Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Ó da guarda, peixe frito!

Vai com arrozinho de tomate?

Um início de dia mágico! Só faltava um arco-íris e um unicórnio a passarem.

28.12.18, Peixe Frito

De vez em quando lá oiço rádio, de modo que meia volta sou presenteada com pérolas destas, logo pela matina, para abrir a pestana.

Liguem as colunas, afinem a voz e vá, todos juntos!!!

Tão mágico. Tão antigo. Tão meio arrepios-de-vergonha-alheia porque meia volta cantarolo esta música - yep, shame on me, mas os meus macaquinhos-do-sótão, tal como eu própria, têm um sentido de humor sui generis e muito retorcido.

Com tantos remakes, penso que este filme até merecia um. Sei lá... Aqueles míticos dragões-cães-ou que é aquilo, voadores já mereciam um corte de pêlo e umas plásticas, ou não acham?

A cereja no topo do bolo, deste filme tão vintage quanto eu, é mesmo algures no tempo, alguém me ter dito que eu e a Princesa, eramos assim a modos que primas afastadas. Devo dizer que olho para ela e não vejo parecença nenhuma, deve ser daquelas parecenças que se tiram aos recém nascidos que são mais parecidos com ratinhos enrugados que outra coisa e há sempre alguém que diz: ahhh tens mesmo os olhos da tua mãe e as orelhas do teu pai! - pois... no comments. Fica para outro post - ou são daquelas que eu costumo dizer "Cara de um, cú do outro. Chapadinhos".

Não há nada como tomar como um elogio, pois ao menos foi feita uma comparação a uma princesa de traços angelicais e delicados e não ao Yoda.

8 comentários

largar posta na fritura