Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

E depois admiram-se quando a cabra do monte sai para dar o ar da sua graça.

frito e escorrido por Peixe Frito, 09.09.21

Decididamente, eu e lavar carros é para esquecer. É pá desculpem lá, mas isto assim não pode ser e é insustentável! Ora, para não variar, naquele dia tomei três banhos: um de manhã - o banho mensal - outro a lavar o carro e depois tive de tomar outro banho, pois isto de levar com shampô automóvel, não favorece a minha peruca, apesar de levar com o acabamento e brilho nas fuças. É que é sempre o mesmo ballet: lavar o peixemóbil quando está um tempo ameno, chegar às lavagens e levantar vento. Além dos cabelos a esvoaçarem por todos os lados - poderia ser um momento sexy só que cabelos nos olhos, na boca, a fazerem tranças com a ventania e uma pessoa com o timing contado de lavagem para lavar a viatura, não dá com nada - o vento começar a soprar magicamente contra o jacto da lavagem e, com tantas boxes vazias, uma criatura lembrou-se de se colocar à espera que eu acabasse de lavar o meu nobre corcel. Ora, a sério? Lá teve que esperar, pois está claro - entre me estar a olhar seriamente, dado o festival e luta pela sobrevivência que eu estava ali a ter mais o vento e mais raio que o parta e o facto de, me rendendo a dada altura, eu estar a cantar uma musiquinha para me aliviar os nervos.

Após o espectáculo encerrar, fui passar a panisga da camurça na viatura. Eu, sim, eu. Agarrem os queixos pois até eu me admiro comigo própria. Traumas aparte, se já foi o que foi a lavar o carro imaginem a passar a camurça. Vos garanto que se tivesse uma tisoira à mão, tinha feito um corte de cabelo espectacular, dada a neurose que já estava a ter mais às lianas a enrolarem. Pareciam encantadas pelo vento, tal cobra pelo tipo a soprar na flauta.

Se acham que já acabou a novela, aviso que há extra. No momento em que estava a passar a camurça na frente, ouço bater de tapetes. Mesmo ao meu lado. Mesmo... ao... meu... lado. Nem quis acreditar. Naquele momento, acho que fiz um virar de cabeça comparável com o da miúda do Exorcista. O olhar, ainda mais matador. Então não estava um tipo a bater tapete, com o vento a favor dele e a favor dos mosquitos que iam na via rápida de encontro comigo e com a minha viatura, mesmo no batedor do meu lado - nem era do dele, era do meu - a dar nas fuças a um tapete! 

Como este blog é familiar, vou omitir algumas das palavras que disse ao senhor, mas no geral foi algo como: a sério senhor fofinho como as nuvens pomposas que passeiam alegremente nos céus azuis celestes, que está a bater graciosamente os tapetes da sua maravilhosa viatura, mandando o lixo para cima da minha delicada e serena bicha de quatro rodas, acabadinha de sair da box de lavagem e cujo pêlo lhe estou a afagar carinhosamente, com esta camurça esplendorosa, ao sabor deste ventinho ameno que me acaricia suavemente os meus longos cabelos aos cachos encaracolados?

O senhor lá se tocou, abanou o segundo tapete menos fervorosamente e mais timidamente e arrancou ferros, nunca mais ter sido visto naquelas paragens, pelo menos, acho eu, naquele dia.

Ah e tal, podias pagar a alguém para te lavar o carro. Sim, é verdade. Sóque n'amapetece. Isso faz-me lembrar as dondocas que vão ao shopping às compras e deixam o carro a lavar, chegando das mesmas e o carrinho está lavado e aspirado, só pegar na chave, pôr os saquinhos na bagageira e ir mais o José Maria e o Salvador Maria, para casa pois a Maria já deve de estar a acabar de fazer o jantar para a família.

Nada contra, só não faz o meu estilo. Podia fazer, mas eu nasci no charco e não no oceanário, depois é assim.

Resumindo: Ainda bem que lavei o carro. No dia a seguir choveu e eu nem quero imaginar a criatura dos pântanos que eu iria encontrar se não o tivesse feito: seriam lamas, bichos mortos, galhos secos e cães e gatos lá colados, no outro dia de manhã. Foi uma dura batalha mas no fim, valeu a pena exceder a taxa dos banhos mensais, estar em pé de vento com o próprio vento, só pelo facto de conseguir ver a estrada e a cor original do peixmóbil, não precisando de um martelo e de um escopo, para abrir a porta, debaixo da camada de lama.

Não posso dizer que não fui avisada.

frito e escorrido por Peixe Frito, 16.12.19

Que posso eu pensar, ao me deparar com uma fruta com vários autocolantes destes?

20191216_113928.jpg

Das duas três, ou este deu luta e andou verdadeiramente a distribuir peros pela malta, aquando foi colhido ou então é uma fera indomável, que um autocolante não bastava para avisar qualquer vítima incauta ao seu ar pacífico. Às tantas, era somente um pero que gostava de aplaudir os feitos da malta, com síndrome da Amália, versão "Obrigado, obrigado" adaptado para "Bravo, bravo".

Na via das dúvidas, decidi lidar com a situação da melhor maneira possível. Antes que me pudesse bufar o que fosse, pôr as unhas de fora, vestir  armadura para o combate ou um xaile de renda com franjas, dei-lhe um par de dentadas e a coisa resolveu-se. Ainda temi pela vida, pois era sumarento e a malta pode engasgar-se... mas foi uma luta digna. Pereceu com honra.

Que a sua alma esteja em descanso.

Eu pensei que estávamos sempre era na companhia de Deus, mas é bom saber na mesma...

frito e escorrido por Peixe Frito, 12.02.19

I-make-comics-about-science-sort-of-5c59597ced652_

...que temos uma alarvidade de germes, bactérias e outros seres minúsculos, a todo o momento em nós, quer por dentro, quer por fora.

Da próxima vez que alguém me observar "Hey Peixa, estás a falar sozinha?" eu irei responder "Não, estou a falar com os meus germes, posso?".

Já viram bem, as pazadas de criaturas que sabem dos nossos segredos mais íntimos? Como o comermos chocolate às escondidas, andarmos a baldar na dieta e deitarmos tarde porque estivemos a ver televisão?

Temos de ter cuidado. Se "botam" a boca no trombone e lhes dá para nos ameaçarem que se bufam se voltarmos a tomar banho ou escovar os dentes... estamos tramados!

Ora aqui está uma boa desculpa para algumas pessoas não tomarem banho, pois cada vez que o fazemos, damos cabo de colónias de seres minúsculos, frágeis, indefesos, o que faz de nós, ogres sem coração. Com a situação dos direitos dos animais, das plantas e todos os seres vivos, qualquer dia há um movimento a favor desta bicheza e quem toma banho, é condenado a passar dois anos sem ver, cheirar ou tocar em água.

Vão por mim, que vi na minha bola de cristal com estes zóios que a terra há-de comer - ou não.

Alguém está com ar de quem foi apanhado...

frito e escorrido por Peixe Frito, 17.01.19

1001749_10201152521526819_2122655759_n.jpg

- Mas que estás tu a fazer, passarito? Hum...?
- errmm... Eu?? Nada, nada... Apenas estava aqui a... (cof cof) apanhar sol e... coçar-me e (ermm...) a ver os pássaros a voar... não? Eh pá, estão a chamar-me ali, espera aí que já aí venho.
Mais uma vez, já vi muita coisa, agora pássaros a montarem armadilhas é que nunca pensei ver com estes olhos que a terra há-de comer (ou não, quiçá). Que estaria ele a pensar apanhar por aquelas bandas?...
Gambuzinos, certamente.
A vida é assim: há que nos adaptarmos às necessidades e desafios quotidianos.

Divagações de uma sexta-feira fresquinha: para o que me havia de dar e logo para a cueca!

frito e escorrido por Peixe Frito, 26.10.18

Há pouco tempo, inserida numa conversa, uma amiga diz-me:

- Os cabelos da cabeça.

Bem, cabelos é na cabeça, correcto? - cab-elos. Senão era bracêlos... sovaquêlos... pernêlos... rabelos... ah esperem, existem os rabelos mas são barcos, nada a ver com a cena, infeliz coincidência - Na realidade, tudo é pêlo, uns mais compridos e outros mais curtos, mas agora imagino o que era ter os ditos cabelos noutras zonas do corpo... Bem, na verdade, não está assim tão longe desse conceito de cabeleira da cabeça, em outras áreas corporais - dado os penteados que eu já vi, no programa que o pessoal escolhe o parceiro em que ele está completamente nú... Já vi penteados aos corações, à mohawke, à martini, careca, risco ao lado, madeixas, à bigodinho do Hitler...! Para todos os gostos. Só ainda não vi nada com peruca - Por curiosidade, encontrei uns kits para as senhoras fazerem os seus penteados. No caso dos senhores... deve dar para adaptar - Se eu visse algum coração, depois de alguém baixar as boxers... não sei qual seria a minha reacção!

s-l300.jpg 

Esta conversa, faz-me lembrar alguém. Lá dizia uma pessoa que eu conhecia, que naquele sítio era mesmo matagal, porque ela e o marido gostavam de arbustos - naturalmente que imaginava o senhor com uma catana ou tesoura da poda, a desbravar caminho, tal e qual o Indiana Jones a abrir caminho pela selva tropical, naquelas alturas mais íntimas entre o casal - Eu brincava que até devia dar para fazer trancinhas ou rasta.

E quando ela dizia que no momento de ida à casa-de-banho, o gato se sentava ao colo dela, aquando estava na sanita, e eu cheguei a questionar se era mesmo o gato ou se era algo a parecer um gato - ela era pitosga, altamente pitosga.

Fica o pensamento no ar.

 

Como um mal não vêm só, conheço outra história. De um rapaz que foi a uma praia e que havia pessoas a fazerem nudismo. Viu uma senhora dentro de água, a sair. E ele, ingénuo, achava que a senhora tinha um bikini preto.

E com esta imagem na vossa mente, me vou.

A minha lista de prendas de natal.

frito e escorrido por Peixe Frito, 11.04.13
(suspiro)
Mas quero um com ursinhos verdadeiros, okay??

Está morto e ainda ninguém lhe disse nada...!

frito e escorrido por Peixe Frito, 20.03.13

  Todo o santo dia tenho vivido uma experiência paranormal. Sim, que isto de falar pelo msn sem o mesmo existir mais, é um género de falar através do além.

  Já me sinto habilitada para dar consultas como médium. O único problema nesta coisada toda, é que falo com pessoas vivas... Será que alguém vai notar este pequeno pormenor, quando me perguntarem qual a minha experiência como médium? 

  (Silêncio. tu...tu...tu... O número para o qual ligou não está disponível. Por favor, tente mais tarde.)

  Nãããããã... Cheira-me que ninguém vai topar nem duvidar de nada. Não pode é faltar a net! Senão aí é que pronto, não há cá conections para ninguém!

Também têm que me tocar a mim... Não é verdade?

frito e escorrido por Peixe Frito, 18.03.13

 Ouvi dizer, assim de surra, que se me dessem um arco e uma flecha, eu e a criatura abaixo ficariamos chapadas uma da outra...

 

  Que maneira tão amável, de me dizerem que o meu cabelo não têm encontros com as escovas e que parece mesmo um ninho-de-ratos!

A mim cheira-me que sim...

frito e escorrido por Peixe Frito, 02.10.12

   O Halloween já anda no ar por estas bandas...

Fujam! Escondam-se! Corram para as montanhas...!

frito e escorrido por Peixe Frito, 04.07.12

  Hoje estou uma autêntica fera sedenta de sangue, altamente sanguinária... Não se choquem com a minha frieza e crueldade, que corre neste sangue de Peixa... Sabem que fiz?... Acabei de matar uma mosca. E daquelas piriris da fruta.

  Que horror. Uma verdadeira chacina. Foi difícil mas consegui. O porte daquele animal mete respeito, ó se mete.