Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Alerta à sociedade (depois não digam que não aviso, aquando há perigo eminente)

frito e escorrido por Peixe Frito, 19.04.22

Não sei se é do vento, se do vento ou do vento ou da poeira que anda no vento ou se é do vento que faz os pássaros pensarem duas vezes antes de levantarem vôo pelas suas asinhas, ficando todos desgovernados a parecerem um avião sem controles e a cair a pique se se atreverem a esticar as asas no dia de hoje aqui por estas bandas - até as ovelhas devem estar de lã esticada até aos casquinhos, hoje nada de caracóis no cabelo ou pêlo da malta, venta tanto mas tanto que tudo fica liso como o esparguete, adeus permanentes à piruca, olhem dias destes nos 80's quando as permanentes estavam na moda, belo bico de obra que seria - ou se é o vento que até faz os caracóis andarem a alta velocidade, concorrendo com o Faísca McQueen, sendo uns verdadeiros Usain Bolt de casa às costas - até a ranhoca seca dada a jarda - dignos de irem para o autódromo para um tracking day caracoleiro, ou se simplesmente é porque é assim, as coisas são como são, é o que é, olhem há que aceitar o que não podemos mudar nem à base de medicação e gotas: 

Os podcasts vão voltar aqui à fritadeira. Sim, além de lerem, vão poder ouvir-me a narrar o post. Se o vosso dia já estava fantástico, ainda ficou mais maravilhoso, eu sei. Ainda fiquei naquela se haveria de dizer aos leitores a situação mas decidi correr o risco de vocês sofrerem enfartes ou crises de ansiedade, pela novidade aqui descrita.

Talvez vai ter um dia fixo. Talvez seja somente um por semana. Provavelmente será mais curto do que os rolos de papel higiénico que costumo debitar. Tentarei da melhor maneira que as minhas legendas funcionem, se houver algum conflito entre o som da minha voz e a cera dos vossos ouvidos. Não se esqueçam de instalar codecs de vídeo, para que consigam ter as legendas a funcionar, de modo a me ouvirem perfeitamente.

O tema? Só Deus sabe. Estamos mesmo entregues aos bichos, é um facto.

Aceito opiniões, críticas, sugestões, desde que todas venham acompanhadas por um chocolatinho ou uma goma. Todas as expressões que não cumpram os requisitos, serão automaticamente ignoradas. É factor eliminatório. A quem cumprir, a direcção não garante que a vossa opinião seja de facto levada em conta. Mas isso não invalida que não o façam, tenham apenas em atenção que chocolate com avelã comam-no vocês, bem como nutella e coisas do género, porém tuli creme é aceitável. Posto isto, é isto.

Até breve.

Só para deixar o aroma no ar...

frito e escorrido por Peixe Frito, 30.09.20

... mas daqueles agradáveis, não daqueles que parece que alguém morreu e é preciso toneladas de ambientador urgentemente, pois as nossas cenaices olfativas começam a suicidar-se, que não aguentam tanto mau cheiro (e não se morre do mal, mas morre-se da cura):

Fritura com duplo polme.gif

Brevemente em exibição, na vossa fritadeira de eleição.

(Que lindo, até rimou. Assim até toca no coração de outra maneira).

O que uma noite bem dormida pode fazer à mais inocente das alminhas.

frito e escorrido por Peixe Frito, 10.01.19

 

Poema de hoje, maravilhoso e fantástico, mega inspired, com direito a Podcast e tudo - vêm mesmo assim das entranhas do meu ser:

 

É a cama quentinha,

É a friasca de sair dos lençóis afofada.

É a banhoca da boa no corpo molenga,

É a bota com fecho estragado, calçada.

 

É acordar sem olhos de panda,

É a pele espectacular,

É estar a por o rímel,

e toda a pálpebra esborratar.

 

É o cabelo encaracolado,

carradas de amaciador para o domar,

É o secá-lo com todo o cuidado,

E chegar á rua e ele num ninho de ratos, se tornar.

 

É o cheiro a tabaco no andar,

É o cheiro do saco do lixo,

É o cheiro do pequeno almoço do vizinho debaixo,

Era torrada ou pão com chouriço.

 

É gelo em cima das folhas de manhã,

É a frisca ao entrar no carro.

É o ficar com a mão molhada da porta,

É não ter um pano enxugado.

 

É o sol a brilhar sem nuvens,

bem forte baixo no céu.

Sou eu a ficar encandeada e não ver um cú,

Nem óculos de sol me valeu.

 

É eu ter dormido bem,

É estar extra bem humorada,

Fico assim neste estado,

Inspirada e maravilhada,

Em que até me apetece, admirada

cantar o belo do fado.

5c249d9e63182_oj7oklhp1lq11__700.jpg

Podcast | E depois não como couves-de-bruxelas, armada em esquisita.

frito e escorrido por Peixe Frito, 27.11.18

Tenho o hábito, de ter um copo com água, na cabeceira da cama, desde sempre. Bem, começou pela preguiça de me levantar a meio da noite para ir beber água - sou daquelas que acorda de repente com uma sede tremenda, capaz de secar todos os lagos, lagoas e poças do mundo, tragando tudo o que é água até cair para o lado - de modo que acordar de manhã com a boca a parecer uma lixa seca, língua encarquilhada e sininho enroladinho, não dá lá muita jeiteira. É assim, convenhamos... então está uma pessoa no aconchego das mantas, têm vontade de beber água, levanta-se, vai à cozinha ou à casa-de-banho, volta para as mantas já meio desperto. E adormecer? Ah pois é... Depois custa. E no inverno, com o friozinho que se sente fora do conforto do belo do edredon, a malta têm de pensar em soluções. A minha foi um copo de água na mesa de cabeceira. Demorei anos a aperfeiçoar a técnica. Cheguei a dormir com um garrafão de 2,5 lts de água, para fazer o refill ao copo, tal era a esganadeira da mulher - sereias... precisam de água, não é verdade?  - a ter também garrafas de água médias e pequenas, até escolher o copo perfeito. É que além da preguiça de me levantar da cama, a mesma adaptou-se e passou a ser preguiça de me levantar dos lençóis, o que era mau, pois copos altos, molhava-me... copos baixos, pouca água... canecas, a pega dá jeito mas não me ajeitei com aquilo e garrafas de água então... nem me falem delas. Cheguei então até ao copo perfeito.

Ultrapassada a situação da sede, do caqueiro perfeito e do apanhar frio ou custar a adormecer, após todos estes anos de estudo, naturalmente deu-se outra evolução: já nem acendo a luz. É só esticar a barbatana, agarrar o copo e vai de embutes. Ahhh água fresquinha, sabe bem sim, a meio da noite. Agora, há um senão de beber água às escuras: e os bichos pá? Pois é! As mosquitas que gostam de nadar de costas, as aranhas que de vez em quando lá se lembram de ir tomar banho... bem dentro do abençoado copo de água nocturno!

Sabem, é como os carneiros dos figos, às vezes é preferível nem saber nem ver, porque se assim for, ninguém come figos. É como aquela estatística que diz que durante a noite, o ser humano ingere não sei quantas aranhas, moscas, mosquitos, durante um ano. Pois olhem, comigo a beber água sem acender a luz, devo de andar a papar animais que pertencem às estatísticas de outras pessoas. 

Bem que eu de manhã, muitas vezes acordo com a sensação de estar aconchegadinha e outras com uma fome dos diabos... Devem ser os dias em que não apanho um snack na água, depois de manhã, quero comer este mundo e o outro. 

Lado positivo: ao menos não engordam. Digo eu... Se calhar aquelas pessoas que dizem que até engordam com o ar, andam a dar nos snacks nocturnos sem dó nem piedade e nem dão conta. É só abrir a boca e aspirar. Sem espinhas!

E eu? Eu vou continuar a beber água, à noite, às escuras. Que se danem os bichos. Se não querem ser papados, não vão tomar banhos ou fazer piscinas nos copos alheios. É para o lado que durmo melhor.

Depois de ouvir, se pudesse, casava-me comigo mesma.

frito e escorrido por Peixe Frito, 21.11.18

Esta voz sexy até a mim me faz arrepios... não de vergonha alheia!  É o tester do podcast aqui, na fritadeira.

Boa sorte, não tenham o som muito alto, para não passarem vergonhas, é que vindo destes lados, nunca se sabe.

P.S.: Áudio com legendas é que era, nera? Keep dreaming eheh

Ah pois é, bebé!

frito e escorrido por Peixe Frito, 21.11.18

Webp.net-resizeimage-1-700x394.jpg

Preparem-se... as turbinas estão ligadas e os motores a aquecer. Muito em breve dará o ar da sua graça, o podcast tester aqui da fritadeira.

Ponham-se a pau, construam trincheiras e bunker's, que a coisa está iminente.

Aos meus queridos leitores.

frito e escorrido por Peixe Frito, 14.11.18

Aproveitando a boleia daquele que se diz ser Antissocial, o al3x, neste post dele que apresentou o seu primeiríssimo podcast no seu spot, me relembrou de que eu há uns tempos tinha pensado em, de vez em quando, fazer o mesmo aqui na fritadeira.

Que acham os meus leitores? - cri cri... cri cri...

Gostavam que de vez em quando, vos deixasse por aqui um podcast, para se deleitarem com a minha voz de sereia? Não receiem começar a deitar sangue dos ouvidos, que eu não irei cantar - se não calhar.

Digam a vossa opinião, please!