Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Quando falecer, vou doar o meu cérebro à ciência.

24.07.19, Peixe Frito
Mas não é por rasgos de genialidade e por ter uma carola do caraças! Desenganem-se. Eu enquadro-me nas pessoas que até a ouvir determinadas músicas, em dias de calor, fica ainda com mais calor (sem cenas perversas). Do mesmo modo, que refilo quando é pleno inverno, chove a cântaros, frio dos colchões e a rádio passa regaton e cenices assim. Está mal!! Uma pessoa a ouvir aquilo, a cheirar a verão e nós ali como as cebolas: cheios de camadas, já dizia o Shrek. Em outro prisma, (...)

Your love is like bad medicine. Bad medicine is all i need...!

28.03.19, Peixe Frito
Pois é, pois é. Chamem-me o que quiserem (fofinha, linda, maravilhosa, nicónio e afins) mas um dos amores do meu coração, arrebatador, que me consome, incendeia, me faz encarnar o pecado da gula e de escavar a embalagem com uma colher, tal e qual um prisioneiro a escavar o túnel da sua fuga da prisão, venha quem vier que não a destrona dos píncaros (...)

Eu e os meus dotes de parvalheira.

22.03.18, Peixe Frito
Tenho o terrível hábito, de adaptar as músicas que estou a ouvir, à moda da Peixa. Ora mudo as vozes, fazendo fininhas como os ratinhos, grossas como trovões, à ópera, canto a miar, imito as vozinhas dos Happy Tree Friends e até canto à Cocas, o sapo. Há para todos os gostos. Sou uma criatura muito versátil. Porém, rapidamente adapto a letra da música, ao que estou a fazer: "Agora vou por o óleo de (...)