Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Ia sendo, mas não fondo. Safei-me resvés Campo de Ourique.

13.12.19, Peixe Frito
Alheada ao facto de ser sexta-feira 13, dado serem sete e tal da manhã e o tico e o teco ainda estavam extra dormentes, hoje pensava ser sábado. A sério! Acordei e pensei: - Nossa que bom, hoje é sábado e posso dormir até mais tarde!! Só que não. Daí a momentos, toca o despertador. Até podia pensar que o teria programado mal mas eu sei bem no meu íntimo, que ele está programado só para tocar aos dias da semana, por isso se ele estava a tocar... era dia de mexer a peida dos (...)

Eu mereço, certamente.

05.02.14, Peixe Frito
   Não há nada como a hora de deitar. Afofar nas mantas quentinhas com um frio de rachar, a ouvir o temporal de vento e chuva na rua.    Antes de dormir, o ritual habitual: verificar se o despertador / telefone está programado para a hora correcta, deixá-lo à mão na mesa-de-cabeceira e ir dormir.     Tranquilo. Silêncio. ahhhhh Gosto tanto. Eis que, passado um pedação de tempo, o raio do telefone toca. Primeiro pensamento neste pickle:    «O despertador já está a (...)

Aaaaaaarggggggghhh...!!!!

23.05.12, Peixe Frito
  Eh pá, isto hoje está bravo...    Sinto-me que a modos que assim meio.. coiso!      Recorda-me de uma colega, que uma vez estava sozinha no gabinete, e estava com uma pedrada de sono daquelas. Do meu lugar, eu conseguia vê-la. A perceber que ela precisava de uns toros de madeira para segurar os olhos (com palitos já não ia lá) e invés de lhe ir oferecer um café a ver (...)

Hum... será que é plausível?

12.05.09, Peixe Frito
   Uma nova desculpa, para quando se chegar atrasado ao trabalho: Arrumem as chuteiras às desculpas de "O despertador não tocou" ou a variante "Não ouvi o despertador", ou alguns mais criativos "Não dei a corda ao despertador", ou até mesmo "O meu cão comeu o meu telemóvel" e à "A minha criada não me acordou"!     Que tal: "Comprei uma almofada nova tão boa, tão fofinha, tão maravilhosa, que nem me consegui levantar (...)