bronzeador, pois está claro: untam-se com aquilo - lá vai quase meia embalagem -  e ficam a parecer um frango pronto a por no braseiro. Estendem-se ao sol. Até aqui, nada de anormal. Tranquilo. Nada a apontar. Um dia, convidam outra alminha para ir convosco à praia: «Sabes, comprámos um novo bronzeador, tens de experimentar. É um es-pec-tá-cu-lo!!!» «Com o bronze com que vocês estão, obviamente que vou experimentar». Eis que... ao ler a embalagem, a alminha descobre o segredo daquelas alminhas parecerem gaitadas grelhadas: Aquilo não era bronzeador... também não era manteiga... nem muito menos o tempero de massa de pimentão: era auto-bronzeador*.

    Será que ninguém achou estranho, apanharem escaldões, apesar de já terem ido à praia quase um mês de seguida, todos os dias? Imaginem o quanto aquela malta estava tostadinha!!

 

    *O auto-bronzeador, tal como o próprio nome indica, é um produto que bronzeia a pele sem que seja necessária a exposição da pele directamente ao sol, aliás, até é aconselhável que uma pessoa não se exponha ao sol com auto-bronzeador posto, visto que corre um sério risco de queimaduras solares.

 

     Obs.: Imagem palmada da net.

15.06.10

Na Suiça, davam-me cabo do canastro!

frito e escorrido por Peixe Frito

   Se há coisa que não falta lá pelo aquário, são precisamente relógios - não é por isso que nunca chego a horas, admito, não é por falta de relógio, padeço é de um mal comum à grande maioria do gajedo: sou gaja! - O mais caricato no meio disto tudo, é que todos dão uma hora diferente, por muito que eu tente que todos dêem mais ou menos a mesma hora - Ok é impossivel estarem acertados ao segundo, é aceitável um desfasamento de um a dois minutos, mas chegarema  ter cinco e dez? É a loucura.

    Aqui há uns tempos, acordei pela matina, pronta para mais um dia de trabalho - o catano, queria era dormir - descansada da vida, sim, que eu tenho o despertador adiantado dez minutos, já por causa das coisas. Vou à cozinha, e tal e coiso, e por acaso... olho para o relógio... Ia-me dando uma taquicardia! Ia esticando o pernil ali na hora! Ia fazendo uma visita ao jardim das tabuletas! Ia plantando couves!! - Pronto já parei! - Bem, nem para isso tinha tempo... estava atrasada!! E eu: «Não posso!!! Ainda estou a ver mal com o rameledo nos olhos, que mais parecem cataratas!!!» Mas afinal não... Estava mesmo mas mesmo atrasada. Pronto, lá tive de começar a jardar e por tomar opções drásticas, como racionalizar o tomar banho - pensei seriamente em não o fazer, mas os meus colegas agradecem que o faça, pois o gabinete não é lá muito dotado em termos de ser arejado - mas só lavar a cabeça e não usar gel de duche para não perder tempo! Ou mesmo nem me pentear, porque acho que ninguém ia notar a diferença! ahahah ;) É que logo por azar, o mais atrasado de todos os relógios, o único realmente e imperativamente atrasado... é precisamento o do despertador! Que até nem é o mais importante nem nada...

    Só comigo...! Incrível...!  Eu bem que estranhava nunca conseguir chegar a horas, mesmo adiantando o relógio do despertador! - sim sim, agora desculpa-te com o atraso do despertador! {#emotions_dlg.clown} 

24.05.10

Bichos malditos...!

frito e escorrido por Peixe Frito

- Ó Peixa, podes guardar isso num Tamparware, não?

E eu que detesto tamparwares! É o armário mais infernal que tenho em casa. Sei perfeitamente que sempre que o abrir, vai cair-me em cima uma enxurrada de coisas. Ainda por cima, tenho uns rijos que nem cornos (desculpem a linguagem) que fico logo com um galo no alto do cuco que até mete dó! Mas uma coisa engraçada... raramente os uso, então para que os quero? Mais um caso para os ficheiros secretos...!!

Coisas de gaja pá, que se há-de fazer!

14.05.10

Ai que cheiras tão béim...! (vómito!!) ^.^

frito e escorrido por Peixe Frito

É impressão minha, ou mal começa a ficar um tempo mais ameno, assim convidativo a irmos a uma esplanadazita roer uns caracóis e beber uns Iced-Teas (ahahah pronto umas jolas, possas, parem lá de me apedrejar, alcóolicos! :D), o gajedo recomeça a usar aqueles perfumes de essências naturais (dizem os vendedores) a morango, baunilha... e a côco? Os de morango fazem-me logo pensar que alguém se untou em xarope de morango... Os de baunilha, que alguém andou a dar nos ambientadores dos carros... O de côco... oh pá é um grande snif, traz-me sempre as memórias dos bronzeadores na praia... - ui... praia eu, eu praia... sol... verão... Bem!... Devaneio...!! - embora quando se dá a situação de líquido perfumado excessivo para a área total e área em torno de uma pessoa e arredores (é muita zona, notaram no "e" sublinhado? :D), em que uma alminha desprevenida, que gosta de passear na costa ao fim-de-semana e que se esqueceu do saquinho do enjoo, dos comprimidos de gengibre e da máscara de mergulho (alto e pára o baile! Mergulho?? Sim meus amigos, mergulho. Se estão na área da praia, que outro tipo de máscara faria sentido?? Dos fumos era??), que pode estar descansadita na ponta do paredão em Cascais  e já nos começa a chegar ao nosso delicado nariz o rasto a côco da outra ponta, em que começamos a ponderar que estamos a apanhar sol a mais na cuca pois o cheiro a maresia é isso mesmo, cheiro a mar e não a côco, proveniente dos snifs ambulantes já a chegarem no Tamariz (antes este do que outros, verdade seja dita) a conversa já é outra...! Ok, eu não posso falar muito que tenho um de côco - foi oferecido!!! ;) - mas é muito mas muito mas muito mau, entrarmos num sítio fechado e não ventilado - como o elevador do prédio, por exemplo - e estar lá um fedor a côco de tal maneira, que lá temos de praticar a nossa apneia. Como já adivinharam, depois desta converseta toda para encher choiro, foi precisamente isso que me aconteceu no outro dia. Ainda nem tinha tomado o pequeno almoço, e já tinha as entranhas revoltadas com o cheiro do elevador. Por momentos até pensei que a senhora das limpezas tinha mudado de detergente, e invés de cheirar a lavanda ou a rosas (rosas nãoooooo!!!! Esta piada fica para outras núpcias eheheh), tinha comprado um de cheiro a côco.     Eu gostava de saber, se aquela alminha que tomou banho em essência de côco, vai de carro ou de transportes públicos para o trabalho, porque das duas uma: no carro... ainda abre as janelas, agora num autocarro ou num comboio, onde a malta vai que nem sardinhecas enlatadas em molho de tomate picante ou não (consoante o gosto, claro), de certeza que ainda alguém abriu a porta / janela e a mandou borda fora. Pelo menos se fosse eu, vontade não faltava...!

 

Obs.: Não sei se conseguiram ler bem com tantas observações minhas no meio do texto. Acredito que tenham relido muitas vezes as frases, não propriamente por estar excessivamente bem redigido este post, nem por estarem ludibriados com o meu intelecto super-hiper-mega (não, não é Disney) fantabuloso e genial, mas porque eu puro e simplesmente tenho sempre alguma posta de pescada a largar - como se isso interessasse a alguém, mas pronto, vivemos ou não numa república das bananas? ooops... Numa democracia?? ai... querem ver...! - e depois dá uma confusão geral de ideias! Sim... porque como voces não estão a seguir o meu raciocínio, deve tornar-se assim... um puzzle não? eheheheh Tudo espremido e bem torcido... não sai nada. É que nem à lei da bala.

 

Obs. (2): Gozem à vontade, por eu escrever "côco" com chapéu-do-avô... É que faz-me confusão escrever sem ele, pois a palavra soa-me sempre a outra coisa. A leitura é outra eheheh

27.04.10

Olha a novidade...! pffff...!!! ^.^

frito e escorrido por Peixe Frito

   Realmente há coincidências daquelas à filme. Então não vai uma moçoila a chegar a um sítio, toda airosa e a esbanjar o seu charme, e começa a tocar a música "Pretty Woman" na rádio?... Ah pois é... Também queriam não era? Não é para quem quer, é para quem pode! {#emotions_dlg.clown}

10.12.09

Coisas de Gaja (34)

frito e escorrido por Peixe Frito

   Abastecer o carro, e andar com ele até à última gota de gasolina. E ficar admirada quando este chega à reserva (depois de andar sempre a arrancar alcatrão e na jarda), quando colocou combustível há meia dúzia de dias. Mas o mais incrível... é esquecer-se que têm o carro na reserva, ter de ir trabalhar, estar atrasada, e habilitar-se a ficar apeada pelo caminho!

    Qualquer dia, é dia santo!!

23.11.09

Coisas de Gaja (33)

frito e escorrido por Peixe Frito

   Irem ao cabeleireiro, pagarem umas massas para esticar o cabelo. Até aqui tudo bem. O problema é lembrarem-se de fazer isto num dia de chuva, no qual sairam do cabeleireiro todas penteadinhas, e apanharam uma chuvada que o cabelo ficou logo num ninho-de-ratos!

    Mais valia a pena atear o fogo na lareira com essas notinhas, porque mal por mal, assim sempre aqueciam, e com o frio que tem feito, até fazia jeito.

sobre a Peixe Frito

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

douradinhos frios

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D