Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

A armar-se em boa, despois têm o que merece...!

01.09.11, Peixe Frito
     Não tenho o hábito de colocar os meus fantásticos, maravilhosos e esplendorosos óculos-de-sol (os meus óculos-de-sooooooooool) na cabeça, mas lá de vez em quando isso acontece. Irrita-me plenamente, chegar à rua e começo a fazer o gesto de tirar os óculos da cabeça (dj, coloca aí a música do Joe Cocker, que como não me lembro do nome, esclareço que é aquele (...)

Coisas que detesto...!

27.07.11, Peixe Frito
      Gaja que é gaja, adora a bela da sandalinha fashion no verão, para arejar os presuntos. Seja alta, rasa, de cunha, de salto fino, branca, preta, vermelha, às pintas, às riscas, fluorescentes, rosa choque, com brilhos, com lantejoulas, com flores, aos bonecos, assim-assim, assado, frito, panado, com batatinhas a acompanhar, com menos molho se faz favor, mal passado (...)

Coisas que detesto...!

11.01.10, Peixe Frito
        Pedir compal de pêssego, e trazerem-me de alperce. Eu reclamar e ainda me reponderem: "Mas é igual..." Se fosse igual, não existiam pessegueiros nem alperceiros, não? Helloooo...!     Esta malta pá... Só me torram o juízo (o que resta...).     Para quem têm dúvidas, espero que as imagens abaixo ajudem:       Pêssego:                                                             Alperce:     

Coisas que detesto...!

30.12.09, Peixe Frito
     Eu adoro comer manga. Apenas detesto é ficar com os fiapos da dita, entre os dentes. É que não há palito nem fio dental que me valha...! Escovo os dentes de um modo bravio e tudo, até uso a unhita para tentar tirar o fiapo, mas é tudo em vão. E sim... chego a ficar com o raio do fiapo entre os dentes, por vezes, durante dois dias!! Raios partam os fiapos pá!! Ainda é pior que ficar com bacalhau entre as favolas...!      Obs.: Manga palmada da net.

Parece que estou a jogar ao Mikado

29.12.09, Peixe Frito
   Abrir o armário da despensa, e cair a embalagem dos palitos no chão. É desesperante varrê-los, porque há sempre um maldito que se enfia nas cerdas da vassoura, não dá para aspirar porque atravessam-se no cano do aspirador, pelo que por vezes, apenas me resta andar a apanhá-los à mão. E mesmo com o esforço sobre-humano de os tentar apanhar todos, existe sempre a piece de resistance, que encontramos encafuada algures, uns tempos depois da catástrofe palital.     Quando (...)