Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Ai Santa Inocência e para aquilo que eu estava guardada.

11.12.19, Peixe Frito
Por vezes, é tramado existir uma criança pequena na família. Principalmente uma que adora ir-se enfiar na casa-de-banho, quando uma pessoa lá está. Bem que podemos fechar a porta, enxotá-la, que ela não arreda pé. É neste suposto momento de descanso e nada privado, que ela decide fazer conversa sobre a mais variada miríade de coisas. Pronto, sei lá. Se calhar fica inspirada. Uma pessoa, lá acaba por tolerar a presença dela. Afinal, é pequena, não entende ainda certos tipos (...)

E são coisas destas que aquecem o coração.

08.11.19, Peixe Frito
Pois é, anda piolheira à solta de modo selvagem, pela escolinha da cú rabinho pequeno. Infelizmente, ela apanhou. Anda a fazer o tratamento e a mãe explicou-lhe que ela agora têm de andar de cabelo preso, por causa dos piolhos. Sabem que responde ela à mãe? - Então quer dizer que não podemos dar mais abracinhos? Já entenderam como ela apanha os piolhos, não já? Apesar de andarem numa de partilha de animais selvagens, é bom saber que as crianças têm o hábito de se (...)

É como é. Não vou andar a florear a situação.

08.10.19, Peixe Frito
- Ó tia Peixa, a sério!! Mas como é que as aranhas fazem as teias de aranha?? - Olha, eu explico-te mas eu vou estar a falar a sério e não a gozar contigo... Por muito estranho que possa parecer o que te vou dizer. - (silêncio) - O fio sai do cú da aranha. E ela com baba e com as patinhas, vai tecendo a teia. Percebes? -... pelo cú? O fio sai pelo cú?? - Sim, pelo cú. Momentos de silêncio. Observa as teias de aranha no gradeamento das escadas. Até que: - Pelo cú tia Peixa?! E assim se choca uma criança, a ensinarmos como funciona a natureza animal, com a beleza na sua plenitude, de aranhas a tecerem teias, cujos fios, saem pelo cú.

Não tarda e armo-me em Shrek e tiro velas dos ouvidos, pois 'tou a ficar anormalmente mouca, o que só pode derivar de cera.

02.09.19, Peixe Frito
Ouvir crianças na rua a gritar. Primeira vez: soou a algo familiar. Segunda vez: Possa parece mesmo que me estão a chamar. Vezes seguintes: Olha, mas é o meu nome. Há alguma criancita por aí, com o mesmo nome que eu? Até que fiquei mesmo a ouvir, ouvir ouvir com atenção, até o tico e o teco fizeram silêncio e suspenderam a respiração e... e... afinal não era o meu nome que o criancedo gritava, mas sim: - Volta aqui que te vou cortar a cabeça!! Ponto um: Em minha defesa, (...)

Estou a um passo de ser a tia solteirona que vive com a casa cheia de gatos - mas sem gatos - e nem dei conta da situação.

11.06.19, Peixe Frito
- Tia Peixa, quando crescer quero ser como tu ou como o pai. - Como eu ou como o pai? Assim como? Alta? Grande? - vontade de complementar com "parvos" e "com pancada na cabeça sem precisar de apanhar sol a torrar os miolos". - Assim... como tu. - Pronto, okay - fiquei na mesma, para ser honesta. - Como tu... mas com bebés! - ... Não sei se hei-de ficar elogiada ou se coiso. Maneira amável de me sentir encalhada  As crianças e as suas cenas, não é verdade? Qualquer dia, os meus (...)

Quando o telefone toca a aquela hora... é sinal. Não do Batman, mas quase.

07.06.19, Peixe Frito
Existem centrais de lavagens e automóveis. Eu, tornei-me não numa central, mas numa criatura freelancer de lavar cús a crianças. Passo a explicar. Não há dia em que ao fim do dia não receba uma chamada da mãe Peixa, a solicitar os meus préstimos, para ir dar banho ao animal pequeno, que é a cú Rabinho Pequeno. Então, porque aquele ser vêm da escola e quando não toma banho nos avós, toma em casa, porém, se a fera já for de banhinho tomado para casa, poupa o cabelo dos pais (...)

Sabe sempre bem ouvir elogios destes.

23.05.19, Peixe Frito
Fazer um remédio herbal, pedido por uma criatura para dar à sua criatura mais jovem. Uns tempos após essa situação se ter dado, naturalmente que quis saber o feedback: - Então, como correu com o remédio para a tosse? - Como correu? Queres mesmo saber? - Sim... (medoooo) - Na primeira colherada, a criança exclamou: «Mãe! Isto é pior do que a morte!!!" -  É bom saber estas reacções. Da próxima ponho laxante, para ele ver o que é bom para a tosse

Assim a felicidade sai barata.

22.05.19, Peixe Frito
Recebo uma encomenda e estou a abri-la na companhia da cú Rabinho Pequeno. Conforme vou abrindo a caixa, ela a olhar atentamente, até que me exclama: - Uau tia Peixa! Adoro isso!! E eu: - Adoras? É fixe, não é? Também gosto! - e estendo-lhe uma das peças do conjunto de sushi. - Não! Não é isso!  - Então? É o quê? - É aquilo!!! - e estende a mão e agarra o plástico bolha que vinha a envolver as peças, com ar mega feliz e os olhinhos a brilharem com estrelinhas. E eu (...)

Vale pela intenção de eu não fazer figurinhas.

13.05.19, Peixe Frito
Estava a mostrar à cú Rabinho pequeno o vestido que os avós dela me tinham oferecido, a pô-lo assim à minha frente e a perguntar que ela achava, se gostava. Após momentos de silêncio, diz-me assim: - Tia Peixa, assim ficas com as cuecas à mostra! - Fico com as cuecas à mostra? Como assim? Então agacha-se à minha frente: - Se eu me baixar assim, vejo-te o pipi. Até com esse que tens vestido agora, te vejo as cuecas. Isto porque o vestido que lhe estava a mostrar à frente é (...)

Nem sei se hei-de rir se chorar. Mas que me arrepia certas coisas, ah arrepia...!

03.05.19, Peixe Frito
Dei por mim a lembrar que a mãe Peixa, têm (ou tinha) uma trança de cabelo meu, das primeiras vezes que cortei o cabelo, era eu uma pequena sereia. Ora pois, fiquei a pensar na situação. Não é assim meio bizarro, guardar o cabelo de alguém? Mesmo que seja dos nossos filhos? Eh pá, já guardamos os dentes de leite... o cabelo do primeiro corte de cabelo... o cordão umbilical! Só falta alguém se lembrar de guardar as unhas e primeiro cócó. É que nem sei bem que dizer acerca disto. Conclu (...)

Aiii é amooor, ai ai amooooor... É amor!

01.03.19, Peixe Frito
Alguém cantar mal mas mal... porém, cantava a embalar a sua filhota - a escolha da música era mega hiper duvidosa, ainda assim, era essa que lhe cantava. Gostos! Digo-lhe eu: - Possa, assim a criança até finge que adormece só para não te ouvir cantar. A verdade, é que ela adormecia na mesma. Concluo que amor entre pais e filhos é mesmo incondicional e por muito que o progenitor tenha voz de cana rachada, faça estilhaçar vidros e espante os animais num raio de uns bons (...)

E é assim que se contribui para a educação de uma criança - ou não.

19.02.19, Peixe Frito
Já disse "n" vezes, que a prole da família, é tramada. Eu costumo dizer que já não me bastava ter aturado o paizinho das criaturas, como que ainda tenho de roer com o alevim e com a cú rabinho pequeno. Este último ser, consegue ser o upgrade do irmão e do pai, para mal dos pecados de TODA a gente. O seu sentido de humor e palhaçada é claramente herdado da família, agora o mau génio, não faço ideia onde ela o foi buscar, mas com toda a certeza, ao lado da famíla da mãezinha (...)

Esta ainda não me tinha acontecido.

18.02.19, Peixe Frito
Ouve-se lá nos confins do aquário mor uma conversa entre avô e neta: - Vai pedir à tia Peixa, que ela ajuda-te. Passinhos pequenos e rápidos, em jeito de corridinha e oiço uma vozinha de quem me vêm cravar algo, versão gato-das-botas, mas vocalizado: - Ó tia Peixaaaa... - olho para ela e ela de beiço estendido e olhinhos de Bambi - tiras estas coisas da minha plasticina? A mirar a plasticina, na minha mão, vejo algo que parecem pedacinhos de ramos lá metidos. - A (...)

É sempre uma festa e uma risota, nada paga as reacções de uma criança a abrir as prendas no Natal.

03.01.19, Peixe Frito
A abrir as prendas na consoada natalícia, mega em pulgas, rasgando o papel de embrulho freneticamente e vendo o que recebeu, exclama a criatura pequena: - Ohhh era mesmo isto que eu queria!! - e agarra o brinquedo, feliz da vida. Segunda prenda. Novo pulguedo, excitação a ver que é que o Pai Natal lhe trouxe. Rasga o papel, com ajuda dos pais e... eis que mandando um grito de surpresa, se ouve: - Heyyy, eu não pedi isto ao Pai Natal! Na carta que eu mandei ao Pai Natal, não pedi isto!! (...)

Se calhar um centro de acolhimento ainda era a melhor opção.

17.11.18, Peixe Frito
E quando uma criança está a limpar o salão, ou em bom tuga, tirar macaquinhos-do-nariz e, bem educada que é invés de os ensinar a voar, nos estende o dedo com o macaco lá enrolado e fica à espera que nós o agarremos e mandemos fora? Com a quantidade dos que alberguei hoje, dada a fuga que se deu desenfreada dos macaquinhos do nariz da cú rabinho pequeno, das duas uma ou abro um centro solidário de macacos abandonados ou então vou abrir uma empresa de cola orgânica, dado que (...)

Nós às vezes é que os tomamos por parvos e inocentes, mas pela minha experiência, isso somos nós.

12.11.18, Peixe Frito
Com apenas três anos - e semi frescos - no dia da consoada, observa a cú rabinho pequeno á família: - Mas porque é que há prendas aqui nos avós... e nos outros avós... e em casa? - para ela, o Pai Natal é que entregava as prendas e, supostamente todas no mesmo sítio. Nada mais lógico, ou não é verdade? - Ah, porque o Pai Natal vai deixando as prendinhas, nas casas, para ajudar a entregar a tempo. Já viste, tantos meninos, o Pai Natal fica aflito se entregar tudo de uma vez, (...)

Há sempre novas maneiras de me encavacar, claro.

08.11.18, Peixe Frito
Naquela altura do mês, em que as senhoras expelem secreções pelas zonas baixas, estava eu na casa-de-banho, e entra de rompante a cú rabinho pequeno: - Tia Peixa, que é isso na tua cueca? Busted. E agora? - Olha... quer dizer que posso ter bebés mas que não tenho nenhum na barriga. Quando tu fores mais crescida, contigo vai acontecer o mesmo. - Também quero uma coisa dessas. - O quê? Um penso? - Sim... - Vais ter tempo para estas coisas, fica descansada. Desfruta quando (...)